Contactos
Rua André Gouveia 3000-029 Coimbra
239 488 096 / 961 656 510

Oferta Formativa

Consulte informações sobre a oferta formativa

Documentos

Consulta e download de documentos e formulários.

Legislação

Consulte a legislação em vigor

Plano de Formação Previsto para o Ano Letivo de 2022/2023

CLIQUE AQUI para visualizar o Plano de Formação 2022/2023. Em breve inscrições abertas!

DIVULGAÇÃO

163

Metodologias de leitura e estratégias de metacognição
Atenção! Data alterada!

ACD

 

6.0 horas

 

e-learning

 

Docentes dos Grupos de Recrutamento 200, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340 e 350

ONLINE - Faculdade de Letras Universidade de Coimbra

Na disciplina de Português no Ensino Básico e no Ensino Secundário, sobressaem os domínios da Leitura e da Educação Literária como aqueles em que se pode desenvolver nos alunos a competência de compreensão na leitura. Trata-se de uma competência complexa, prevista nas Aprendizagens Essenciais, que exige ...
Ler mais Ler menos

Ref. 148ACD04_T1 Inscrições abertas até 07-10-2022

Registo de acreditação: ACD04/2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 10-10-2022

Fim: 10-10-2022

Regime: e-learning

Local: ONLINE - Faculdade de Letras Universidade de Coimbra

Formador

Ana Maria e Silva Machado

Destinatários

Docentes dos Grupos de Recrutamento 200, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340 e 350

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Razões

Na disciplina de Português no Ensino Básico e no Ensino Secundário, sobressaem os domínios da Leitura e da Educação Literária como aqueles em que se pode desenvolver nos alunos a competência de compreensão na leitura. Trata-se de uma competência complexa, prevista nas Aprendizagens Essenciais, que exige da parte do professor conhecimentos sobre os processos de compreensão do texto e sobre estratégias de metacognição a desenvolver em sala de aula. É, assim, pertinente, uma sessão de formação sobre como interrogar o texto, da pré-leitura à metacognição.

Objetivos

Conhecer os processos e as estratégias necessários à compreensão leitora. Apreciar percursos pedagógico-didáticos relativos à análise e interpretação textual, nomeadamente do texto literário.

Conteúdos

1. O processo de compreensão na leitura: pré-leitura, compreensão de frases, ligação de frases, compreensão do todo, processos de elaboração, processos metacogniticos. 2. A especificidade do texto literário 3. Como formular perguntas; como propor atividades.

Metodologias

Ação de Formação - Formato Seminário

Avaliação

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.

Modelo

Ação de Curta Duração - ONLINE

Bibliografia

Aprendizagens Essenciais


Observações

Prioridades: 1.ª - Docentes dos Grupos de Recrutamento 200, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340 e 350 das Escolas Associadas do CFAE Minerva; 2ª - Docentes dos Grupos de Recrutamento 200, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340 e 350 das Escolas Não Associadas do CFAE Minerva

Sala Zoom: Metodologias de leitura e estratégias de metacognição Reunião: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/85736750796 ID da reunião: 857 3675 0796

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 26-09-2022 (Segunda-feira) 14:00 - 20:00 6:00 Online síncrona

INSCREVER-ME
156

Acompanhamento e Monitorização dos Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital das Escolas (PADDE)
EXCLUSIVO para Equipa PADDE das Escolas Associadas do CFAE Minerva

Curso

 

25.0 horas

 

e-learning

 

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Presencial nas 11 Escolas Associadas do CFAE Minerva

['A proficiência digital das organizações educativas é fundamental para a melhoria do trabalho desenvolvido nas escolas. Neste quadro, considera-se, ainda, da maior importância o desenvolvimento das competências digitais dos docentes, dada a sua relevância para o ensino e a aprendizagem. \r\nNeste quadro, ...
Ler mais Ler menos

Ref. 137AFC01T01 Inscrições abertas até 12-10-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114831/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 12-10-2022

Fim: 16-12-2022

Regime: e-learning

Local: Presencial nas 11 Escolas Associadas do CFAE Minerva

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

['A proficiência digital das organizações educativas é fundamental para a melhoria do trabalho desenvolvido nas escolas. Neste quadro, considera-se, ainda, da maior importância o desenvolvimento das competências digitais dos docentes, dada a sua relevância para o ensino e a aprendizagem. \r\nNeste quadro, os AE/Ena foram convidados a elaborar o seu PADDE, que pretende ser um instrumento orientador e facilitador da adaptação e implementação das tecnologias digitais nos processos de ensino e de aprendizagem, bem como, apoiar as escolas a refletir e definir estratégias que permitam a exploração do potencial do digital integrando-o de forma holística na organização. Para que PADDE tenha o impacto esperado nas escolas, torna-se fundamental criar estratégias e instrumentos eficazes, tendo este curso o propósito de apoiar as EDD e as escolas no acompanhamento, monitorização, avaliação e reformulação dos PADDE.']

