OFERTA FORMATIVA

Ref. 294ACD66 Inscrições abertas até 21-05-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD66-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 22-05-2024

Fim: 22-05-2024

Regime: Presencial

Local: ES José Falcão

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva / ES José Falcão

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo

Conteúdos

- "Menina dos olhos tristes" - Ensinar programação com criação de jogos - Plataformas de Inteligencia Artificial - Wombo Dream, Vidnoz - Magic Shool AI - Atividades da biblioteta escolar - Clube de Ciência Viva - Dinâmica da Sala de Exposições - Informática - Estado da Arte - Partilhas

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm - Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-05-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 300ACD71 -2023 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: ACD71-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 22-05-2024

Fim: 22-05-2024

Regime: e-learning

Local: Agrupamneto de Escolas Coimbra Sul

Formador

Maria Luísa de Jesus Victor

Maria de Fátima Ferreira Pires Martins

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA / A. E. COIMBRA SUL

Enquadramento

O atual quadro legal da educação inclusiva define as medidas universais como as que os professores dispõem num primeiro nível de intervenção para aplicar em contexto de turma. E, por isso, estas medidas assumem uma grande importância enquanto ferramenta (s) de manejo mais inclusivo e abrangente possível para a melhoria das aprendizagens e o sucesso educativo de todos e de cada um dos alunos. No mesmo âmbito, é sugerida a aplicação da diferenciação pedagógica. E colocamos a questão de como pô-la em prática, que estratégias podemos adotar, de modo que todos participem e todos aprendam em sala de aula. Esta sessão insere-se num ciclo de abordagens - Sensibilizar, refletir, partilhar – em torno das temáticas do digital e da inclusão que foi definido a partir de necessidades identificadas por alguns docentes do Agrupamento de Escolas Coimbra Sul. Pretende-se que esta iniciativa constitua um espaço de reflexão e partilha entre os docentes no sentido das suas preocupações e desafios perante a melhor resposta à cada vez maior diversidade da população escolar das nossas escolas.

Objetivos

- Refletir sobre os processos de ensino e aprendizagem numa perspetiva inclusiva. - Partilhar algumas abordagens metodológicas ativas e diferenciadas. - Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os docentes.

Conteúdos

- Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos. - Algumas metodologias de aprendizagem ativa com e sem a integração das tecnologias. - Práticas colaborativas entre alunos e docentes.


Observações

Exclusivo para os Docentes do Agrupamento de Escolas Coimbra Sul

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-05-2024 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona

Ref. 302ACD69-2023-2024 Inscrições abertas até 31-05-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD69-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 05-06-2024

Fim: 12-06-2024

Regime: Presencial

Local: CFAE Minerva / AEMF

Formador

Isabel da Conceição Costa Belo

Destinatários

Professores do 1º Ciclo;

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / AEMF

Enquadramento

A atualização de práticas, o contínuo aperfeiçoamento profissional, a auto-reflexão do professor beneficiará as aprendizagens dos alunos. O ensino da Matemática requer a compreensão do que os alunos sabem e necessitam de aprender. Devem ser realizadas tarefas matemáticas significativas de forma a criar um ambiente de aprendizagem, onde os alunos sejam capazes de justificar, argumentar, construir argumentos e experimentar várias abordagens. Segundo Ponte e Serrazina (2000), “O ambiente de aprendizagem é caracterizado pelo maior ou menor envolvimento dos alunos no trabalho e pela rigidez ou informalidade nas relações entre eles e o professor. Relaciona-se com as tarefas propostas, o tipo de comunicação e negociação de significados, o modo de trabalho dos alunos e a cultura de sala de aula.” Para melhorar o ensino da Matemática, os professores deverão ser capazes de tomar decisões que influenciem positivamente os alunos em relação à disciplina. Devem para isso criar contextos de aprendizagem diversificados, adequados ao seu público-alvo, adaptando o ensino de modo a atingir os objetivos. A criação, na sala de aula, de um meio social e materialmente estimulante para as aprendizagens na área da Matemática é decisivo para promover o interesse, aprofundar conceitos, raciocinar logicamente, onde o erro deve ser encarado de uma forma positiva e não como objeto de críticas ou sanções. Os diferentes temas da Matemática deverão ser trabalhadas pelos professores, de forma a permitir a realização de tarefas significativas, integradas, diversificadas, ativas e socializadoras.

Objetivos

- Compreender e usar com fluência estratégias de cálculo mental diversificadas; - Calcular mentalmente, recorrendo a representações múltiplas; - Representar, de forma eficaz, as estratégias de cálculo mental usadas transitando entre as diferentes representações; - Aplicar estratégias de cálculo mental de modo formal e registar os raciocínios realizados; - Comparar e apreciar, em situações concretas, a eficácia de diferentes estratégias de cálculo mental; - Mobilizar estratégias de cálculo que envolva números inteiros e números decimais; - Reconhecer o potencial da utilização de tarefas dos vários domínios para o desenvolvimento de processos de raciocínio, utilização de representações matemáticas e estabelecimento de conexões.

Conteúdos

• Cálculo mental – Estratégias de cálculo mental (1.º, 2.º, 3.º e 4º anos); • Métodos para o cálculo mental e cálculo formal para os diferentes anos; • Tarefas de Investigação com a utilização de cálculo em diferentes domínios para os diferentes anos.

Metodologias

- A primeira sessão será com a exploração de estratégias e Tarefas para os 1.º e 2.º anos. - A segunda sessão será com a exploração de estratégias e Tarefas para os 3.º e 4.º anos.

Modelo

Inquérito de satisfação da Ação de Formação


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes dos 1.º CEB do Agrupamneto de Escolas Martim de Freitas 2.º - Docentes do 1.º CEB das Escolas Associadas do CFAE Minerva.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 05-06-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 12-06-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 299ACD60-2023/2024 Inscrições abertas até 08-07-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD60-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 12-07-2024

Fim: 12-07-2024

Regime: Presencial

Local: Convento São Francisco

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

O CFAE Minerva efetuou o seu primeiro Seminário em 2019, tendo então comprometendo-se a realizar todos os anos um Seminário de Final de Ano Letivo, para assim realizar um balanço das suas atividades durante cada ano letivo, dando visibilidade às boas práticas internas, mas também recorrendo a intervenções exteriores exemplificativas e inspiradoras no que concerne às mudanças nas Escolas. Devido à pandemia, estivemos dois anos letivos sem conseguir corresponder a esse nosso compromisso por considerarmos que esse nosso encontro só faz sentido ser realizado em modo presencial, pelo que, este ano, será realizado o IV Seminário, dedicado às novas tendências e mudanças a acontecerem na Educação e no Mundo. O Seminário terá como mote: “O papel das Escolas na Era da Inteligência Artificial”. O Mundo está em constante transformação, moldado por avanços tecnológicos que impactam todos os aspetos da vida, incluindo a educação. A Inteligência Artificial (IA) destaca-se como um dos elementos disruptivos e mais significativos da atualidade, com potencial para revolucionar o ensino-aprendizagem. Diante deste cenário, torna-se crucial que os profissionais da educação estejam preparados para navegar nesse novo paradigma e compreender o papel da escola na era da inteligência artificial, com foco na inclusão e no bem-estar. Será apresentado o trabalho desenvolvido no projeto “Mil pássaros em Coimbra” com as escolas do pré-escolar da área de do município de Coimbra. Novos desafios surgem, especialmente no que diz respeito à necessidade das literacias de informação, da comunicação e do digital. As literacias de informação terão que fazer parte das aprendizagens essenciais, de modo a permitir a todos acessar, avaliar, usar e criar informações de forma crítica e ética. Num mundo cada vez mais saturado de dados e informações, essas competências tornam-se essenciais para navegarmos no mundo digital de forma segura, responsável e eficaz. Também a internacionalização se assume como um desafio estratégico para o desenvolvimento qualitativo do nosso sistema educativo pelo que, o CFAE Minerva enquanto Coordenador do Consórcio ERASMUS+, considerou importante relatar as experiências realizadas neste ano letivo. Num mundo cada vez mais globalizado e interconectado, o programa Erasmus+ surge como uma ferramenta poderosa para promover a abertura de mentes de alunos e professores, através da vivência de experiências imersivas em diferentes países e culturas, oferecendo oportunidades únicas para o desenvolvimento de aptidões essenciais para o século XXI. Depois de vividas há que avaliá-las e partilhá-las.

Objetivos

- Analisar os impactos da IA no ensino-aprendizagem, tanto para alunos quanto para professores; - Explorar novas abordagens pedagógicas que integrem a IA de forma eficaz; - Refletir criticamente sobre o papel da escola no mundo artificial, considerando as diversidades e necessidades individuais e as responsabilidades sociais da educação; - Valorizar a diversidade e a inclusão; - Promover um ambiente acolhedor e recetivo, onde todos se sintam valorizados e respeitados. - Implementar programas de educação em literacias de informação desde a educação infantil, focando no uso crítico e ético da tecnologia e da IA. - Enriquecer o conhecimento sobre a Europa e suas línguas - Promover a internacionalização da escola. - Lidar com desafios culturais, linguísticos e logísticos para o desenvolvimento da resiliência, da flexibilidade e da capacidade de lidar com outras culturas, através do Programa ERASMUS+.

Conteúdos

- Analise dos impactos da IA no ensino aprendizagem. - Novas abordagens pedagógicas que integram a IA de forma mais eficaz. - A inclusão de todos num Mundo Digital e Global. - O bem-estar como fator de (auto)regulação do stress em sala de aula. - A Literacia da Informação como papel fundamental nas Escolas. - O Programa Erasmus+ como promotor de experiências imersivas de professores e alunos num mundo global e interconectado. - Programas de educação em literacias de informação desde a educação infantil, focando no uso crítico e ético da tecnologia e da IA. - As experiências do Programa ERASMUS+ - Coordenador do Consócio CFAE Minerva

Metodologias

Seminário: - Palestras - Partilhas - Exposições - Networking

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Documentos dos palestrantes


Observações

Critérios de Seleção: 1.º Docentes das Escolas Associadas do CFAE MINERVA 2. º Docentes de outras Escolas Não Associadas.


INSCREVER-ME

Ref. 286AFCFC A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122466/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-04-2024

Fim: 23-05-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Avelar Brotero - Sala A23

Formador

José Carlos Martins

Destinatários

Professores dos grupos de recrutamento 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

A implementação de estratégias de ensino e aprendizagem direcionadas para a promoção do sucesso escolar levam a necessidade da adoção de diferentes instrumentos pedagógico-didáticos nos processos de ensino e aprendizagem. A utilização da folha de cálculo em sala de aula, no contexto explicativo e aplicacional, por parte de professores e alunos, nos conteúdos programáticos, ou seja, a aplicação/ manipulação das tabelas, das fórmulas, das funções matemáticas, da análise estatística, das correlações, dos gráficos e das ligações aos projetos e relatórios de trabalhos propostos, revelam-se fundamentais na concretização dos objetivos de melhor e mais aprendizagem na disciplina da matemática e das ciências experimentais. Assim, esta ação de formação visa criar condições para a introdução, integração e utilização da folha de cálculo nos processos de ensino-aprendizagem e nos conteúdos programáticos, por parte de professores e alunos, em cada disciplina, despertando assim o interesse dos alunos para a sua utilização e motivando-os para a aprendizagem nas didáticas específicas para os quais este curso se propõe, sendo ao mesmo tempo uma ferramenta facilitadora da promoção do sucesso educativo, do trabalho colaborativo e da flexibilidade curricular. Assim, este propósito constitui a base para que nas sessões presenciais síncronas e assíncronos se desenvolvam atividades de implementação da folha de cálculo em contexto real de sala de aula e nos conteúdos programáticos de cada disciplina.

Objetivos

- Conhecer as principais potencialidades da folha de cálculo no que respeita a sua integração nos conteúdos programáticos das disciplinas. - Utilizar a folha de cálculo na prática em sala de aula, com os alunos, em contextos de ensino e aprendizagem, nas didáticas específicas e integrada nos conteúdos programáticos de cada disciplina. - Conceber materiais com a folha de cálculo, inserido nos conteúdos programáticos de cada grupo disciplinar, utilizando-os em contextos de aprendizagens efetivas, com os alunos, na sala de aula. - Interiorizar o potencial da folha de cálculo na promoção do sucesso escolar e educativo, na inovação e na mudança dos processos de ensino e de aprendizagem. - Favorecer a emergência de novas práticas pedagógicas potenciando os benefícios da folha de cálculo na renovação dos contextos de aprendizagem e eficiência do processo educativo. - Desenvolver competências que contribuam para a diversificação das estratégias de ensino e aprendizagem nas didáticas específicas.

Conteúdos

1. A folha de cálculo Microsoft EXCEL ou OpenOffice Calc (1 hora): 1.1. Conceitos e tecnologias; 1.2. Princípios de funcionamento; 1.3. Regras de utilização em segurança; 1.4. Procedimentos de instalação e configuração das aplicações. 2. A folha de cálculo e as dinâmicas do ensino e aprendizagem, da comunicação e da integração na educação (1 hora): 2.1. O paradigma digital e as dinâmicas da integração nos conteúdos programáticos das disciplinas; 2.2. A folha de cálculo integrada na prática em sala de aula e nos conteúdos programáticos das disciplinas; 2.3. A folha de cálculo e a aprendizagem colaborativa dos alunos; 2.4. A folha de cálculo e a renovação dos tempos de aprendizagem; 2.5. Recursos educacionais disponíveis na Internet com a folha de cálculo integrada; 2.6. A folha de cálculo no ensino/conteúdos programáticos da matemática e das ciências experimentais. 3. Recursos educativos e a folha de cálculo nas didáticas específicas (12 horas): 3.1. Aspetos relevantes de um recurso educativo concebido com a integração da folha de cálculo; 3.2. A folha de cálculo: 3.2.1. Estrutura genérica de uma folha de cálculo; 3.2.2. Principais funcionalidades genéricas dos programas de folha de cálculo; 3.2.3. O ambiente de trabalho de uma folha de cálculo; 3.2.4. Operações com ficheiros/ documentos com uma folha de cálculo; 3.2.5. Edição e formatação da informação numa folha de cálculo; 3.2.6. Fórmulas, referências, funções matemáticas e estatísticas; 3.2.7. Elaboração e manipulação de gráficos; 3.2.8. Tabela ou lista de dados; 3.2.9. Referências absolutas e relativas; 3.2.10. Ferramentas avançadas; 3.2.11. Macros e programação incorporada; 3.2.12. Transferência com atualização automática de informação entre documentos; 3.2.13. Impressão de trabalhos em folha de cálculo; 3.2.14. Impressão em série; 3.3. Recursos destinados à educação e para conteúdos disciplinares específicos, com folhas de cálculo integradas, proprietárias ou gratuitas, disponíveis na Internet, e criados/mobilizados para os contextos de aprendizagem. 4. Nas didáticas específicas, conceção de soluções de problemas, de trabalhos experimentais, com recurso à folha de cálculo (2 horas). 5. Elaboração de recursos educativos nas didáticas específicas (em função das características da turma e concebidos pelos formandos com o auxílio da folha de cálculo) (4 horas). 6. Apresentação das propostas metodológicas dos formandos à turma (1 hora). 7. Utilização em sala de aula, em contexto real de aprendizagem com os alunos, dos recursos educativos concebidos nas diversas disciplinas (1 hora). 8. Apresentação dos recursos concebidos e atividades realizadas na prática em sala de aula (1 hora). 9. Apresentação da experiência e dos resultados da utilização em sala de aula, em contexto real de aprendizagem com os alunos, dos recursos educativos concebidos nas diversas disciplinas (1 hora). 10. Avaliação dos formandos e da ação de formação (1 hora): a. Avaliação da Acão; b. Avaliação dos formandos.

Metodologias

Fase I - Apresentação da ação de formação (sessão síncrona). Fase II - Apresentação da folha de cálculo EXCEL ou CALC e as dinâmicas: do ensino e aprendizagem, da comunicação e da interação na educação (teórico/prático) | (sessão síncrona). Fase III - Aprender EXCEL ou CALC e pesquisar na internet os recursos educativos existentes para as didáticas específicas (prático) | (sessões síncronas e assíncronas). Fase IV - Elaboração de recursos educativos nas didáticas específicas de cada docente (prático) | (sessões assíncronas). Fase V - Utilização em sala de aula, em contexto real de aprendizagem com os alunos, dos recursos educativos concebidos nas diversas disciplinas (prático) | (sessão assíncronas). Fase VI - Apresentação dos recursos concebidos, da experiência da utilização em sala de aula e dos resultados obtidos, em contexto real de aprendizagem com os alunos (prático) | (sessão síncrona). Fase VII - Avaliação dos formandos e da Acão de Formação (sessão síncrona).

Avaliação

- Os/As formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. - A avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. - Critérios de avaliação: - Empenho e participação nas sessões (25%); - Trabalhos produzidos e participação nas sessões (25%); - Reflexão crítica individual sobre a formação vivenciada e as aprendizagens obtidas/consolidadas em cada módulo da formação (50%).

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Sergio Propergol (2019). Excel 2019. Madrid: Anaya MultimédiaLacerda, Fernando Alberto, 2001, Novas Tecnologias de Informação e Comunicação e animação de espaços escolares de ensino-aprendizagem, círculo de estudos.DAPP, Ministério da Educação; 2002; As TIC e a qualidade das aprendizagens, Estudos de caso em Portugal, OCDE, Lisboa, 1ª ed.Becta, 2003; Timesaver. Becta ICT Advice for teachers. Disponível em: http://www.ictadvice.org.uk . Acedido em 18 de Setembro de 2005.Roblyer, M. D., Edwards, J., Havriluk, M. A. (1997) Integrating Technology into Teaching. Prentice-Hall, Inc, New Jersey


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Professores dos grupos de recrutamento 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550 das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição. 2.º - Professores dos grupos de recrutamento 430, 500, 510, 520, 530, 540, 550 de outras escolas por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
4 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
6 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
7 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
9 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 20:00 1:30 Presencial

Ref. 253AFC02-T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121018/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 20.0 horas

Início: 10-04-2024

Fim: 05-06-2024

Regime: Presencial

Local: Várias Escolas do CFAE Minerva

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos conducentes a significativas melhorias nos processos de avaliação dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

● Documentos de enquadramento das políticas educativas. ● Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. ● Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. ● Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. ● Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. ● CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. ● Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Os/As formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. Critérios de avaliação: (exemplo) • Participação, assiduidade e pontualidade, interesse e empenho nas tarefas propostas (30%) • Produção de Trabalhos e/ou Materiais em contexto escolar (50%) • Reflexão crítica (20%)

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Fernandes, D. (2020). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica. This paper discusses both theoretical and practical issues on pedagogical assessment. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/339955916_Para_uma_Fundamentacao_e_Melhoria_das_Praticas_de_Avaliacao_Pedagogica


Observações

Datas e locais sujeitas a alterações 10/abril - AE Eugénio de Castro 17/abril - AE Vila Nova de Poiares 8/maio - AE Rainha Santa Isabel 22/maio - ES Infanta Dona Maria 5/junho - ES José Falcão

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-04-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial
2 17-04-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial
3 08-05-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial
4 22-05-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial
5 05-06-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial

Ref. 289AFTeamsT1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123057/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 18-03-2024

Fim: 03-06-2024

Regime: b-learning

Local: Platforma Teams/Colégio Novo

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Isabel de Lurdes Pereira do Cabo

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Educação Especial e Educadores de Infância

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Educação Especial e Educadores de Infância. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Educação Especial e Educadores de Infância.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva

Enquadramento

O Perfil dos Alunos, em articulação com as Aprendizagens Essenciais, implica novas abordagens pedagógicas, pelo que esta oficina surge da necessidade de partilhar experiências no âmbito da gestão do currículo no ensino a distância e presencial. Considerando que “Educar no século XXI exige a perceção de que é fundamental conseguir adaptar-se a novos contextos e novas estruturas, mobilizando as competências, mas também estando preparado para atualizar conhecimento e desempenhar novas funções” (DGE, 2017, p. 13), pretende-se dotar os professores com conhecimentos para lecionar na modalidade ensino a distância, apresentando recursos digitais que os possam auxiliar na sua ação pedagógica no âmbito do ensino, aprendizagem e avaliação pedagógica.

Objetivos

1 - Compreender as potencialidades de metodologias ativas com recurso a tecnologias no desenvolvimento de competências fundamentais para o século XXI, previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e nas Aprendizagens Essenciais; 2 - Executar procedimentos subjacentes à criação de um ambiente de trabalho para o ensino a distância; 3 - Trabalhar com o sistema de gestão de aprendizagens Microsoft Teams e outras aplicações do Office 365 com vista à promoção do sucesso escolar; 4 - Promover a utilização de estratégias de aprendizagem ativa com recurso às tecnologias com o objetivo de incrementar o envolvimento dos alunos e a qualidade das aprendizagens.

Conteúdos

Módulo 1 (3h): Apresentação do formador, dos formandos e da oficina de formação: objetivos, conteúdos, avaliação e cronograma, conceito de plataforma, aplicação e ferramenta digital de ensino, aprendizagem e avaliação, acesso à aplicação OneDrive, expetativas dos formandos na formação com recurso à ferramenta Mentimeter, exploração da ferramenta Mentimeter, construção do Portefólio Individual / diário da formação com a ferramenta Padlet, exploração da ferramenta Padlet, apresentação da plataforma Office 365 e suas potencialidades educativas. Módulo 2 (6h): Exploração técnica e pedagógica do LMS Microsoft Teams: atividade, conversa, equipas, tarefas, calendário, chamadas, ficheiros, aplicações, ajuda e descarregar a aplicação Teams para o ambiente de trabalho do computador; criar, gerir, sair, editar e eliminar equipa, adicionais canais e membros, gerir etiquetas, canal geral, separadores (publicações, ficheiros, tarefas, bloco de notas escolares, notas, aplicações) e reuniões. Instalação e utilização da app Teams no computador e no telemóvel. Módulo 3 (6h): Exploração das aplicações do Office 365 para o ensino e aprendizagem: Outlook, OneDrive, SharePoint, Sway. Módulo 4 (6h): Exploração das aplicações do Office 365 para a avaliação pedagógica: Microsoft Docx, Microsoft Forms, Wiki, Stream e OneNote. Módulo 5 (4h): Realização da seguinte atividade no Portefólio Individual: levantamento das plataformas, aplicações e ferramentas digitais de formação e ensino-aprendizagem abordadas na formação e reflexão sobre as respetivas vantagens e desvantagens no âmbito da sua aplicação em contexto educativo. Apresentação do Portefólio individual produzido pelos formandos no decorrer da formação. Avaliação da ação, orientações para elaborar a reflexão crítica e arquivo de documentação na aplicação OneDrive

Metodologias

Expositivo e Metodologia Ativa. Sessões práticas.

Avaliação

A avaliação traduz-se numa classificação final quantitativa, na escala de 1 a 10, expressa através do referencial de menções qualitativas previstas no nº 2 do artigo 46º do ECD e de acordo com a Carta Circular CCPFC-3/2007. A aprovação no curso dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas da ação. Avaliação contínua baseada nos seguintes itens gerais: - Participação nas sessões síncronas (15%); - Diário de aprendizagem (15%); - Conteúdos produzidos (50%); - Relatório de reflexão crítica (20%).

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação

Bibliografia

ALMEIDA, M. – Formando professores para atuar em ambientes de aprendizagem interativos e colaborativos, in https://www.scielo.br/pdf/ep/v29n2/a10v29n2.pdf [Consult. 2020-12-17].2000. [Consult. 2015-12-03]. Disponível na internet: http://www.nave.pucsp.br/doc/formando.doc> COSTA, F.; CRUZ, E.; VIANA, J. – Recursos educativos para uma aprendizagem autónoma e significativa. Algumas características essenciais. In Libro de Actas do XI Congresso International Galego-Português de Psicopedagoxia, 2011, p.1609-1615.DIAS, Ana Augusta Silva; GOMES, Maria João (coord.) – E-learning para e-formadores. Guimarães: TecMinho/Gabinete de Formação Contínua da Universidade do Minho, 2004.GOMES, M. J. – Desafios do e-learning: do conceito às práticas. In. Atas do VIII congresso galaico-português de psicopedagogia/org. S. A. Leandro, D. S. Bento. Braga: Universidade do Minho, 2005, p. 66-76.SAMPAIO, A. – Uma abordagem ao e-learning na formação profissional: estratégias para o sucesso de modelos de aprendizagem assíncronos, sem sistema de tutoria. Tese de Mestrado: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2011.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Presencial
2 25-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
3 27-03-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
4 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Presencial
5 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 16-04-2024 (Terça-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
7 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Presencial
8 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Presencial
9 06-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Presencial
10 07-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
11 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
12 14-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
13 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Presencial
14 28-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
15 03-06-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Presencial

Ref. 264AFC04 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119618/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 21-02-2024

Fim: 29-05-2024

Regime: Presencial

Local: Convento de São Francisco

Formador

Helena Rodrigues

Patricia Soares Santos Costa

Destinatários

Educadores de Infância (grupo 100)

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância (grupo 100). Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância (grupo 100).

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A voz e a linguagem corporal são importantes instrumentos no relacionamento humano. No caso dos profissionais que trabalham com crianças revestem-se de uma importância ainda maior — os níveis não semânticos da comunicação humana têm forte impacto nos seres humanos mais jovens. Por isso, são aspetos que devem ser alvo de uma maior consciencialização. O trabalho em rede, o trabalho colaborativo entre profissionais que cuidam de crianças é de grande importância: todos têm de estar alinhados em função do supremo interesse da criança. A música, e nomeadamente a prática coral, oferece ferramentas que podem ajudar a encontrar um sentido coletivo, facilitando a construção de equipas afinadas na construção de um fim comum. Através de prática vocal e de movimento, este curso de formação será tempo para desenvolvimento pessoal e trabalho colaborativo entre diferentes profissionais de diferentes Jardins de Infância. Porque é necessário despertar a “musicalidade comunicativa”. Porque é necessário ser cuidado para poder cuidar bem. Porque é necessário fruir e vivenciar o poder transformador da arte para o poder transmitir.

Objetivos

Participar em momentos de “team building” entre profissionais de diferentes Jardins de Infância do Município de Coimbra. Desenvolver formas de diálogo e trabalho cooperativo entre diferentes profissionais Adquirir ferramentas de trabalho que possam ser relevantes na mediação com as famílias das crianças que frequentam Jardins de Infância. Tomar consciência dos efeitos/ poder da voz falada e da linguagem corporal nas orientações educativas numa sala de jardim de infância. Explorar recursos vocais e de movimento, quer a nível individual, quer a nível coletivo. Conhecer reportório musical (escuta). Conhecer reportório musical (prática vocal). Conhecer jogos, atividades e dinâmicas de grupo (movimento). Desenvolver formas de estar que facilitem a curiosidade e a expressividade das crianças através de diferentes meios artísticos. Fruir experiências musicais de qualidade.

Conteúdos

As formas de diálogo e trabalho cooperativo entre diferentes profissionais As ferramentas de trabalho que possam ser relevantes na mediação com as famílias das crianças que frequentam Jardins de Infância. Os efeitos/ poder da voz falada e da linguagem corporal nas orientações educativas numa sala de jardim de infância. Exploração recursos vocais e de movimento, quer a nível individual, quer a nível coletivo. O reportório musical (escuta). O reportório musical (prática vocal). Identificação de jogos, atividades e dinâmicas de grupo (movimento). Formas de estar que facilitem a curiosidade e a expressividade das crianças através de diferentes meios artísticos. Analise de várias experiências musicais de qualidade.

Metodologias

Serão usadas metodologias imersivas que fomentem a vivência de práticas musicais (com destaque para o uso da voz e do movimento) e práticas reflexivas fomentando a consciencialização e transferência das aprendizagens para os respetivos contextos de trabalho. Expositivo / Demonstrativo / Aplicações Práticas

Avaliação

Os/As formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. A avaliação dos Formandos decorre em conformidade com o Regime Jurídico da Formação Contínua, nº2 do artº do ECD, aprovado pelo Decreto-Lei nº 15/2007, de 19 de janeiro e a carta circular CCPFC-3-2007-Setembro.

Modelo

Inquérito de Avaliação de Satisfação

Bibliografia

• Rodrigues, P.; Rodrigues, H.; Rodrigues, Paulo F. eds. (2018). Ecos de GermInArte. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.• Rodrigues, H., Rodrigues, P. J. F., & Silva, P. M. F. R. D. (2016). Ecos de Opus Tutti: Arte para a Infância e Desenvolvimento Social e Humano. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.• COSTA, Patricia. Expressividade cênica no coro infantil e infantojuvenil – relato de observações e experiências. In: ANDRADE, Débora e GABORIM-MOREIRA, Ana Lúcia (Org.). Canto coral infantojuvenil – reflexões e ações. São João del Rey: Mosaico, 2020, p. 35-49.• Companhia de Música Teatral (2022). Rotas de Mil Pássaros. Lisboa: Companhia de Música Teatral.• Recursos didácticos disponíveis em open access em https://milpassaros.com e https://musicateatral.com/cmteca/


Observações

Prioridades: - Educadores/as de Infância da Rede Pública do Concelho de Coimbra, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-02-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
2 28-02-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
3 06-03-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
4 13-03-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
5 20-03-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
6 27-03-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
7 10-04-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
8 17-04-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
9 08-05-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
10 15-05-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
11 22-05-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 18:00 2:00 Presencial
12 29-05-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 251AFCDS01 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121154/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 04-11-2023

Fim: 08-06-2024

Regime: Presencial

Local: OpuSpiritum/ensemble

Formador

António Manuel da Luz Neves Cardo

José Pedro de Matos Figueiredo

Tiago João Gomes Alves

Salomé Alves

Destinatários

Professores dos grupos de recrutamento 250, 610 e docentes dos grupos M1 ao M32

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 250, 610 e docentes dos grupos M1 ao M32. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 250, 610 e docentes dos grupos M1 ao M32.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA / OpuSpiritum/ensemble

Enquadramento

A realização desta formação dará oportunidade aos formandos para desenvolverem as suas competências em direção de sopros. A direção de sopros requer conhecimento aprofundado dos instrumentos musicais assim como as suas especificidades. Ao participarem nesta formação, os formandos terão a oportunidade de estarem em contacto direto com os músicos e poderão adquirir conhecimentos específicos de cada instrumento. Além disso, a formação proporciona uma compreensão e conhecimento de repertório específico para sopros. A seleção de repertório será essencial para o sucesso e a qualidade das performances de todos os envolvidos. Através da formação, os formandos terão acesso a um vasto leque de repertório, abrangendo diversos estilos musicais, períodos históricos e níveis de dificuldade. Irá permitir-lhes ampliarem o seu conhecimento musical, explorar repertório novo e formas de direção que se adequa ao estilo musical trabalhado e a grupos heterogéneos.