Objetivos

['Pretende-se apoiar as EDD das escolas no desenvolvimento de estratégias de monitorização e avaliação das ações inscritas no PADDE, que permitam melhorar a qualidade do trabalho em curso. Na formação pretende-se que as EDD, com o apoio dos ED, implementem estratégias de monitorização, avaliação, comunicação dos resultados e reformulação do PADDE da sua Escola, num processo em rede e promotor de mudança organizacional e pedagógica. \r\nSão objetivos específicos da oficina:\r\nrefletir sobre processos organizativos, pedagógicos e tecnológicos que promovam a qualidade do processo educativo;\r\nconceber e implementar estratégias de monitorização, avaliação e comunicação dos PADDE;\r\ndesenvolver estratégias de diagnóstico e reflexão conducentes à reformulação do PADDE.']

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem da necessidade de capacitar as EDD para que realizem trabalho de monitorização da implementação das ações inscritas nos PADDE, de modo a aferir a execução dos respetivos objetivos e necessidade de ajustes à sua operacionalização. Surgem, ainda, da importância de os ED afetos aos CFAE acompanharem esse processo, apoiando as EDD nas ações de monitorização, de avaliação, de comunicação e de reformulação dos PADDE. As alterações anuais à constituição das EDD reforça a necessidade de apoiar as escolas em todo o processo, desde a conceção à avaliação dos planos. \r\nContextualização do Plano de Ação para a Transição Digital e da importância dos PADDE na melhoria do trabalho educativo das escolas\r\nExploração do Roteiro de Apoio à Monitorização e Acompanhamento dos PADDE\r\nAssistente de apoio à inovação pedagógica através da utilização de ferramentas certificadas\r\nProcessos de acompanhamento e monitorização da implementação do PADDE\r\nEstratégias de comunicação do PADDE e das ações implementadas\r\nAvaliação, diagnóstico e reformulação do PADDE

Metodologias

['A presente ação é dinamizada na modalidade de e-learning, com recurso a diversas ferramentas, nomeadamente um sistema de gestão de aprendizagem (LMS) e ferramentas de comunicação síncrona. A formação decorrerá num espaço virtual organizado com os conteúdos de formação disponibilizados e onde decorrem interações múltiplas (síncronas e assíncronas) entre formador-formando e formando-formando. O contexto de formação visa estimular a criação de momentos de partilha e reflexão no âmbito das práticas de monitorização e avaliação das ações do PADDE e dos seus resultados. A ação de formação tem como quadro geral de referência metodológico o construtivismo e a aprendizagem colaborativa, assentando em princípios como a formação participada e experiencial e a ação refletida.']

Avaliação

['Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o \x93Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos desenvolvidos pelos formandos, bem como a elaboração de trabalhos individuais.']

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdfLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfKampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-10-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
2 19-10-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
3 26-10-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
4 02-11-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
5 09-11-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
6 16-11-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
7 23-11-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
8 30-11-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
9 07-12-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
10 14-12-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial

INSCREVER-ME
159

Género, igualdade e cidadania: um foco na educação para a infância
Educadores/as e Professores/as dos Grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260

Oficina

 

25.0 horas

 

Presencial

 

Educadores/as e Professores/as dos Grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260

CES | ALTA - Colégio de S. Jerónimo – Sala 1

Esta Ação de Formação pretende dotar os/as professores/as de conhecimentos, competências e atitudes para uma pedagogia que responda às questões de género (promovendo ao mesmo tempo uma mudança comportamental da transmissão ainda prevalecente dos estereótipos de género por parte destes profissionais), bem como, desenvolver numa metodologia participativa, ferramentas que podem ser utilizadas pelas Escolas.
Ler mais Ler menos