Objetivos

· Desenvolver competências e habilidades para direção de sopros; · Aperfeiçoar as técnicas de direção, técnicas de ensaios e técnicas de preparação de ensaios; · Aprofundar conhecimentos musicais e interpretação musical; · Aprofundar o conhecimento de repertório e estilos musicais para sopros.

Conteúdos

• Técnicas de Direção: exploração de técnicas/gestos de direção, incluindo padrões de pulso, expressividade dos gestos, uso do braço e das mãos e comunicação com os músicos. (10h) • Técnicas de Ensaio: exploração de estratégias eficazes para conduzir ensaios produtivos, abordando questões como seleção e organização do repertório, planeamento e estruturação de ensaios, desenvolvimento de habilidades de escuta ativa e feedback construtivo. (10h) • Interpretação Musical: análise e interpretação de partituras para sopros, considerando elementos como articulação, dinâmica, fraseado, equilíbrio sonoro, acentuações e outros aspectos interpretativos relevantes para a direção musical. (5h) • Repertório e Estilos Musicais: exploração de diferentes estilos musicais, incluindo música clássica e contemporânea. Estudo de obras representativas e significativas dentro destes estilos, com ênfase na análise musical, contexto histórico e práticas de interpretação adequadas. (5h) • Prática de Direção em Conjunto: realização de exercícios práticos de direção, com a participação de músicos das bandas convidadas. Os formandos terão a oportunidade de aplicar os conhecimentos adquiridos, trabalhar a comunicação com os músicos e desenvolver as suas capacidades enquanto maestros. (20h)

Avaliação

Os/As formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. Critérios de avaliação: • Participação/ intervenção nas sessões teóricas (20%) • Participação/ intervenção nas sessões práticas (30%) • Trabalho individual Implementação das atividades propostas nas sessões teóricas, nas sessões práticas com banda e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas (30%) • Participação ativa no concerto final (20%)

Bibliografia

Ascensio, Enrique Garcia (2017). Dirección Musical. La Técnica de Sergiu Celibidache, Valencia: Piles Editorial de Música, S.A.Berlioz, Hector (2021). Le Chef D´Orchestre, Paris: Edição BoD – Books on DemandBlum, David (2000). Casals y el arte de la interpretation, Madrid: Ideamúsica Editores, S.LHauswirth, Felix (2005. Étude de La Partition, Adliswill/ Schweiz: Ruh Musik, 8134Whitwell, Sir David (2000). The History and Literature of the Wind Band and Wind Ensemble Vol. IX, Switzerland: Ruh Musik


Observações

Inscrições através do OpuSpiritum/ensemble

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-11-2023 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
2 18-11-2023 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
3 02-12-2023 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
4 06-01-2024 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
5 03-02-2024 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
6 17-02-2024 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
7 02-03-2024 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
8 06-04-2024 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
9 04-05-2024 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
10 08-06-2024 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial

Ref. 255ACD35T2-23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD35-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-05-2024

Fim: 15-05-2024

Regime: Presencial

Local: AE Penacova

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Docentes de todos os níveis de ensino – ESAB

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Escola Secundária de Avelar Brotero

Enquadramento

A plataforma portuguesa Intuitivo.PT é uma ferramenta de avaliação digital para professores, que visa melhorar o processo de avaliação nas escolas. A plataforma permite aos professores criar e partilhar exercícios, publicar avaliações online ou em papel, ver a correção automática e em tempo real, e enviar feedback personalizado aos alunos. A plataforma também oferece opções avançadas de criação de avaliações, como diferentes tipologias de exercícios. A importância da plataforma Intuitivo na escola portuguesa atual é evidente pelo número de instituições e professores que a utilizam. Segundo o site da plataforma, mais de 500 mil avaliações foram realizadas. Além disso, os professores que usam a plataforma partilham as suas experiências positivas, destacando a facilidade de uso, a economia de tempo, a colaboração entre colegas, e a melhoria da experiência e motivação dos alunos1. A plataforma Intuitivo contribui assim para um ensino mais eficiente, eficaz e inovador. Acresce referir que esta plataforma foi contratualizada pelo IAVE para ser a plataforma usada para a avaliação externa dos alunos nas provas globais, provas de fim de ciclo e exames nacionais.

Objetivos

Contacto com a plataforma intuitivo.pt Exploração do funcionamento da plataforma

Conteúdos

• Apresentação da plataforma Intuitivo • Registo na plataforma • Criação e edição de exercícios • Criação e publicação de avaliações, usando os exercícios criados ou os disponíveis na plataforma. • Acompanhamento e analise dos resultados das avaliações

Metodologias

Demonstração do funcionamento da plataforma Exploração prática dos recursos da plataforma

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

https://intuitivo.pt/ https://www.youtube.com/@intuitivopt


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes da Escola Secundária Avelar Brotero, por ordem de inscrição 2º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-05-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 279ACD55-23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD55-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-05-2024

Fim: 15-05-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Infanta D. Maria

Formador

Maria do Céu dos Santos Antunes

Destinatários

Professores de Português e Línguas Estrangeiras

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Escola Secundária Infanta D. Maria

Enquadramento

A criatividade é, afinal, algo que cada indivíduo, a título pessoal, possui e que pode desenvolver, mais ou menos, consoante os seus interesses, motivações e experiências e que pode individualizar cada ser, torná-lo único. A criatividade é, pois, uma ferramenta fundamental no processo de ensino--aprendizagem da leitura e da escrita, pelo que se torna importante adequar as estratégias às necessidades dos nossos alunos, tendo sempre como objetivo permitir que os mesmos desenvolvam outras competências relacionadas com o ato de escrever, baseando-se em processos cognitivos e linguísticos complexos (planeamento, textualização, revisão, correção e reformulação do texto). Sendo a escrita, na história do homem, a sua forma de transmissão de conhecimento organizado, a sua «memória», ela tende também a uma maior especialização e complexidade. Neste sentido, dinamizar formações neste âmbito pretende responder a esta necessidade de especialização, a par da motivação para o trabalho no domínio da escrita, bem como a partilha de práticas e técnicas dos docentes.

Objetivos

a.. Conceber a escrita como uma ‘poética’, recuperando o sentido etimológico de “poiêsis”, quer dizer, algo que se fabrica, que se cria, algo que se produz porque se tem uma certa técnica, um saber-fazer; b. Partir da experiência da leitura de modelos existentes para passar ao estudo desses casos e daí à produção escrita c. Experimentar a escrita a partir de objetos, palavras, textos, músicas, espaços; d. Assumir juízos críticos sobre os textos lidos; e. Adotar juízos críticos sobre as produções textuais próprias e alheias; f. Aplicar técnicas de criatividade à produção de textos escritos; g. Tomar consciência da necessidade de planificar, reescrever e aperfeiçoar os textos; h. Permitir o diálogo com obras do património literário universal.

Conteúdos

1. Situações problemáticas e obstáculos à capacidade de produzir textos e ao domínio de técnicas de escrita. 2. Prática de atividades de escrita criativa: exercícios de estilo, escrita de poemas e contos, outros. 3. Produção de materiais pedagógicos e definição de estratégias para promover o uso criativo e multifuncional da escrita, no âmbito do Português e das Línguas Estrangeiras.

Metodologias

• Exposição de conceitos e orientações; • Trabalho prático em pequenos grupos; • Apresentação dos produtos finais e reflexão partilhada sobre os mesmos.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação

Bibliografia

• Santos, Margarida Fonseca - Razões para Escrever – Nósnalinha, 1ª edição,Fev. 2019; • Sena-Lino, Pedro - Curso de Escrita Criativa I – Porto Editora, 2008; • Sena-Lino, Pedro - Curso de Escrita Criativa II – Porto Editora, 2008; • Alberto Vieira, Vergílio - As palavras são como as cerejas_Oficinas de escrita _ Campo das Letras, 2001, • Rodadari, Gianni - Gramática da Fantasia – Editorial Caminho, 1993; • de Bono, Edward - O Pensamento Lateral, Nova Era, janeiro de 2002; • Lúcia da Costa Magalhães, Vera - À descoberta da escrita criativa: uma professora do outro lado do espelho, Instituto de Letras e Ciências Humanas, Universidade do Minho (Pesquisa Google).


Observações

Critérios de Seleção: 1.º Professores de Português e Línguas Estrangeiras da Escola Secundária Infanta D. Maria, por ordem de inscrição; 2.º Professores de Português e Línguas Estrangeiras das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-05-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 298ACD68 - 23-24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD68-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 11-05-2024

Regime: Presencial

Local: AE Vila Nova de Poiares

Formador

Eduardo Carlos Torres Sequeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Agrupamento de Escolas V. N. Poiares

Enquadramento

A promoção da “Literacia em Saúde Mental” de pessoal docente e não docente constituiu-se como o elemento-chave desta iniciativa, que visa possibilitar o reconhecimento e intervenção precoce face a perturbações da saúde mental dos adolescentes. A literacia em saúde mental é definida como as crenças e conhecimentos acerca dos problemas e perturbações mentais que permitem o seu reconhecimento, gestão e prevenção. Intervenções escolares, com foco na saúde mental das crianças e adolescentes, têm a possibilidade de influenciar o desenvolvimento, de forma que este seja saudável, e de diminuir o risco de desenvolver perturbações de saúde mental. As intervenções devem reforçar a capacidade de o indivíduo e conviventes significativos identificarem e regularem as emoções, melhorarem as alternativas aos comportamentos de risco e aumentarem a resiliência para gerir as situações difíceis, promovendo redes de suporte e apoio. Reconhecendo o peso das experiências adversas da infância para a génese da doença nos adultos, bem como possíveis lacunas no que diz respeito ao conhecimento, procuramos envolver a comunidade escolar, de forma a promover a literacia em saúde mental e promover o desenvolvimento de competências emocionais e relacionais. Uma intervenção que consiga níveis de cumplicidade do desenvolvimento de competências emocionais e relacionais no adolescente e de uma melhor parentalidade, aliada a um aumento de literacia em saúde mental (de pais, professores, auxiliares de ação educativa e profissionais de saúde) será mais eficaz, sendo capaz de transformar fatores de risco em fatores protetores da Saúde Mental e assim contribuir para uma sociedade melhor e mais saudável.

Objetivos

• Promover a literacia em saúde mental da comunidade educativa, com destaque para a deteção precoce de potenciais problemas/perturbações de saúde mental em adolescentes. • Desenvolver competências de comunicação/interação positiva com adolescentes.

Conteúdos

• Fatores de proteção, de risco e causas de perturbações mentais, com destaque para Comportamentos auto-lesivos, Pertutbações do comportamento alimentar e Comportamentos aditivos; • Estratégias de autocuidado e procura de ajuda. • Técnicas de comunicação assertiva; gestão de conflitos; gestão das emoções; resolução de problemas; gestão do processo de mudança e modificação do comportamento.

Metodologias

• 1ª parte - Formativa: método expositivo e interrogativo, com técnicas reflexivas e de discussão de três temas: Comportamentos auto-lesivos, Pertutbações do comportamento alimentar e Comportamentos aditivos. • 2ª parte - Kit MenteCiente: através de vinhetas clínicas e de forma mais interativa, serão apresentadas algumas técnicas: comunicação assertiva; gestão de conflitos; gestão das emoções; resolução de problemas; gestão do processo de mudança e modificação do comportamento. Será colocada em prática a utilização da informação em saúde mental

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

• Barros, A.C.; Coelho, J. A.; Duarte, P. C.; Valadares, S. (2018). Comportamentos Autolesivos e Suicidários na Adolescência: Identificar para ajudar. Coimbra: Instituto de Apoio à Criança – Polo de Coimbra. https://iacrianca.pt/wp-content/uploads/2021/05/livro_coimbra.pdf • DGS (2011). Prevenção de comportamentos dos doentes que põem em causa a sua segurança ou da sua envolvente. Departamento da Qualidade na Saúde. https://www.sembullyingsemviolencia.edu.gov.pt • Martin, I.; Silva, A.; Pedrollo, L.; Leocádio, M.; Vedana, K. (2022). Prevenção do risco de suicídio: guia para profissionais da saúde. Ponta Grossa - PR: Atena, ISBN 978-65-258-0494-1, https://doi.org/10.22533/at.ed.941220809 • Rijo, D.; Brazão, N.; Silva, D.R.; Vagos, P. (2017). Intervenção psicológica com jovens agressores. Lisboa: Pactor • Santos, J.; Erse, M.; Simões, R.; Façanha, J.; Marques, L.; Matos, M.; Loureiro, C.; Quaresma, M.; (2021) "Guia Mais Contigo Educadores" - Guia Mais Contigo Educadores, 1ª Edição, Associação Honorífica da ESEnfC, Coimbra, p1 - 30, ISBN/ISSN: 978-989-33-2653-4, Depósito legal: 492310/21 • Santos, J.; Erse, M.; Simões, R.; Façanha, J.; Marques, L.; Matos, M.; Loureiro, C.; Quaresma, M. (2021) "Mais Contigo 2021. promoção da saúde mental e prevenção de comportamentos suicidários na comunidade educativa" - mais Contigo 2021. Promoção da saúde mental e prevenção de comportamentos suicidários na comunidade educativa, 1ª Edição, ESEnfC, Coimbra, p1 - 138, ISBN/ISSN: 978-989-53081-5-6, Depósito legal: 485704/21 • Silva, A.; Santos, J.; Vedana, K. (2022) "Autolesão não suicida: assistência e promoção da saúde mental" - Autolesão não suicida: assistência e promoção da saúde mental, 1ª Edição, Centro de Apoio de Editorial da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, p1 - 58, ISBN/ISSN: 978-65-88556-06-1


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes do Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Poiares; 2.º - Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva; 3.º - Outros Docentes.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-05-2024 (Sábado) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial

Ref. 292ACD64 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD64-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 08-05-2024

Fim: 08-05-2024

Regime: Presencial

Local: AE Rainha Santa Isabel

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva / AE Rainha Santa Isabel

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo

Conteúdos

Apresentação do AERSI O PADDE no AERSI Descobrindo o Google Workspace do AERSI CGPW e Chromebook Flex – Personalização contas e Rentabilização de equipamentos mais antigos Utilização da IA em contexto de sala de aula A importância das TIC na Escola Inclusiva A Plataforma eTwinning como ferramenta da IA “Explora as Plantas e as Palavras” – Utilização de QRCodes Clube de Programação e Robótica

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm - Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-05-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial

Ref. 297ACD67-23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD67-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 24-04-2024

Fim: 24-04-2024

Regime: Presencial

Local: Biblioteca da Escola E. B. 2, 3 Dra. Alice Gouveia, AECS

Destinatários

Diretores de Turma (2º e 3º CEB) e Professores Titulares de Turma (1ºCEB)

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / A. E. Coimbra Sul

Enquadramento

Esta formação de curta duração surgiu como resposta às necessidades identificadas por muitos docentes do Agrupamento relativamente à implementação de estratégias diferenciadoras e inclusivas, em especial no âmbito das Medidas Universais de suporte à aprendizagem e à Inclusão. Ao nível do 1º ciclo, essas dificuldades surgem, com frequência, relacionadas com a consciência fonológica e a linguagem, fundamentais nos processos de aquisição e desenvolvimento das competências da leitura, pelo que estes aspectos serão detalhados na Formação.

Objetivos

- Partilhar experiências de implementação de Medidas Universais de suporte à aprendizagem e à inclusão - Diferenciação Curricular e Acomodações Curriculares; - Refletir sobre as diversas possibilidades de diferenciação e acomodação curricular propostas pelo DL nº 54/2018; - Propor acomodações curriculares para desenvolvimento da consciência fonológica e da linguagem.

Conteúdos

Diferenciar para Incluir: -Acomodações Curriculares -Consciência Fonológica e Linguagem

Metodologias

Metodologia teórica-prática, com predomínio prático e reflexivo.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.

Bibliografia

D. L. 54/2018, de 6 de Julho Manual de Apoio à Prática, Ministério da Educação (DGE), 2018. Vídeo “Acomodações Curriculares exemplos práticos para Professores e Educadores”, disponível em https://youtu.be/jYB1Qrjb1TY?si=eyplHjM9UsK61E7Z Material de apoio (Métodos): SuperTmatik -Disbedo -Ekui -Dolf -Fonomímico Paula Teles -Dislex, Helena Serra


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Diretores de Turma (2º e 3º CEB) e Professores Titulares de Turma (1ºCEB) do Agrupamento de Escolas Coimbra Sul. 2.º - Docentes do Agrupamento de Escolas Coimbra Sul. 3.º - Docentes das Escolas Associadas do CFAE MINERVA.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-04-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 291ACD63 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD63-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 17-04-2024

Fim: 17-04-2024

Regime: Presencial

Local: AE Vila Nova de Poiares

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva / AE Vila Nova de Poiares

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo

Conteúdos

– ERASMUS+ – Clubes Ciência Viva – A Educação Social na Escola – Plataforma Moodle

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm - Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-04-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial

Ref. 287AFCERS01 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121001/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-04-2024

Fim: 21-05-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Moodle CFAEMinerva / ZOOM

Formador

Ana Paula Ramos Ferreira

Natália de Jesus Albino Pires

Destinatários

Professores dos grupos de recrutamento 200, 210, 220, 300 e 400

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 200, 210, 220, 300 e 400. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 200, 210, 220, 300 e 400.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

Os princípios que orientam e dão base ao Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória traduzem um modelo de escola que visa a promoção de competências essenciais à construção de uma cidadania global. Este documento preconiza uma aprendizagem integrada dos saberes (de forma inter/multidisciplinar), metodologias de trabalho cooperativo (que promovem o inter-relacionamento) e um ensino centrado nos alunos (em que o professor assume o papel de tutor/orientador). Por seu turno, o novo enquadramento legal dado pelo Decreto-Lei 55/2018, desafia as escolas a “Dispor de maior flexibilidade na gestão curricular, com vista à dinamização de trabalho interdisciplinar, de modo a aprofundar, reforçar e enriquecer as Aprendizagens Essenciais”. Cabe, portanto, à escola promover os espaços e os tempos das atividades com vista à promoção do pensamento crítico, da comunicação, da resiliência, do trabalho em equipa, da superação da frustração, da capacidade de resolver problemas complexos ou da adaptação à mudança. À Escola, enquanto ambiente propício à aprendizagem e ao desenvolvimento de competências relevantes nos domínios da atitude cívica individual, do relacionamento interpessoal e intercultural, exige-se-lhe uma reconfiguração capaz de dar resposta a estes tempos de imprevisibilidade e de mudanças aceleradas, promovendo simultaneamente a flexibilidade curricular e a interdisciplinaridade, enquanto prática promotora de interligação de saberes com recurso a propostas didáticas e pedagógicas que suportam aprendizagens autónomas.Torna-se fundamental promover exemplos de interdisciplinaridade, mais ou menos extensíveis a várias áreas do saber, que fomentem o trabalho em equipa entre docentes das diferentes disciplinas.

Objetivos

- Promover a interdisciplinaridade; - Incentivar o trabalho colaborativo entre docentes de diferentes áreas disciplinares; - Promover intercâmbio de experiências letivas entre docentes; - Sensibilizar para metodologias que coadjuvem ao desenvolvimento de competências definidas no PASEO; - Partilhar ferramentas que permitam implementar uma prática docente baseada na interdisciplinaridade; - Aprofundar conhecimentos na área do Português e da História, a partir de uma abordagem interdisciplinar dos conteúdos programáticos.

Conteúdos

1. Epígrafe (3+3h) a. construção da identidade i. siglas ii. abreviaturas iii. toponímia iv. antroponímia v. patronímia vi. classes de palavras (verbos, nomes e adjetivos) 2. Construção de mensagens (3+3h) a. diferentes suportes (pedra, papiro, papel, mural, corpo, digital, som, etc) b. relação dos suportes da mensagem com os objetivos do emissor c. adequação da frase, período, parágrafo, texto a cada suporte d. adequação da frase, período, parágrafo, texto aos objetivos do emissor 3. Tipos de mensagem (3h) a. memorialista (epígrafe, graffiti, tatuagem, redes sociais digitais) b. informativa (telegrama, carta, mail, sms, chats, redes sociais digitais) c. especificidade linguística de cada tipo de mensagem 4. Interdisciplinaridade na prática docente (4h) a. simulação de um ambiente interdisciplinar a partir de um dos conteúdos abordados na ação b. discussão do exercício proposto como exemplo exploratório dos conteúdos abordados durante a ação c. redesenho do exercício proposto 5. Planificação de uma atividade interdisciplinar (3+3h)

Metodologias

Todas as sessões terão uma componente teórica e uma componente prática. Parte-se dos documentos orientadores da prática letiva (AE; Programas), com a identificação dos conteúdos programáticos, e apresentam-se aos formandos guiões de trabalho exemplificativos do caminho exploratório da tipologia de trabalho interdisciplinar.

Avaliação

Os/As formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. Critérios de avaliação: - Participação e intervenção nas sessões (15%) - Tarefas desenvolvidas em grupo (25%) - Tarefas desenvolvidas individualmente (Planificação de uma atividade interdisciplinar) (30%) - Reflexão crítica individual sobre a formação vivenciada e as aprendizagens obtidas/consolidadas em cada módulo da formação (30%)

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

ENCARNAÇÃO, José d’ (1996) – “A epígrafe latina como elemento didáctico”. Boletim de Estudos Clássicos. Coimbra: Associação Portuguesa de Estudos Clássicos. 25, p. 48-52.ENCARNAÇÃO, José d’ (2000) – “A epígrafe latina como elemento didáctico (IX)”. Boletim de Estudos Clássicos. Coimbra: Associação Portuguesa de Estudos Clássicos. 34, p. 97-101.POMBO, Olga (2004). Interdisciplinaridade: ambições e limites. Viseu: Relógio D’Água


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Professores dos grupos de recrutamento 200, 210, 220, 300 e 400 das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição. 2.º - Professores dos grupos de recrutamento 200, 210, 220, 300 e 400 de outras escolas por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-04-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 19-04-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 02-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 03-05-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 09-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 14-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 19-05-2024 (Domingo) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 21-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 268ACD45-23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD45-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 10-04-2024

Fim: 10-04-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas, sala de formação

Formador

Anabela Ruas de Oliveira

Destinatários

Professores da Educação Especial - Gr 910

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Enquadramento

A leitura e a escrita representam o pilar em que assenta a aprendizagem académica, um portal para a inclusão. Contudo, para alguns alunos, aprender a ler é difícil. Para eles, esta aprendizagem carece de estratégias diferenciadas que possam ir ao encontro das suas necessidades. Muitas vezes, “há um longo caminho desde o primeiro contacto com as letras até à descodificação autónoma das palavras e à sua compreensão”. O ensino da leitura nos primeiros anos de escolaridade constitui assim um dos principais desafios dos professores, exigindo conhecimentos sobre desenvolvimento da linguagem e métodos de instrução eficazes. Os professores de Educação Especial em articulação com os docentes titulares de turma implementam estratégias e metodologias que auxiliam a automatização dos mecanismos de leitura. O sucesso deste trabalho carece de um conhecimento cientificamente validado e de experiência. Assim, com esta formação pretende-se contribuir para a partilha, o reforço e o enriquecimento dos conhecimentos dos professores de Educação Especial, discutindo e refletindo sobre práticas pedagógicas inclusivas.

Objetivos

- Conhecer os componentes da leitura e escrita; - Divulgar práticas pedagógicas de sucesso na leitura; - Refletir na importância da individualização da instrução, com base nos dados de avaliação; - Discutir e refletir sobre as potencialidades da integração de métodos multissensoriais (i.e., utilização de gestos articulatórios para fortalecer a consciência fonémica); - Contribuir para criar dinâmicas de trabalho colaborativo que favoreçam a reflexão e partilha de práticas pedagógicas.

Conteúdos

- Enquadramento teórico: componentes da leitura e escrita; - Apresentação breve de algumas metodologias de ensino da leitura e escrita; - Exploração de materiais pedagógicos digitais/plataformas/aplicações; - Importância do ensino explícito e sistemático; - Estruturação de uma aula de apoio à aprendizagem da leitura.

Metodologias

- Exposição; - demonstração; - recursos didáticos; - estudo de caso

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

1. DIREÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO, 2018. Para uma Escola Inclusiva: Manual de Apoio à Prática, Editor: Ministério da Educação/Direção Geral de Educação 2. Elias, C. (2016). Vamos rimar a brincar. Coimbra: Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra. LER – Leitura e Escrita: Recursos. Promover a leitura na escola. https://ler.pnl2027.gov.pt/filedownload/519. Acedido a 8. ago. 2023. 3. Lane, H. B., Contesse, V. A., & Gallingane, C. (2023). Phonics 101: Preparing teachers to provide effective intervention in word reading skills. Intervention in School and Clinic, 59(1), 9-19. https://doi.org/10.1177/10534512221130065 4. Lopes, J. (2021). Ensino e aprendizagem da leitura: fundamentos e aplicações. In Alves, R. & Leite, I. (Edit.) (2021). Alfabetização Baseada na Ciência: Manual do Curso ABC. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, 112-113. https://alfabetizacao.mec.gov.br/images/pdf/manual_do_curso_abc.PDF. Acedido a 7 de janeiro de 2024. 5. Morais, J. (2012). Criar Leitores: o ensino da leitura para professores e encarregados de educação. Porto: Livpsic. PNL 2027. Ensino de correspondências grafema fonema. [Vídeo]. YouTube. https://youtu.be/jhbcIboMgSo?si=vxpCT10zPsgUxw12. Acedido a 8. ago. 2023. 6. Rios, C. (2011). Programa de promoção do desenvolvimento da consciência fonológica. Viseu: Psicosoma. 7. Rombert, J. (2013). O gato comeu-te a língua. Lisboa: A Esfera dos Livros. 8. Rombert, J., Fontes, L. & Caeiro, M. (2009). Ouvir, Dizer e Escrever. Coleção Papa-Sons. Lisboa: Papa-Letras. 9. Santos, J. M. (Apresentador). (2021, 22 de junho). Ensinar a ler, de A a Z. [Podcast]. Nota 20. Iniciativa Educação. https://www.iniciativaeducacao.org/pt/ed-on/podcasts/leitura/ensinara-ler-de-a-a-z. Acedido a 9 ago. 2023 10. Sim-Sim, I. (2008). O ensino da leitura: A decifração. Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular. Lisboa. 11. Sim-Sim, I. (2006). Avaliação da linguagem oral: Um contributo para o conhecimento do desenvolvimento linguístico das crianças portuguesas. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa 12. Teles, P. (2020). A Magia da Leitura: Abecedário e Silabário. Porto: Porto Editora 13. Viana, F. L. & Ribeiro, I. (2020). Fluência e compreensão da leitura. LER – Leitura e Escrita: Recursos. https://ler.pnl2027.gov.pt/texto/fluencia-e-compreensao-na-leiturarecomendacoes. Acedido a 8. ago. 2023


Observações

Critérios de seleção: 1º Professores de Educação Especial do Agrupamento Martim de Freitas, por ordem de inscrição 2º Professores de Educação Especial das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-04-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 290ACD62 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD62-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 10-04-2024

Fim: 10-04-2024

Regime: Presencial

Local: AE Eugénio de Castro

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva / AE Eugénio de Castro

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo

Conteúdos

Partilho logo Inspiro - As práticas inspiradoras do Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro - DAVE - Desafios e benefícios - Plataforma Intuitivo - Outras ferramentas de avaliação digital

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm - Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-04-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial

Ref. 280AFCRBE02 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121237/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 19-03-2024

Fim: 23-04-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Moodle /ZOOM

Formador

Isabel Feliz Andrade Nina

Helena Maria Querido Duque

Destinatários

Professoras(es) Bibliotecárias(os) da área de intervenção das Coordenadoras Interconcelhias RBE Helena Duque e Isabel Nina

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professoras(es) Bibliotecárias(os) da área de intervenção das Coordenadoras Interconcelhias RBE Helena Duque e Isabel Nina. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Rede de Bibliotecas Escolares

Enquadramento

Em 2021, a Rede de Bibliotecas Escolares apresentou publicamente o quadro estratégico para o período entre 2021 e 2027, numa sessão pública online em que divulgou igualmente o seu portal reformulado, com novas valências e recursos e ajustado a esta nova estratégia. Desde então, o mesmo tem continuado a ser aperfeiçoado, tem agregado recursos que se encontravam dispersos por outras plataformas, constituindo-se presentemente como um auxiliar bastante relevante para todos os que desempenham as funções de professor bibliotecário, disponibilizando orientações e recursos de apoio. Assim, torna-se fundamental para os que exercem essas funções conhecerem bem esta ferramenta, de modo a poderem rentabilizar todo o seu potencial nas suas práticas diárias nas bibliotecas escolares.

Objetivos

- Conhecer a estratégia da Rede de Bibliotecas Escolares e o seu portal; - Compreender a arquitetura do portal, localizando agilmente os conteúdos disponibilizados; - Conhecer os princípios e organização das secções específicas do portal RBE; . Usar o portal RBE para fundamentar e apoiar a ação da biblioteca escolar.

Conteúdos

Sessão 1 - O Portal da RBE – arquitetura, Pesquisa e Secções - 3 horas online síncronas - O portal RBE – Arquitetura - O Portal RBE – Pesquisa global - O Portal RBE – Secções: - Projetos - Iniciativas - Suporte > Recursos: “Artes e património com a biblioteca escolar”: Enquadramento/ Bibliografia sugerida/ Propostas de trabalho. Colaboração. - Elaboração de recurso educativo sobre artes e património, fundamentado nos recursos disponibilizados. Sessão 2 - O Portal da RBE: Secções I - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Aprender com a biblioteca escolar: atividades e recursos”: Crescer com a leitura/ Dominar a informação/ Saber usar os media. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Seleção de uma proposta de atividade disponíveis no portal RBE em cada uma das áreas (leitura, media e informação), tendo em conta a sua adequação ao PAA da biblioteca e da escola/ agrupamento. Sessão 3 - O Portal RBE: Secções II - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”: Dinâmicas educativas/ Notas das escolas/ Recursos/ Racismo/ Discriminação. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Elaboração de uma proposta de atividade na área da cidadania, com base nos recursos disponibilizados em “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”. Sessão 4 - O Portal RBE: Secções III - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: Secção “Biblioteca Escolar Digital”: Serviços/ Curadoria de conteúdos/ Instrumentos/ Tutoriais informação e Media/ Práticas/ Organização. Termos e modos de pesquisa. - Seleção de recursos disponibilizados na “Biblioteca Escolar Digital“ que possam ser utilizados ou servir de suporte a uma atividade do PAA da biblioteca ou à proposta de atividade elaborada para a sessão anterior. - Avaliação - apresentação de um dos trabalhos realizados ao longo das sessões de formação, à escolha do formando.