Ref. 145AFC02T01 Inscrições abertas até 10-10-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112772/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-10-2022

Fim: 26-11-2022

Regime: Presencial

Local: CES | ALTA - Colégio de S. Jerónimo – Sala 1

Formador

Sofia Margarida Correia Gonçalves

Destinatários

Educadores/as e Professores/as dos Grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores/as e Professores/as dos Grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores/as e Professores/as dos Grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra - Projeto KINDER - CES

Razões

'Os sistemas educativos têm, nos últimos anos, abraçado a causa do combate aos estereótipos de género e da promoção de uma maior socialização equitativa de raparigas e rapazes como estratégia central para alcançar sociedades mais saudáveis e mais equilibradas. O projeto KINDER tem, então, como objetivo enfrentar a urgência de desenvolver um programa eficaz e inovador e programas de formação para profissionais que trabalham com crianças em idade pré-escolar (3-6 anos) e desde os primeiros ciclos do ensino básico obrigatório (7-12 anos). O projeto será implementado em 3 países europeus - PT, ES - HR. Em 2016, com a aprovação, pelo Governo, da Estratégia Nacional de Educação e Cidadania, a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, onde se integra a educação para a igualdade de género, passou a fazer parte do currículo nacional e é desenvolvida nas escolas de acordo com o grau de ensino: terá natureza transdisciplinar no 1.º ciclo do ensino básico, passando a ser uma disciplina autónoma no 2.º ciclo do ensino básico. Todavia, os domínios a trabalhar e as competências a desenvolver ao longo do ano são deixadas ao critério do Conselho de Docentes, no caso da Educação Pré-escolar e 1.º ciclo do Ensino Básico, e ao Conselho de Turma, no caso do 2.º ciclo do ensino básico. Com esta decisão a inclusão das temáticas relativas à igualdade de género no programa escolar parece não estar, efetivamente e uma vez mais, assegurada.'

Objetivos

'Visar a potencial reprodução e transmissão de estereótipos de género por parte dos profissionais no jardim de infância e nas escolas básicas a nível nacional; \x95 Promover mudanças de atitude relativamente aos estereótipos de género e sexismo desde a mais tenra idade dentro e fora das escolas; \x95 Desenvolver e criar material pedagógico para professores e outros agentes de educação sobre pedagogia sensível ao género para promover a igualdade de género e combater os estereótipos de género; \x95 Dotar os/as professores/as de conhecimentos, competências e atitudes para uma pedagogia que responda às questões de género (promovendo ao mesmo tempo uma mudança comportamental da transmissão ainda prevalecente dos estereótipos de género por parte destes profissionais). \x95 Promover uma mudança de atitude individual do pessoal docente \x95 Desenvolver, numa metodologia participativa ferramentas que podem ser utilizados pelas escolas.'

Conteúdos

Os conteúdos a abordar nas sessões presenciais (25 horas) terão por base os seguintes eixos temáticos:\r\n1.Introdução: Apresentação do projeto KINDER a. Apresentação do CES e do Promundo; b. Des/Igualdade de Género: Contextos Nacional e Europeu; c. Justificação; d. Objetivos; e. Atividades; f. Grupos-alvo; g. Beneficiários/as; h. Implementação; i. Avaliação de impacto; j. Outros projetos de investigação ação \x96 PARENT; EQUI-X; IgualPro; Decodem. \r\n2. Facilitação: o que é e como fazê-lo. Inclui secção para discutir como lidar com a divulgação de informação sensível.\r\n3. Socialização de género;\r\n4. Identidade masculina hegemónica e o seu processo de construção. \r\n5. Masculinidades: Masculinidades hegemónicas e cuidadoras; \r\n6. Paternidades envolvidas e cuidadoras; \r\n7. Cuidar no masculino & conciliação da vida pessoal, familiar e profissional. \r\n8. Diversidades; \r\n9. Homens, género e violência; \r\n10. Reconhecendo e prevenindo violências com convidado/a para falar sobre Sexualidade e Saúde Reprodutiva e jovens e/ou convidado/a para falar sobre Violências e Diversidade. \r\n11. Metodologias participativas; \r\n12. Como trabalhar com crianças no pré-escolar (3-6 anos) e desde nos 1.º e 2.º Ciclos do ensino básico obrigatório (7-12 anos). \r\n13. Campanhas \r\n14. Vamos experimentar: dramatização de oficinas de cada conteúdo (Género; Masculinidades; Saúde Sexual e Reprodutiva; Violências e Diversidade; Paternidade e Cuidado). \r\n15. Preparação das oficinas (logística, cronogramas, materiais, ajuste das oficinas em função da idade), relatórios/avaliação (diários de campo e avaliação dos participantes); \r\n16. Perguntas & respostas, debate e conclusões. \r\n17. Mostra/Apresentação de atividades e trabalhos desenvolvidos pelos/as formandos/as, em contexto educativo.