Metodologias

O Curso tem 12h online síncronas. Em cada sessão haverá momentos com um caráter sobretudo expositivo, complementados com vários momentos de interação, tendo como base a pesquisa e exploração, individual ou em grupo, do portal RBE. Promover-se-á ainda a reflexão crítica e a discussão.

Avaliação

- Avaliação contínua. Participação dos formandos ao longo das sessões. - Avaliação dos trabalhos produzidos pelos formandos individualmente e em grupo. - Relatórios críticos individuais dos formandos. A avaliação expressa-se de acordo com a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado na Carta Circular CCPFC-3/2007, de 26 de setembro, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua de professores, e pelos critérios da DGE.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede de Bibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdfPortugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2017) Aprender com a biblioteca escolar. Referencial de aprendizagens associadas ao trabalho das bibliotecas escolares na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017_impres.pdf


Observações

Critério de seleção único: - Professoras(es) Bibliotecárias(os) da área de intervenção das Coordenadoras Interconcelhias RBE Helena Duque e Isabel Nina por ordem de inscrição.

Critério de seleção: - Professoras(es) Bibliotecárias(os) da área de intervenção da Coordenadora Interconcelhia RBE Isabel Nina

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-03-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 26-03-2024 (Terça-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Online síncrona
3 09-04-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 23-04-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 280AFCRBE01 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121237/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 18-03-2024

Fim: 15-04-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Moodle /ZOOM

Formador

Isabel Feliz Andrade Nina

Helena Maria Querido Duque

Destinatários

Professoras(es) Bibliotecárias(os) da área de intervenção das Coordenadoras Interconcelhias RBE Helena Duque e Isabel Nina

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professoras(es) Bibliotecárias(os) da área de intervenção das Coordenadoras Interconcelhias RBE Helena Duque e Isabel Nina. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Rede de Bibliotecas Escolares

Enquadramento

Em 2021, a Rede de Bibliotecas Escolares apresentou publicamente o quadro estratégico para o período entre 2021 e 2027, numa sessão pública online em que divulgou igualmente o seu portal reformulado, com novas valências e recursos e ajustado a esta nova estratégia. Desde então, o mesmo tem continuado a ser aperfeiçoado, tem agregado recursos que se encontravam dispersos por outras plataformas, constituindo-se presentemente como um auxiliar bastante relevante para todos os que desempenham as funções de professor bibliotecário, disponibilizando orientações e recursos de apoio. Assim, torna-se fundamental para os que exercem essas funções conhecerem bem esta ferramenta, de modo a poderem rentabilizar todo o seu potencial nas suas práticas diárias nas bibliotecas escolares.

Objetivos

- Conhecer a estratégia da Rede de Bibliotecas Escolares e o seu portal; - Compreender a arquitetura do portal, localizando agilmente os conteúdos disponibilizados; - Conhecer os princípios e organização das secções específicas do portal RBE; . Usar o portal RBE para fundamentar e apoiar a ação da biblioteca escolar.

Conteúdos

Sessão 1 - O Portal da RBE – arquitetura, Pesquisa e Secções - 3 horas online síncronas - O portal RBE – Arquitetura - O Portal RBE – Pesquisa global - O Portal RBE – Secções: - Projetos - Iniciativas - Suporte > Recursos: “Artes e património com a biblioteca escolar”: Enquadramento/ Bibliografia sugerida/ Propostas de trabalho. Colaboração. - Elaboração de recurso educativo sobre artes e património, fundamentado nos recursos disponibilizados. Sessão 2 - O Portal da RBE: Secções I - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Aprender com a biblioteca escolar: atividades e recursos”: Crescer com a leitura/ Dominar a informação/ Saber usar os media. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Seleção de uma proposta de atividade disponíveis no portal RBE em cada uma das áreas (leitura, media e informação), tendo em conta a sua adequação ao PAA da biblioteca e da escola/ agrupamento. Sessão 3 - O Portal RBE: Secções II - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”: Dinâmicas educativas/ Notas das escolas/ Recursos/ Racismo/ Discriminação. Organização. Termos e modos de pesquisa. Colaboração. - Elaboração de uma proposta de atividade na área da cidadania, com base nos recursos disponibilizados em “Cidadania e Biblioteca Escolar: Pensar e intervir”. Sessão 4 - O Portal RBE: Secções III - 3 horas online síncronas - O Portal RBE – Secções: - Suporte > Recursos: Secção “Biblioteca Escolar Digital”: Serviços/ Curadoria de conteúdos/ Instrumentos/ Tutoriais informação e Media/ Práticas/ Organização. Termos e modos de pesquisa. - Seleção de recursos disponibilizados na “Biblioteca Escolar Digital“ que possam ser utilizados ou servir de suporte a uma atividade do PAA da biblioteca ou à proposta de atividade elaborada para a sessão anterior. - Avaliação - apresentação de um dos trabalhos realizados ao longo das sessões de formação, à escolha do formando.

Metodologias

O Curso tem 12h online síncronas. Em cada sessão haverá momentos com um caráter sobretudo expositivo, complementados com vários momentos de interação, tendo como base a pesquisa e exploração, individual ou em grupo, do portal RBE. Promover-se-á ainda a reflexão crítica e a discussão.

Avaliação

- Avaliação contínua. Participação dos formandos ao longo das sessões. - Avaliação dos trabalhos produzidos pelos formandos individualmente e em grupo. - Relatórios críticos individuais dos formandos. A avaliação expressa-se de acordo com a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado na Carta Circular CCPFC-3/2007, de 26 de setembro, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua de professores, e pelos critérios da DGE.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede de Bibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdfPortugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2017) Aprender com a biblioteca escolar. Referencial de aprendizagens associadas ao trabalho das bibliotecas escolares na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário. https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017_impres.pdf


Observações

Critério de seleção único: - Professoras(es) Bibliotecárias(os) da área de intervenção das Coordenadoras Interconcelhias RBE Helena Duque e Isabel Nina por ordem de inscrição.

Critério de seleção: - Professoras(es) Bibliotecárias(os) da área de intervenção da Coordenadora Interconcelhia RBE Helena Duque

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-03-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 25-03-2024 (Segunda-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Online síncrona
3 08-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 22-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 274AFC10-2023-2024 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118976/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-03-2024

Fim: 26-04-2024

Regime: Presencial

Local: CFAE MINERVA

Formador

Dra Cristina Quadros

Patrícia Isabel Pinto Mano

Destinatários

Educadoras/es de Infância, Professoras/es dos Ensinos Básico e Secundário e Professoras/es do Ensino Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadoras/es de Infância, Professoras/es dos Ensinos Básico e Secundário e Professoras/es do Ensino Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

A (auto) regulação do stress em contexto escolar propicia a possibilidade de estabilizar emoções, obtendo melhorias na concentração, atenção e memória – elementos fundamentais do sucesso escolar e social. Acresce que a emoção e cognição interagem de forma contínua, nutrindo-se e moldando-se recíprocamente. Assim, as aprendizagens são influenciadas e organizadas pelas emoções, razão pela qual um ambiente seguro emocionalmente, é de importância vital para o desenvolvimento de aprendizagens consistentes e com sentido. A estabilidade conseguida através da (auto)regulação consistente do stress, conduzirá ao estabelecimento de relações harmoniosas entre alunos e professores, e alunos entre si, importando, capacitar educadores e professores para a utilização continuada destas estratégias

Objetivos

Discutir epistemológica e praxiologicamente o stress Compreender os efeitos do stress nos processos de ensino e de aprendizagem; Consciencializar para a importância da (auto) regulação do stress nas praticas didático-pedagógicas, Dotar os professores e educadores de estratégias eficazes de (auto) regulação do stress; Tornar a sala de aula num lugar acolhedor em que os alunos se sintam contidos e incluídos; Contribuir para a apropriação de ferramentas pedagógicas que facilitem a criação de vínculos entre alunos e professores e alunos-alunos; Facilitar o papel mediador dos educadores e dos professores; Contribuir para a prevenção de comportamentos disruptivos pouco facilitadores das aprendizagens, como a violência e o bullying; Melhorar a inclusão de alunos com NEE, facilitando a regulação emocional e cognitiva

Conteúdos

• Definição e conceitos (3h) • Aspetos psicológicos e fisiológicos do stress – modelos teóricos (3h) • Estratégias e técnicas de (auto) regulação de stress em contexto de sala de aula (6 horas) • O papel do professor, das famílias e de outros agentes educativos como mediadores (4h) • Stress e inclusão de alunos que necessitam de apoios educativos e sociais especializados (ESSE), vulgo NEE (2 horas) • (Auto) Regulação do stress: Dimensão praxeologica - Análise crítíca de casos práticos e investigações (7h)

Metodologias

As metodologias que configuram este curso apontam para o desenvolvimento de formas proactiva de aprendizagem, afirmando os participantes como co-autores do conhecimento e da acção. As actividades a desenvolver assentam em momentos de Brainstorm seguidos de investigação proactiva de respostas e de discussão, bem como análise de casos, em pequenos grupos, do quadro de referência teórico e praxeológico, aliando a teoria á prática e fomentando a partilha de saberes, de experiências e de práticas

Avaliação

A avaliação dos formandos é feita de modo contínuo com base na participação nas sessões. Propõe-se também a realização de uma reflexão escrita em que seja revelada a consolidação dos conteúdos abordados, evidenciando a aplicação em contexto das temáticas tratadas durante a formação. Os formandos serão avaliados de 0 a 10 valores, conforme Carta Circular n.º 3 de 2007, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos pelos formadores e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.

Bibliografia

McEwen, B. S., & Sapolsky, R. M. (1995). Stress and cognitive function. Current opinion in neurobiology, 5(2), 205-216.Lazar, S. W., Bush, G., Gollub, R. L., Fricchione, G. L., Khalsa, G., & Benson, H. (2000). Functional brain mapping of the relaxation response and meditation. Neuroreport, 11(7), 1581-1585.Flook, I., Goldberg, S. B., Pinger, I., Bonus, K., & Davidson, R. J. (2013). Mindfulness for teachers: a pilot study to assess effects on stress, burnout, and teaching efficacy. Mind Brain and Education, 7(3), 182-195. Doi: 10.1111 / bem.12026Stress Management: Enhance your well-being by reducing stress and building resilience – Harvard Medical School Special Health ReportSelye, H. (1985). History and present status of the stress concept. In A. Monat, & R. Lazarus (Eds.), Stress and coping. New York: Columbia University Press

Anexo(s)


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Educadoras/es de Infância, Professoras/es dos Ensinos Básico e Secundário e Professoras/es do Ensino Especial,, das Escolas Associadas do CFAE Minerva. 2.º - Educadoras/es de Infância, Professoras/es dos Ensinos Básico e Secundário e Professoras/es do Ensino Especial, das Escolas Não Associadas do CFAE Minerva.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-03-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 18-03-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 08-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 15-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
5 22-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
6 29-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
7 06-05-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
8 13-05-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

Ref. 281ACD49-23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD49-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 23-02-2024

Fim: 23-02-2024

Regime: e-learning

Local: Via ZOOM

Formador

Paulo Jorge Carvalho Menezes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva / Universidade de Coimbra

Enquadramento

Seminário/webinar onde serão apresentados os desenvolvimentos efetuados no projeto Eramus+ SEEDS que envolve as Universidades de Coimbra, Toulouse III (França), Ostfalia (Alemanha), Munster Technological University (Irlanda) e que tem como objetivo a construção de suportes “online” e sua exploração no ensino. Além dos desenvolvimentos, serão apresentados os resultados da experiência da sua aplicação e possíveis extensões a outras realidades de ensino. A língua de trabalho será o inglês.

Objetivos

- Dar a conhecer projeto Eramus+ SEEDS

Conteúdos

• Cristina Albuquerque – Vice-reitora UC - Abertura • Teresa Restivo – Membro não executivo do Conselho de Administração da A3ES – Online Technologies in Education: Insights from an Assessment Agency Perspective. • Diana Urbano – Univ. Porto – Assessing the outcome of the use of online tools for engineering students. • Paulo Menezes - UC - The experience of building and using an online support for Computer Graphics learning. • Mary Moloney - UM - Virtual Site Visits for Student Engineers and Scientists. • Kieran Ruane & Mary Moloney - UM - Design Thinking and the Sustainable Development Goals – An Engineering Summer School Experience. • Kieran Ruane - UM - Learning by Doing – Engineering Education through small-scale Construction Projects Learning by Doing – Engineering Education through small-scale Construction Projects. • Jorge Lobo - UC - Online Laboratory for Teaching Digital Circuit Design - What we learnt from experience. • Philippe Joly : Filming a site visit in 3D and 360° for an immersive rendering. • Reinhard Gerndt & Veronique Bizien - Ostfalia - On Remote Student Assessment.

Metodologias

Exposição com recurso a diapositivos, com suporte de videoconferência para os eventuais participantes à distância. Todos os participantes (presencialmente e online) terão um certificado de participação.

Avaliação

Frequência - Inscrição na Plataforma de Gestão do CFAE MINERVA e preenchimneto do formulário de presenças online

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Projeto xseeds.eu .

Anexo(s)

Programa


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-02-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona

Ref. 257ACD37-2023-2024 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD37-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 07-02-2024

Fim: 07-02-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel

Formador

Ana Filomena Jacob de Carvalho Gonçalves Neves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/AE Rainha Santa Isabel

Enquadramento

As atividades realizadas nas escolas por vezes necessitam que os professores tenham competências que nem sempre a formação inicial e continua de professores não consegue dar resposta. Assim para dar resposta ao projeto de comemorações dos 50 anos do 25 de abril existe a necessidade de uma formação em técnicas básicas de crochet. Pretende-se que com esta formação os professores intervenientes consigam difundir a arte milenar do crochet dando assim resposta a dois conteúdos básicos do projeto educativo – a realização do projeto desenhado para as comemorações e a salvaguarda do património imaterial

Objetivos

- Esta formação pretende dar competências aos docentes na área de têxteis ( crochet) - Preparação do ambiente escolar para a Comemoração dos 50 anos do 25 de abril.

Conteúdos

Pequena abordagem da história do crochet Materiais e utensílios a utilizar Pontos básicos de crochet Cordão Ponto raso Ponto baixo Ponto alto Ponto duplo Ponto triplo Acrescentos de linhas Remates

Metodologias

A formação irá decorrer com a metodologia da exemplificação da técnicas que serão experimentadas e repetidas pelos formandos

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação


Observações

Critérios de Seleção: Exclusivo para os docentes do Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel.

Os docentes para esta Ação de Formação deverá trazer o seguinte material: - 1 novelo de linha de algodão verde e outro vermelho n.º 6 e uma tesoura.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-02-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 238ACD22-23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD22-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-12-2023

Fim: 12-12-2023

Regime: Presencial

Local: Delegação de Coimbra da Universidade Aberta, Plataforma ZOOM

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Cáritas Diocesana de Coimbra

Enquadramento

Centro de Dia Sol Nascente é o retomar do Centro Drop-in, um projeto absolutamente inovador no país, que funcionou entre 1989 e 1994. Numa época em que o consumo de drogas era ainda considerado um crime, este Centro apoiava indivíduos adictos em fase de consumo ativo e resultou de uma parceria entre o CEPD, Segurança Social, ARSC e Cáritas Coimbra. Em 1997, após o edifício ter sido submetido a obras de remodelação, surge o Centro de Dia Sol Nascente, licenciado e financiado pelo SPTT com convenção para 30 utentes. O Centro de Acompanhamento e Apoio Psicossocial – Presta serviços a pessoas infetadas pelo VIH/sida, bem como a todas aquelas que, em razão da relação de parentesco ou de afinidade, sejam afetadas pela doença. OBJETIVOS DA RESPOSTA Esta estrutura tem como missão promover a integração social dos indivíduos com comportamentos aditivos e dependências, através da redução do consumo de drogas e da estabilização das condições pessoais, de saúde e profissionais. Visa também ser um espaço de apoio alternativo à família e/ou rua, no sentido da promoção da autonomia, cimentado em princípios de qualidade e inovação. Tendo em conta que que, atualmente, temos verificado uma quase total ausência de intervenção na prevenção e educação para as temáticas que procuramos responder e pelo aumento de incidência dos casos de infeção por VIH, os problemas sociais que os consumos de substâncias tóxicas continuam a representar, sentimos a necessidade de recriar um serviço que possa facilitar a aquisição de competências por parte das pessoas e das comunidades, em ordem a uma maior consciência preventiva. A facilitação destas jornadas insere-se nesta vontade de potenciar conhecimento destas temáticas , ligando a praxis com a academia, e ampliando o nível de intervenção. O consumo de bebidas alcoólicas em Portugal atinge cerca de 90% da população, o que nos permite inferir que o consumo destas bebidas é habitual na quase totalidade das famílias portuguesas. Só através de um melhor conhecimento e estudo do Álcool e dos Problemas Ligados ao Álcool (PLA), poderemos compreender os mecanismos do adoecer e eventualmente das abordagens preventivas. O papel de diversos profissionais é fundamental, não só em relação à prevenção e diagnóstico precoce, mas também ao nível do apoio à recuperação e reintegração de doentes na família e na sociedade em geral. Neste sentido propomo-nos desenvolver um reflexão conjunta sobre temática O Álcool: problema ou desafio na educação para a Saúde?

Objetivos

. Facilitar um momento de aprendizagem e reflexão crítica: . Potenciar o conhecimento sobre os CAD: . Aumentar as estratégias de intervenção em CAD: . Intensificar os projetos de intervenção na prevenção em CAD. . sensibilizar e ampliar conhecimentos em matéria de álcool; . promover competências técnicas e motivar os profissionais para um diagnóstico precoce e para uma abordagem preventiva e educativa; . contribuir para a melhoria e eficácia da prestação de cuidados, fomentando a cooperação interinstitucional.

Conteúdos

1. Epidemiologia dos PLA 2. Bebidas Alcoólicas – tipologias e curva de alcoolémia 3. Manifestações agudas e crónicas no Indivíduo 4. Consequências, respostas e atores sociais 5. Diagnóstico Precoce 6. Intervenção Preventiva

Metodologias

Expositiva Reflexão Crítica Construção de conhecimento

Avaliação

Frequência

Modelo

Expositiva Reflexão Crítica Construção de conhecimento


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes de todos os grupos disciplinares das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2.º - Outros Docentes de todos os grupos disciplinares, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-12-2023 (Terça-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 227ACD12 - 23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD12 - 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.5 horas

Início: 20-11-2023

Fim: 20-11-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária José Falcão

Destinatários

Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Escola Secundária José Falcão

Enquadramento

Consolidação de conhecimentos sobre uma rubrica do domínio da Educação Literária indicada nas Aprendizagens Essenciais relativas ao 12.º Ano da disciplina de Português.

Objetivos

Aprofundar conhecimentos sobre a obra Memorial do Convento, de José Saramago.

Conteúdos

1. Recursos expressivos (a anáfora, a comparação, a enumeração, a ironia e a metáfora). 2. Questões de aula capítulo a capítulo. 3. Relação entre excertos da própria obra. 4. Atividades de comparação de excertos desta obra com excertos de outras obras do mesmo autor e de outros autores. 5. Programação e sumários.

Metodologias

- Exposição - Propostas de exercícios de aplicação - Discussão

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Aprendizagens Essenciais relativas ao 12.º Ano da disciplina de Português.


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 da Escola Secundária José Falcão, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 3.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 de outras Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-11-2023 (Segunda-feira) 16:30 - 20:00 3:30 Presencial

Ref. 237ACD21-23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD21-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 16-11-2023

Fim: 16-11-2023

Regime: Presencial

Local: Delegação de Coimbra da Universidade Aberta, Plataforma ZOOM

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Cáritas Diocesana de Coimbra

Enquadramento

Centro de Dia Sol Nascente é o retomar do Centro Drop-in, um projeto absolutamente inovador no país, que funcionou entre 1989 e 1994. Numa época em que o consumo de drogas era ainda considerado um crime, este Centro apoiava indivíduos adictos em fase de consumo ativo e resultou de uma parceria entre o CEPD, Segurança Social, ARSC e Cáritas Coimbra. Em 1997, após o edifício ter sido submetido a obras de remodelação, surge o Centro de Dia Sol Nascente, licenciado e financiado pelo SPTT com convenção para 30 utentes. O Centro de Acompanhamento e Apoio Psicossocial – Presta serviços a pessoas infetadas pelo VIH/sida, bem como a todas aquelas que, em razão da relação de parentesco ou de afinidade, sejam afetadas pela doença. OBJETIVOS DA RESPOSTA Esta estrutura tem como missão promover a integração social dos indivíduos com comportamentos aditivos e dependências, através da redução do consumo de drogas e da estabilização das condições pessoais, de saúde e profissionais. Visa também ser um espaço de apoio alternativo à família e/ou rua, no sentido da promoção da autonomia, cimentado em princípios de qualidade e inovação. Tendo em conta que que, atualmente, temos verificado uma quase total ausência de intervenção na prevenção e educação para as temáticas que procuramos responder e pelo aumento de incidência dos casos de infeção por VIH, os problemas sociais que os consumos de substâncias tóxicas continuam a representar, sentimos a necessidade de recriar um serviço que possa facilitar a aquisição de competências por parte das pessoas e das comunidades, em ordem a uma maior consciência preventiva. A facilitação destas jornadas insere-se nesta vontade de potenciar conhecimento destas temáticas , ligando a praxis com a academia, e ampliando o nível de intervenção. Neste sentido propomo-nos desenvolver um reflexão conjunta sobre temática Qual o papel das forças de segurança na prevenção em Comportamentos Aditivos e Dependência?

Objetivos

. Facilitar um momento de aprendizagem e reflexão crítica: . Potenciar o conhecimento sobre os CAD: . Aumentar as estratégias de intervenção em CAD: . Intensificar os projetos de intervenção na prevenção em CAD.

Conteúdos

- Comportamentos aditivos. Que prevenção? - O que são comportamentos aditivos. - Causas, fatores de risco e fatores de proteção para comportamentos aditivos - Adoção de comportamentos saudáveis. - Intervenção com envolvimento dos pais -Cooperação Intersectorial. Parecerias na Prevenção. - Policiamento de Proximidade – Projeto a Força da Prevenção. - Legislação

Metodologias

Expositiva Reflexão Crítica Construção de conhecimento

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação de Avaliação da Ação


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes de todos os grupos disciplinares das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2.º - Outros Docentes de todos os grupos disciplinares, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-11-2023 (Quinta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 226ACD11 - 23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD11 - 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.5 horas

Início: 13-11-2023

Fim: 13-11-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária José Falcão

Destinatários

Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Escola Secundária José Falcão

Enquadramento

Consolidação de conhecimentos sobre uma rubrica do domínio da Educação Literária indicada nas Aprendizagens Essenciais relativas ao 12.º Ano da disciplina de Português.

Objetivos

Aprofundar conhecimentos sobre a obra Memorial do Convento, de José Saramago.

Conteúdos

1. O título e as linhas de ação. 2. Caracterização das personagens e relação entre elas. 3. Visão crítica. 4. Dimensão simbólica. 5. A estrutura da obra. 6. Intertextualidade.

Metodologias

- Exposição - Propostas de exercícios de aplicação - Discussão

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Aprendizagens Essenciais relativas ao 12.º Ano da disciplina de Português


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 da Escola Secundária José Falcão, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 3.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 de outras Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-11-2023 (Segunda-feira) 16:30 - 20:00 3:30 Presencial

Ref. 241ACD25-23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD25-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 09-11-2023

Fim: 09-11-2023

Regime: Presencial

Local: FEUC, Auditório | Faculty of Economics, Auditorium

Formador

Clara Isabel Calheiros da Silva de Melo Serrano

Sérgio Gonçalo Duarte Neto

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Faculdade de Psicologia e Ciência da UC | Escola Superior de Educação do IPC

Enquadramento

Suporte de um conjunto de saberes considerado de necessária apreensão pelos mais jovens, por parte do poder político e da sociedade civil, os manuais escolares são um dos objetos mais identificáveis e definidores do processo de ensino-aprendizagem (Sherman et al., 2016; Hadar, 2017). Veja-se que, mesmo perante as mutações tecnológicas que constituem as primícias do nosso tempo, e até durante os momentos mais pedagogicamente complexos da pandemia, este meio se manteve como referência do ensino. Com efeito, acompanhando o curso histórico dos regimes políticos, as suas transformações económicas e sociais, assim como as visões culturais e mentais, sob um pano de fundo quase sempre marcado pelas ideologias dominantes, os manuais têm formado e procurado reform(ul)ar. Importa, pois, ter presente que, desde há muito, que o manual se constituiu como objeto de estudo. Nos últimos anos verificou-se mesmo uma multiplicação das análises levadas a cabo, tendo-se assistido a uma proliferação de estudos que põem a tónica em abordagens comparativas nacionais e transnacionais, que observam as representações sociais (mulher, homem, criança, sociedade, o Outro, etc.) e a construção de identidades múltiplas (sociais, políticas, culturais). Os manuais, nomeadamente os das disciplinas de História e Geografia, são um meio de divulgação em série dos “discursos” e das “imagens” oficialmente aprovadas e, ao mesmo tempo, espelhos das controvérsias societais em torno de questões sensíveis (Klerides 2010; Macgilchrist 2015). Misturam e combinam miríades de fios discursivos, que os ligam a um ambiente social mais vasto (Binnenkade, 2015). Situados na fronteira entre política, história, pedagogia e didática, refletem exigências curriculares, assim como padrões científicos e pedagógicos. Respondem às exigências da sociedade e dos debates políticos (Christophe, 2019). Atualmente, organismos governamentais nacionais e internacionais, ONGs, e instituições académicas e pedagógicas, estão envolvidos em projetos que observam práticas de inculcação e de perpetuação da memória através destas lentes analíticas, não deixando de ter presente a questão do eurocentrismo e da necessária descolonização de alguns pontos de vista. Neste sentido, esta conferência pretende revisitar o tema dos manuais escolares, em estreita ligação com as suas visões do mundo, os seus autores e, evidentemente, os destinatários.

Objetivos

São objetivos deste colóquio analisar e discutir: ▪ Manuais escolares – discurso, poder e produção; ▪ A publicação de manuais – desafios, regulação e mercado; ▪ Os manuais escolares – práticas inovadoras e literacia digital; ▪ Os manuais escolares e a(s) problemática(s) da(s) identidade(s) e da Alteridade(s); ▪ Os manuais escolares – eurocentrismo, nacionalismo e racismo; ▪ Os manuais escolares perante e sob as ditaduras; ▪ Os manuais escolares em democracia e a análise da democracia nos manuais escolares; ▪ Os manuais escolares e o património local; ▪ Os manuais escolares – guerra, violência e educação para a paz; ▪ Os manuais escolares e os lugares de (des)memória; ▪ Os manuais escolares – questão e temas religiosos.

Conteúdos

FEUC, Auditório 09h30: KEYNOTE SPEAKER Peter Gautschi, “School history textbooks - development, uses, effects” 10h45: Painel D.1: PROBLEMATIZANDO OS MANUAIS DE HISTÓRIA EM PORTUGAL ▪ Descobri-quê? – Um espetáculo de teatro para questionar os “descobrimentos" nos manuais escolares de História de Portugal, por Cátia Pinheiro, Dori Nigro, José Nunes, Joyce Souza, Cristina Roldão, Melissa Rodrigues e Nuno Coelho ▪ Sai Vieira, entra Zumbi? O ensino recente da história da escravização através dos manuais de história em Portugal, por Marta Araújo ▪ O Brasil nos manuais escolares do Estado Novo Português, por Sarah Luna de Oliveira ▪ “Dos primeiros povos ao 25 de Abril”: a História de Portugal e o conceito de problematização em um manual escolar do 4.º ano. Reflexões em torno de um estudo de caso, por Débora Dias Debate FEUC, Sala Keynes 10h45: Painel D.2: OS MANUAIS ESCOLARES SOB AS DITADURAS ▪ Os conteúdos históricos presentes nos livros didáticos de Educação Moral e Cívica durante a ditadura militar no Brasil, por Juliana Miranda Filgueiras ▪ El Otro Distinto en el Curriculum y los libros de textos de Argentina en Dictaduras y Democracias (1973- 2022), por Graciela M. Carbone ▪ As políticas sobre os manuais escolares de História: os regimes ditatoriais ibéricos em comparação, por Nelson Araújo Debate FEUC, Auditório 14h30: Painel E.1: LUTAS DE LIBERTAÇÃO E PERMANÊNCIAS COLONIAIS CONTEMPORÂNEA ▪ Os manuais escolares do PAIGC, por Julião Soares Sousa ▪ Os manuais dos animadores culturais depois da Independência na Guiné-Bissau: alfabetização, conscientização e trabalho produtivo, um outro imaginário da Nação, por Melanie Toulhoat ▪ O eurocentrismo em Portugal: reflexões sobre a influência e permanência de uma ideologia colonial na sociedade e educação, por Nuno Miranda Debate FEUC, Sala Keynes 14h30: Painel E.2: OS MANUAIS ESCOLARES – GUERRA, VIOLÊNCIA E EDUCAÇÃO PARA A PAZ ▪ As Invasões Francesas nos manuais escolares portugueses (1895-2022), por Gustavo Gonçalves ▪ ‘Como Portugal foi chamado à guerra’. Analysis of portuguese teaching materials on the First World War, por Sérgio Neto e Clara Isabel Serrano ▪ O Holocausto e a Segunda Guerra Mundial nos manuais escolares portugueses, por Cláudia Ninhos Debate FEUC, Auditório 16h30: Painel F.1: MANUAIS ESCOLARES: REFLEXÕES SOBRE RECURSOS DIDÁTICOS, FONTES E O PAPEL DA HISTORIOGRAFIA ▪ Considerações sobre o ensino de história e os manuais didáticos em Cabo Verde, por Samira Miranda ▪ O que as imagens dos livros didáticos nos contam sobre as disputas de memória no Brasil pós redemocratização, por Ana Paula Caldeira ▪ Considerações sobre o ensino de história e os manuais didáticos no Brasil-Portugal, por Gisella Serrano ▪ Considerações sobre o ensino de história e os manuais didáticos brasileiros: o pós abolição, por Luciano Roza Debate FEUC, Sala Keynes 16h30: Painel F.2: OS MANUAIS ESCOLARES E OS LUGARES DE (DES)MEMÓRIA ▪ El desconocimiento del pasado colonial español en África. Manuales escolares y desmemoria entre las nuevas generaciones, por Jaume Camps Girona ▪ Comparing the Overseas Migration of 1860-1914 in School Textbooks from Three Perspectives (USA, Argentina and Italy), by Vittorio Caporrella ▪ A Utopia do Brasil Rural pelas páginas de Proezas na Roça (1953) de Renato Sêneca Fleury, por Fernando Rodrigues de Oliveira e Agnes Iara Domingos Moraes Debate