Metodologias

A oficina de formação tem como pilar principal a promoção da igualdade de género, dotando os/as professores/as de conhecimentos, competências e atitudes para uma pedagogia que responda às questões de género (promovendo ao mesmo tempo uma mudança comportamental da transmissão ainda prevalecente dos estereótipos de género por parte destes profissionais). As sessões serão essencialmente teórico - práticas e práticas. Serão usadas metodologias que fomentem a pro-atividade dos formandos e que conjugue as exposições com atividades de prática. A metodologia de formação inclui a conceção e planeamento de workshops com escolas-alvo para desenvolver diretrizes, quadro de resposta e planos de implementação que abordem a transmissão de estereótipos de género dentro do contexto escolar. Os currículos de formação basear-se-ão na experiência do projeto KINDER, bem como de outras metodologias utilizadas em projetos de investigação-ação do CES/Promundo Portugal.

Avaliação

'Os/as formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. A avaliação dos/as formandos/as decorre em conformidade com o Regime Jurídico da Formação Contínua, nº2 do artº do ECD, aprovado pelo Decreto-Lei nº 15/2007, de 19 de Janeiro e a carta circular CCPFC-3-2007-Setembro. A avaliação do desempenho dos/as formandos/as tem em conta os seguintes parâmetros: - Participação nas sessões (qualidade das intervenções e do trabalho desenvolvido no decorrer da ação); - Trabalho individual de aplicação de conhecimentos. Com os seguintes Critérios de avaliação: - Empenho e participação nas sessões (25%) - Trabalhos produzidos e participação nas sessões (25%) - Reflexão crítica individual sobre a formação vivenciada e as aprendizagens obtidas/consolidadas (50%).'

Modelo

Modelo de Avaliação de Kirkpatrick

Bibliografia

Council of Europe (2015) Combating Gender Stereotypes In and Through Education. Report of the 2nd Conference of the Council of Europe National Focal Points on Gender Equality [accessed on 17 of March 2020 at https://rm.coe.int/1680590fe5]EC (2020) The gender pay gap situation in the EU. European Commission [accessed on 12 of March 2020 at https://ec.europa.eu/info/policies/justice-and-fundamental-rights/gender-equality/equal- pay/gender-pay-gap-situation-eu_en]EIGE (2016) Gender in education and training. Luxembourg: Publications Office of the European Union. DOI: 978-92-9493-601-1EU (2019) 2019 Report on equality between women and men in the EU. Justice and Consumers. Luxembourg: Publications Office of the European UnionKollmayer, M., Schober, B., & Spiel, C. (2018). Gender stereotypes in education: Development, consequences, and interventions. European Journal of Developmental Psychology, 15(4), 361-377.


Observações

Prioridades de seleção: 1.ª - Educadores/as Professores/as das Escolas Associadas do CFAE Minerva; 2.ª - Educadores/as Professores/as de Outras Escolas Não Associadas do CFAE Minerva.

Prioridades de seleção: 1.ª - Educadores/as e Professores/as dos Grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260 dos Agrupamentos de Escolas e Escolas Associadas do CFAE Minerva. 2.ª - Educadores/as e Professores/as dos Grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260 dos Agrupamentos de Escolas e Escolas Não Associadas do CFAE Minerva.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 01-10-2022 (Sábado) 09:30 - 17:00 7:30 Presencial
2 15-10-2022 (Sábado) 09:30 - 17:00 7:30 Presencial
3 29-10-2022 (Sábado) 09:30 - 17:00 7:30 Presencial
4 26-11-2022 (Sábado) 09:30 - 18:00 8:30 Presencial

INSCREVER-ME
176

Improvisação Teatral Aplicada à Docência
Prioridade aos docentes da Escola Secundária c/ 3º CEB D. Dinis

ACD

 

6.0 horas

 

Presencial

 