Metodologias

Será utilizado o método expositivo, recorrendo às seguintes metodologias: dinâmica de grupo; debate; exposição oral; trabalho individual; reflexão e descoberta. Pretende-se criar um contexto de aprendizagem em que cada formanda/o seja convidada/o a analisar e refletir sobre a sua área científica, os manuais da sua disciplina e a prática com as suas turmas.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação de Avaliação da Ação

Bibliografia

- Cabecinhas, R. (2020). Luso(A)fonias. Memórias cruzadas sobre o colonialismo português. Estudos Ibero-Americanos, 45(2), 16-25. - Choppin, A. (1992). Les manuels scolaires: histoire et actualité. Hachette. - Choppin, A. (2008). Le manuel scolaire, une fausse évidence historique. Histoire de l’Education, 117, 7-56 [https://journals.openedition.org/histoire-education/565]. - Macedo, E. & Ferreira, P. D. (Coord.) (2014). Construindo pilares do projeto europeu com jovens nas escolas: Informação, reflexão e ação. Porto: Comissão Europeia & CIIE. - Morgan, K. E. & Henning, E. (2013). Designing a Tool for History Textbook Analysis. FQS Forum: Qualitative Social Research | Sozialforschung, 14(1) Doi: https://doi.org/10.17169/fqs-14.1.1807. - Nicholls, J. (Ed.) (2006). School History Textbooks Across Cultures: International Debates and Perspectives. Symposium Books. - Piedade, F, Ribeiro, N., Malafaia, C, Loff, M, Menezes, I & Neves, T. (2021). A cidadania europeia na escola: complementando o currículo | European citizenship in school: supplementing the curriculum. Educação e Pesquisa, 47, 1-20. Doi:10.1590/S1678-4634202147230371. - Ribeiro, N., Neves, T., & Menezes, I. (2017). An Organization of the Theoretical Perspectives in the Field of Civic and Political Participation: Contributions to Citizenship Education. Journal of Political Science Education, 13(4), 426-446. Doi:10.1080/15512169.2017.1354765. - Pingel, F. (2000). The European home: representations of 20th century Europe in history textbooks. Strasbourg: Council of Europe.. - Pingel, F. (2001). How to approach Europe? The European dimension in history textbooks. In Leeuw- Roord, J. (ed.), History for today and tomorrow. What does Europe mean for school history. (pp. 205-228).Hamburg, Körber Stiftung.

Anexo(s)

Programa Completo Colóquio


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes de todos os grupos disciplinares das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2.º - Outros Docentes de todos os grupos disciplinares, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-11-2023 (Quinta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 09-11-2023 (Quinta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 240ACD24-23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD24-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-11-2023

Fim: 08-11-2023

Regime: Presencial

Local: Student Hub (FMUC, Rua Larga) e Palácio Sacadura Botte

Formador

Clara Isabel Calheiros da Silva de Melo Serrano

Sérgio Gonçalo Duarte Neto

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Enquadramento

Suporte de um conjunto de saberes considerado de necessária apreensão pelos mais jovens, por parte do poder político e da sociedade civil, os manuais escolares são um dos objetos mais identificáveis e definidores do processo de ensino-aprendizagem (Sherman et al., 2016; Hadar, 2017). Veja-se que, mesmo perante as mutações tecnológicas que constituem as primícias do nosso tempo, e até durante os momentos mais pedagogicamente complexos da pandemia, este meio se manteve como referência do ensino. Com efeito, acompanhando o curso histórico dos regimes políticos, as suas transformações económicas e sociais, assim como as visões culturais e mentais, sob um pano de fundo quase sempre marcado pelas ideologias dominantes, os manuais têm formado e procurado reform(ul)ar. Importa, pois, ter presente que, desde há muito, que o manual se constituiu como objeto de estudo. Nos últimos anos verificou-se mesmo uma multiplicação das análises levadas a cabo, tendo-se assistido a uma proliferação de estudos que põem a tónica em abordagens comparativas nacionais e transnacionais, que observam as representações sociais (mulher, homem, criança, sociedade, o Outro, etc.) e a construção de identidades múltiplas (sociais, políticas, culturais). Os manuais, nomeadamente os das disciplinas de História e Geografia, são um meio de divulgação em série dos “discursos” e das “imagens” oficialmente aprovadas e, ao mesmo tempo, espelhos das controvérsias societais em torno de questões sensíveis (Klerides 2010; Macgilchrist 2015). Misturam e combinam miríades de fios discursivos, que os ligam a um ambiente social mais vasto (Binnenkade, 2015). Situados na fronteira entre política, história, pedagogia e didática, refletem exigências curriculares, assim como padrões científicos e pedagógicos. Respondem às exigências da sociedade e dos debates políticos (Christophe, 2019). Atualmente, organismos governamentais nacionais e internacionais, ONGs, e instituições académicas e pedagógicas, estão envolvidos em projetos que observam práticas de inculcação e de perpetuação da memória através destas lentes analíticas, não deixando de ter presente a questão do eurocentrismo e da necessária descolonização de alguns pontos de vista. Neste sentido, esta conferência pretende revisitar o tema dos manuais escolares, em estreita ligação com as suas visões do mundo, os seus autores e, evidentemente, os destinatários.

Objetivos

São objetivos deste colóquio analisar e discutir: ▪ Manuais escolares – discurso, poder e produção; ▪ A publicação de manuais – desafios, regulação e mercado; ▪ Os manuais escolares – práticas inovadoras e literacia digital; ▪ Os manuais escolares e a(s) problemática(s) da(s) identidade(s) e da Alteridade(s); ▪ Os manuais escolares – eurocentrismo, nacionalismo e racismo; ▪ Os manuais escolares perante e sob as ditaduras; ▪ Os manuais escolares em democracia e a análise da democracia nos manuais escolares; ▪ Os manuais escolares e o património local; ▪ Os manuais escolares – guerra, violência e educação para a paz; ▪ Os manuais escolares e os lugares de (des)memória; ▪ Os manuais escolares – questão e temas religiosos.

Conteúdos

Student Hub, Auditório 2 10h00: KEYNOTE SPEAKER Eckhardt Fuchs 11h15: Painel A.: MANUAIS ESCOLARES – DISCURSO, PODER E PRODUÇÃO ▪ A Autoria dos Manuais Escolares: o que pode um autor esconder, por Fernando José Monteiro da Costa ▪ Desafios na construção de manuais de História – perspetivas na ótica de autores, por Lia Ribeiro e António Ribeiro ▪ As Aprendizagens Essenciais e os manuais de História, por Marta Torres e Miguel Monteiro Barros Debate Palácio Sacadura Botte 14h30: Painel B.1: A PUBLICAÇÃO DE MANUAIS – DESAFIOS, REGULAÇÃO E MERCADO ▪ Publishing textbooks. Historical perspectives on a sector of educational innovation bounded by national institutional barriers in 19th and 20th century Europe, by Steffen Sammler ▪ De la enseñanza intuitiva de Pestalozzi a los manuales de lecciones de cosas: una comparación transnacional, por Eugenia Roldán Vera ▪ El mercado del manual escolar en América Latina: influencia francesa, producción y circulación, 1890- 1940, por Lucia Martínez Moctezuma Debate Palácio Sacadura Botte 14h30: Painel B.2: OS MANUAIS ESCOLARES – PRÁTICAS INOVADORAS E LITERACIA DIGITAL ▪ Manuais de História portugueses (1947-2022): um instrumento curricular ao serviço da educação inclusiva?, por Bruno José da Rocha Pinheiro ▪ (Re)pensar a literacia histórica e digital na sala de aula em 2023: desafios e inovações nos manuais escolares, por Marília Gago, Francisca Sousa, Maria João Barbosa, Marta Moreira, Rafael Sampaio ▪ Os Livros Didáticos depois de um Mundo com Novos Problemas, por Verônica Domingues Almeida Debate Palácio Sacadura Botte 16h30: Painel C.1: OS MANUAIS ESCOLARES E A(S) PROBLEMÁTICA(S) DA(S) IDENTIDADE(S) E DA ALTERIDADE(S) ▪ Diversity or Uniformity: Representing ethnic minorities in Contemporary Kazakhstani History Textbooks, by Karina Narymbetova, Juldyz Smagulova and Medet Baizhakanov ▪ History and geography textbooks in Italy. Representations, discourses and practices, by Maria Lucenti ▪ Analysing visual Communication in History Textbooks in the Contexto f the Reconstruction of Educational Systems in Crisis Regions, by Valerri Goncharov Debate Palácio Sacadura Botte 16h30: Painel C.2: OS MANUAIS ESCOLARES – EUROCENTRISMO E NACIONALISMO ▪ A questão negra em quatro coleções da área de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas do Programa do Livro Didático Nacional (PNLD) de 2021, por Paulo Henrique Fernandes ▪ Diário gráfico e representações sociais: um estudo com os alunos do 1.º ano do Curso de Licenciatura em Educação Básica da Universidade de Cabo Verde, por Osvaldino Monteiro ▪ Colombia en la Escuela: la idea de nación en los libros de Texto Escolar de Ciencias Sociales Contemporáneos, por Sandra Patricia Mejía Rodríguez e Miguel Ángel Gómez Mendoza Debate

Metodologias

Será utilizado o método expositivo, recorrendo às seguintes metodologias: dinâmica de grupo; debate; exposição oral; trabalho individual; reflexão e descoberta. Pretende-se criar um contexto de aprendizagem em que cada formanda/o seja convidada/o a analisar e refletir sobre a sua área científica, os manuais da sua disciplina e a prática com as suas turmas.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação de Avaliação da Ação

Bibliografia

- Cabecinhas, R. (2020). Luso(A)fonias. Memórias cruzadas sobre o colonialismo português. Estudos Ibero-Americanos, 45(2), 16-25. - Choppin, A. (1992). Les manuels scolaires: histoire et actualité. Hachette. - Choppin, A. (2008). Le manuel scolaire, une fausse évidence historique. Histoire de l’Education, 117, 7-56 [https://journals.openedition.org/histoire-education/565]. - Macedo, E. & Ferreira, P. D. (Coord.) (2014). Construindo pilares do projeto europeu com jovens nas escolas: Informação, reflexão e ação. Porto: Comissão Europeia & CIIE. - Morgan, K. E. & Henning, E. (2013). Designing a Tool for History Textbook Analysis. FQS Forum: Qualitative Social Research | Sozialforschung, 14(1) Doi: https://doi.org/10.17169/fqs-14.1.1807. - Nicholls, J. (Ed.) (2006). School History Textbooks Across Cultures: International Debates and Perspectives. Symposium Books. - Piedade, F, Ribeiro, N., Malafaia, C, Loff, M, Menezes, I & Neves, T. (2021). A cidadania europeia na escola: complementando o currículo | European citizenship in school: supplementing the curriculum. Educação e Pesquisa, 47, 1-20. Doi:10.1590/S1678-4634202147230371. - Ribeiro, N., Neves, T., & Menezes, I. (2017). An Organization of the Theoretical Perspectives in the Field of Civic and Political Participation: Contributions to Citizenship Education. Journal of Political Science Education, 13(4), 426-446. Doi:10.1080/15512169.2017.1354765. - Pingel, F. (2000). The European home: representations of 20th century Europe in history textbooks. Strasbourg: Council of Europe.. - Pingel, F. (2001). How to approach Europe? The European dimension in history textbooks. In Leeuw- Roord, J. (ed.), History for today and tomorrow. What does Europe mean for school history. (pp. 205-228).Hamburg, Körber Stiftung.

Anexo(s)

Programa Colóquio


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes de todos os grupos disciplinares das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2.º - Outros Docentes de todos os grupos disciplinares, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-11-2023 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 08-11-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 225ACD10 - 23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD10 - 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.5 horas

Início: 30-10-2023

Fim: 30-10-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária José Falcão

Destinatários

Docentes dos Grupos de Recrutamento 200, 210, 220, 300, 310 e 320.

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Escola Secundária José Falcão

Enquadramento

Consolidação de conhecimentos sobre rubricas do domínio da Gramática referidas nas Aprendizagens Essenciais relativas à disciplina de Português (Ensino Básico e Ensino Secundário).

Objetivos

Consolidar conhecimentos sobre Sintaxe, Semântica e Análise do discurso.

Conteúdos

1. Sintaxe a) frase e oração; b) frase simples e frase complexa; c) funções sintáticas de elementos de uma frase; d) frase complexa: - divisão e classificação de orações; - funções sintáticas desempenhadas por orações subordinadas. 2. Semântica a) valor temporal; b) valor modal; c) valor aspetual. 3. Textualidade a) coerência textual; b) coesão textual.

Metodologias

- Exposição - Propostas de exercícios de aplicação - Discussão

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Aprendizagens Essenciais relativas à disciplina de Português (Ensino Básico e Ensino Secundário).


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Docentes dos grupos de recrutamento 200, 210, 220, 300, 310 e 320 da Escola Secundária José Falcão, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes dos grupos de recrutamento 200, 210, 220, 300, 310 e 320 das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 3.º - Docentes dos grupos de recrutamento 200, 210, 220, 300, 310 e 320 de outras Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 30-10-2023 (Segunda-feira) 16:30 - 20:00 3:30 Presencial

Ref. 224ACD09 - 23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD09 - 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.5 horas

Início: 11-10-2023

Fim: 11-10-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária José Falcão

Destinatários

Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Escola Secundária José Falcão

Enquadramento

Consolidação de conhecimentos sobre uma rubrica do domínio da Educação Literária indicada nas Aprendizagens Essenciais relativas ao 11.º Ano da disciplina de Português.

Objetivos

Aprofundar conhecimentos sobre a obra Sermão de Santo António (aos Peixes), de 1654, de Padre António Vieira.

Conteúdos

1. O conceito predicável e a estrutura da obra. 2. Crítica social e alegoria. 3. Intenção persuasiva e exemplaridade. 4. Recursos expressivos (a alegoria, a comparação, a metáfora, a anáfora, a antítese, a apóstrofe, a enumeração, a gradação, a interrogação retórica).

Metodologias

- Exposição - Propostas de exercícios de aplicação - Discussão

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Aprendizagens Essenciais relativas ao 11.º Ano da disciplina de Português.


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 da Escola Secundária José Falcão, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 3.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 de outras Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-10-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial

Ref. 223ACD08 - 23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD08 - 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.5 horas

Início: 28-09-2023

Fim: 28-09-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária José Falcão

Destinatários

Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Escola Secundária José Falcão

Enquadramento

Consolidação de conhecimentos sobre uma rubrica do domínio da Educação Literária indicada nas Aprendizagens Essenciais relativas ao 11.º Ano da disciplina de Português.

Objetivos

Aprofundar conhecimentos sobre a obra Sermão de Santo António (aos Peixes), de 1654, de Padre António Vieira.

Conteúdos

1. O conceito predicável e a estrutura da obra. 2. Crítica social e alegoria. 3. Intenção persuasiva e exemplaridade. 4. Recursos expressivos (a alegoria, a comparação, a metáfora, a anáfora, a antítese, a apóstrofe, a enumeração, a gradação, a interrogação retórica).