Docentes de todos os Grupos de Recrutamento

Escola Secundária c/ 3º CEB D. Dinis

A formação envolve o aproveitamento de jogos e dinâmicas de improvisação teatral para o desenvolvimento de competências relacionadas às chamadas soft skills, tão necessárias a profissionais de áreas tais como Pedagogia, Gestão, Direito, Economia, Psicologia e Relações Internacionais, dentre tantos outros ...
Ler mais Ler menos

Ref. 151ACD04/2022 Inscrições abertas até 14-10-2022

Registo de acreditação: ACD05/2022

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 21-10-2022

Fim: 04-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária c/ 3º CEB D. Dinis

Destinatários

Docentes de todos os Grupos de Recrutamento

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Escola Secundária c/ 3º CEB D. Dinis

Razões

A formação envolve o aproveitamento de jogos e dinâmicas de improvisação teatral para o desenvolvimento de competências relacionadas às chamadas soft skills, tão necessárias a profissionais de áreas tais como Pedagogia, Gestão, Direito, Economia, Psicologia e Relações Internacionais, dentre tantos outros campos de atuação. Não por acaso, cursos regulares de improvisação têm sido oferecidos em instituições tais como Harvard Business School, Stanford University, University of California, University of Chicago e Yale University. No mundo corporativo, organizações de alcance global vêm sistematicamente oferecendo a seus funcionários treinamentos baseados em improvisação teatral, dentre as quais destacam-se Accenture, Airbus, Coca-Cola, Deloitte, Ernst & Young, Facebook, GlaxoSmithKline, Google, HSBC, Kraft Foods, LinkedIn, Mondelez, Morgan Stanley, Marriott, Microsoft, Nike, PepsiCo e Twitter. Na presente formação, as atividades encontram-se orientadas para o desenvolvimento prático de habilidades relacionadas a fatores como adaptabilidade, comunicação, empatia, imaginação, confiança, inovação, co-criação, liderança e trabalho em equipe, sempre valorizando a descontração e a diversão, variáveis essenciais para o processo de ensino e aprendizagem. O recurso artístico-pedagógico por meio do qual se propõe atingir tais objetivos é o teatro de improviso, um dos mais fascinantes, confiáveis e divertidos sistemas de treinamento profissional e desenvolvimento artístico disponível para atores e não-atores em todo o vasto universo contemplado pelas artes performativas contemporâneas. Mais especificamente, recorre-se ao Sistema Impro criado pelo encenador e educador britânico Keith Johnstone, professor emérito da Universidade de Calgary, no Canadá, que dinamizou a prática teatral por meio de criações artísticas originais e fundamentadas em sólidos princípios de colaboração e harmonia.

Objetivos

- Desenvolver as competências comportamentais ou sócio-afetivas necessárias à prática em diversos domínios profissionais, especialmente no campo pedagógico.

Conteúdos

A formação em Improvisação Teatral Aplicada à Docência comporta uma proposta pedagógica interdisciplinar orientada para a experimentação e para o desenvolvimento de competências comportamentais ou sócio-afetivas necessárias à prática em diversos domínios profissionais, especialmente no campo pedagógico, pois enfocam as habilidades e atitudes intrapessoais e interpessoais, as quais incluem o desenvolvimento da autoconfiança, o contato com a dimensão afetiva, a capacitação para o trabalho em equipe, as aptidões para reagir a situações inesperadas, o exercício da criatividade e da espontaneidade, o incremento das potencialidades de comunicação e expressão nos níveis individual e grupal, bem como o incentivo à busca proativa pela solução de problemas. A rotina formativa envolve jogos teatrais orientados pelos interesses do grupo, pelas necessidades individuais e pelas carências detectadas pelo docente em termos de competências sociais e relacionais, com ênfase em protocolos de trabalho destinados a abordar os seguintes conteúdos: a escuta ativa; o princípio da aceitação; a criação como processo grupal; fundamentos de contação de histórias; a generosidade como elemento performativo; a espontaneidade na resolução de problemas; a colaboração no trabalho grupal; a imaginação como motor dos processos de transformação.

Metodologias

Seminário - Sessões práticas

Avaliação

Inquérito de Avaliação ACD

Modelo

NA

Bibliografia

Material do Formador


Observações

Prioridade aos docentes da Escola Secundária c/ 3º CEB D. Dinis


INSCREVER-ME