Metodologias

- Exposição - Propostas de exercícios de aplicação - Discussão

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Aprendizagens Essenciais relativas ao 11.º Ano da disciplina de Português.


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 da Escola Secundária José Falcão, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 3.º - Docentes dos grupos de recrutamento 300, 310 e 320 de outras Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-09-2023 (Quinta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial

Ref. 296ACD61-2023-2024 Concluída

Registo de acreditação: ACD61-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 08-05-2024

Fim: 08-05-2024

Regime: Presencial

Local: Sede do Agrupamento de Escolas Vila Nova de Poiares

Formador

Eduardo Carlos Torres Sequeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CDAE Minerva / A. E. Vila Nova de Poiares

Enquadramento

Fazer da leitura um prazer partilhado do texto. Usar o som das palavras para fundir o seu sentido e a inteligibilidade. Pretende-se proporcionar a apropriação de técnicas de leitura em voz alta, para que esta espolete o desejo de se ler aquilo que se ouve e que concomitantemente se traduza num meio de comunicação. Desafios teóricos e práticos. Exercitação e debate. Preparação de um texto para ser lido em voz alta (múltiplas abordagens).

Objetivos

Fazer perceber pela leitura em voz alta todos os sentidos, o espírito imaginário, os saberes que a voz viva leitora transporta e conduz. Proporcionar experiências de leitura em voz alta pela exploração de estratégias e técnicas de leitura

Conteúdos

Descrição critica dos modelos atuais de trabalho com o livro e a leitura. Sugestões de atividades gerais para reformular os espaços e tempos leitores dentro da sala de aula. Abordagens diversas sobre o livro: seleção, manipulação, análise e leitura em voz alta. Compreensão leitora e técnicas de criatividade vocal para a leitura em voz alta. Modelos de trabalho e ferramentas.

Metodologias

Exposição, debate e trabalho de grupos, com o ORADOR CONVIDADO - Rodolfo Castro

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.

Bibliografia

Guia experimental para a leitura em voz alta. VVAA. Editora Boca Habitar o som. Rodolfo Castro. Edição de autor


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Docentes do Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Poiares. 2.º - Docentes das Escolas Associadas do CFAE MINERVA. 3.º - Outros Docentes.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-05-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 269ACD46-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD46-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 17-04-2024

Fim: 17-04-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas - Auditório

Formador

Isabel da Conceição Costa Belo

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do 1.º e 2.º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial.

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Enquadramento

A coordenação das atividades de uma turma ou de um conselho de turma é realizada pelo professor titular ou pelo diretor de turma, o qual é designado pela direção. A operacionalização e monitorização de determinadas dinâmicas, permite assegurar a articulação entre os professores da turma e com os alunos, pais e encarregados de educação; promover a comunicação e formas de trabalho cooperativo entre professores e alunos; coordenar, em colaboração com os docentes da turma, a adequação de atividades, conteúdos, estratégias e métodos de trabalho à situação concreta do grupo e à especificidade de cada aluno; articular as atividades da turma com os pais e encarregados de educação promovendo a sua participação; coordenar o processo de avaliação dos alunos garantindo o seu caráter globalizante e integrador. Atualmente o cargo de direção de turma representa um cargo com uma exigência multidimensional, uma vez que, desempenha funções de mediação, de coordenação, articulação e interface de gestão e docência permitindo a definição de prioridades e linhas de ação.

Objetivos

- Partilhar a legislação em vigor relativa ao cargo de direção de turma; - Refletir sobre a visão, a missão do cargo de direção de turma; - Contribuir para o desenvolvimento de práticas de trabalho colaborativo ao nível organizacional; - Analisar e discutir as interseções entre as lideranças e as parcerias; - Permitir a troca de experiências, o esclarecimento de dúvidas sobre a prática do cargo de liderança intermédia.

Conteúdos

• Contextualização da Legislação em vigor; • Pressupostos para a visão, a missão do cargo de direção de turma; • A relação das práticas de trabalho colaborativo e as estruturas de lideranças intermédias na estrutura organizacional; • A importância de quando e como deverão ser integradas as parcerias nesta interseção com o cargo de direção de turma; • Espaço de partilha de ideias, conhecimentos, experiências que promovam a participação, cooperação e esclarecimento de dúvidas.

Metodologias

A primeira parte da sessão será composta por uma parte teórica, dirigida a todos os docentes. Seguindo-se a segunda parte da sessão com um Painel composto por um elemento da CPCJ, uma docente da Universidade de Coimbra da área das Ciências de Educação e de um elemento do Ministério da Educação.

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

Flores, Manuel (2005). Agrupamento de Escolas - Indução Política e Participação (1.ª ed.). Coimbra: Edições Almedina. Formosinho, João, & Machado, Joaquim (2009). Equipas Educativas - Para uma nova organização da escola (1.ª ed.). Porto Editora. Formosinho, João, et al, (2016). Uma nova organização Pedagógica da Escola - Caminhos de possibilidades (1.ª ed.). Fundação Manuel Leão.

Anexo(s)

Painel da ACD


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas, por ordem de inscrição 2º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-04-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial

Ref. 295ACD59-2024 Concluída

Registo de acreditação: ACD59-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-04-2024

Fim: 15-04-2024

Regime: e-learning

Local: ONLINE Platforma ZOOM e Presencial Auditório DOMUS AEMINIUM

Formador

Celestino Magalhães

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAEM/CCTICSoftciências/ESEC/Colégio Novo

Enquadramento

A Ação de Curta Duração (ACD) é fundamentada na crescente importância da Inteligência Artificial (IA) na educação e na necessidade de preparar os educadores para esta realidade. A IA tem o potencial de transformar a forma como ensinamos e aprendemos, tornando a educação mais personalizada, eficiente e acessível. As ferramentas de IA, pode ser um recurso valioso na sala de aula. No entanto, é crucial que os educadores compreendam como utilizá-lo eficazmente e estejam cientes das implicações éticas e sociais da sua utilização. A empatia, por exemplo, é um aspeto crucial que não deve ser esquecido ao utilizar ferramentas de IA. A ACD proposta visa, portanto, proporcionar aos participantes uma compreensão abrangente do papel da IA na educação, com foco específico no uso do ChatGPT. Através de uma combinação de apresentações, demonstrações práticas e discussões, os participantes terão a oportunidade de explorar as possibilidades e desafios associados ao uso da IA em sala de aula. Além disso, a ACD está projetada para ser interativa e centrada nos participantes para facilitar uma discussão aberta e a partilha de ideias, sendo consistente com as abordagens modernas de aprendizagem profissional, que enfatizam a importância do diálogo, da reflexão e da aprendizagem colaborativa.

Objetivos

- Familiarizar os participantes com a IA e seu papel na educação; - Apresentar estratégias e ferramentas para discutir as suas possíveis aplicações em sala de aula; - Discutir a importância da empatia na utilização de ferramentas de IA;

Conteúdos

Introdução à Inteligência Artificial na Educação: - Breve introdução à Inteligência Artificial (IA) e o seu papel na educação. - Discussão sobre como a IA pode transformar a forma de ensinar e aprender. O caso do ChatGPT: - Apresentação do ChatGPT, as suas funcionalidades e como pode ser utilizado em sala de aula. - Discussão sobre a importância da empatia na utilização de ferramentas de IA e como garantir que a tecnologia não ofusque a humanidade. Demonstração prática:

Metodologias

Exposição e diálogo.

Avaliação

Frequência

Modelo

Avaliação da Ação de Formação

Bibliografia

Michael R. Genesereth, Nils J. Nislsson. 1987. “Logical Foundations of Artificial Intelligence”. Morgan Kaufman Publishers (Capítulos 2, 3 e 4) Coelho, H. – Inteligência Artificial em 25 lições, Fundação Calouste Gulbenkian, 1995. COSTA, E. e SIMÕES, A. – Inteligência Artificial, Fundamentos e Aplicações, FCA, 2004

Anexo(s)


Observações

Esta ACD será realizada no Modelo Streaming. A opção pelo PRESENCIAL será no Auditório Domus AEMINIUM - Fundação Beatriz dos Santos Critério de Seleção: - O Grupo Norte dos Agrupamentos de Escolas do projeto-piloto manuais digitais

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 288PND02 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/1096/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 26-03-2024

Fim: 26-03-2024

Regime: Presencial

Local: CFAE Minerva

Formador

Cristina Maria Ramos Crespo de Carvalho

Clara Maria da Conceição Simões Rodrigues

Destinatários

Pessoal Não Docente dos Agrupamento de Escolas e Escolas Não Agrupadas

Certificado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA / ULS de Coimbra, Departamento de Saúde Pública e ICAD

Enquadramento

Em função do plano de atividades: Com o objetivo de incluir todas as partes interessadas no Projeto Gerações, pretendemos realizar um Workshop teórico-prático, utilizando um suporte teórico-concetual com jogos socioeducativos, capacitando stakeholders da comunidade educativa, melhorando assim a relação adulto/criança em idade pré-escolar. Os Profissionais Não Docentes, em contexto escolar passam muitas horas com as crianças e têm uma grande importância no seu dia-a-dia. É fundamental envolvê-los nos processos formativos, para que o ambiente da comunidade educativa, seja um ambiente acolhedor, de comunicação assertiva e empática, com uma linguagem comum. Se os profissionais/cuidadores que lidam com as crianças tiverem um conhecimento mais reforçado sobre a regulação emocional e até mesmo experiência sobre a área emocional, tornam-se um suporte importante para as crianças ultrapassarem os seus conflitos emocionais. Em função dos destinatários: Os profissionais não docentes, assistentes operacionais que exercem as funções no jardim de infância, executam o seu trabalho com as crianças durante muitas horas, sendo de maior importância a sua capacitação, envolvendo-os nos processos formativos

Objetivos

Capacitar stakeholders da comunidade educativa para uma melhor abordagem na gestão das competências socio emocionais das crianças em idade Pré-Escolar; Promover uma melhor relação adulto/criança em idade Pré-Escolar; Desenvolver competências socio emocionais nas crianças; Promover práticas educacionais positivas; Envolver a comunidade educativa na promoção da literacia em saúde mental e emocional, numa perspetiva global, que potencie o desenvolvimento harmonioso do indivíduo. Reforçar fatores protetores: Pessoais – desenvolver a identidade, autonomia, autoestima/autoconceito, afetos, emoções, sentimentos, relações interpessoais, comunicação; Ambiente escolar - promover a participação, a cooperação, a solidariedade, a aprendizagem, a responsabilidade e a assertividade; Sociais/comunitários – criar condições para um maior envolvimento da comunidade e dos parceiros

Conteúdos

- 6 horas - Formação Inicial

Metodologias

Apresentação. Demonstração do Projeto. Prática.

Avaliação

Avalição Quantitaiva e Qualitativa.

Modelo

Inquérito de Satisfação.

Bibliografia

FONSECA, Vitor da (2016). Importância das emoções na aprendizagem: uma abordagem neuropsicopedagógica. Rev. psicopedag. [online]. 2016, vol.33, n.102 [citado 2023-08-31], pp. 365-384 . Disponível em: lt;http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext amp;pid=S0103- 84862016000300014 amp;lng=pt amp;nrm=iso gt;. ISSN 0103-8486. SILVA, I., Marques, L., Mata, L. amp; Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Ministério da Educação/Direção-geral da Educação (DGE). Webster-Stratton, Carolyn. (2013). Anos Incríveis. Guia de Resolução de Problemas para Pais de Crianças dos 2 aos 8 Anos de Idade. Edições Psiquilíbrios. VALE, V. (2012). Tecer para não ter de remendar: o desenvolvimento socioemocional em idade pré-escolar e o programa Anos Incríveis para educadores de infância. Dissertação de doutoramento em Ciências da Educação, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra].


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-03-2024 (Terça-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
2 26-03-2024 (Terça-feira) 14:00 - 16:00 2:00 Presencial

Ref. 278ACD54-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD54-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 20-03-2024

Fim: 20-03-2024

Regime: Presencial

Local: AE Martim de Freitas

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo

Conteúdos

- O Projeto-piloto dos Manuais Digitais (PPMD) na Martim de Freitas - Visita a turmas de 1º Ciclo com o PPMD - Partilha de experiências de docentes do 5º ano - As editoras no PPMD

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm - Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-03-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial

Ref. 277ACD53-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD53-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 13-03-2024

Fim: 13-03-2024

Regime: Presencial

Local: AE Coimbra Sul

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo

Conteúdos

Partilha de práticas - Diferenciação pedagógica "Khan Academy" (Fernanda Fernandes) - Robótica no 3º ciclo (António Baptista) - "1 hora 1 aplicação" (CRTIC) - Robótica no pré-escolar (Albertina Albuquerque) - A leitura no 1º ano com recurso ao Padlet (Helena Arcanjo) Inteligência Artificial na Educação - Google Gemini - Magic School

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm - Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-03-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial

Ref. 285ACD58-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD58 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-03-2024

Fim: 13-03-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma ZOOM

Formador

Teresa Margarida Loureiro Cardoso

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva / Unversidade Aberta

Enquadramento

Os Recursos Educacionais Abertos (REA) são indispensáveis em contextos educativos, tal como fundamentado, por exemplo, e entre outros referenciais enquadradores, no DigCompEd - Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Constata-se, porém, a necessidade de aprofundar o conhecimento sobre os REA, para que reforçar e sustentar conceções e práticas que conduzam à sua efetiva e eficaz utilização, nos diferentes níveis e contexto de ensino-aprendizagem. Assim, e para atender a necessidades identificadas, nomeadamente no âmbito da Rede Académica WEIWER® (LE@D, Universidade Aberta) e em particular no Programa WEIWERBE (em parceria com a Rede de Bibliotecas Escolares), propõe-se, com a realização desta ACD, reforçar a formação docente e a sua capacitação digital, especificamente em torno dos REA, a saber: enquadramento e referenciais; requisitos legais e técnicos; alojamento e curadoria; pesquisa, acesso e utilização.

Objetivos

- Capacitar os docentes nos Recursos Educacionais Abertos (REA)

Conteúdos

REA: 1. Enquadramento e referenciais 2. Requisitos legais e técnicos 3. Alojamento e curadoria 4. Pesquisa, acesso e utilização

Metodologias

Exposição e Debate

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formaçãol

Bibliografia

DigCompEd - Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores

Anexo(s)


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Prioridade aos docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2.º - Todos os docentes por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-03-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 276ACD52-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD52-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 28-02-2024

Fim: 28-02-2024

Regime: Presencial

Local: ES Avelar Brotero

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo

Conteúdos

- Ferramenta Plickers - Projetos BG digital e Eco B online

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm - Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-02-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial

Ref. 284ACD57 -23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD57-2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 28-02-2024

Fim: 28-02-2024

Regime: Presencial

Local: CFAE MINERVA / AEMF

Formador

Luís Miguel da Silva Gonçalves

Destinatários

Docentes que lecionam Português Língua Não Materna - Coordenadores Departamento

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Enquadramento

A necessidade de uma formação para professores em Português Língua Não Materna (PLNM) é inegável diante de uma sociedade cada vez mais diversificada e globalizada. Essa formação justifica-se pela importância de proporcionar uma educação inclusiva e de qualidade, capaz de atender aos desafios colocados por alunos com diferentes origens linguísticas e culturais. Os professores bem preparados não apenas dominam técnicas de ensino adaptadas às necessidades individuais dos alunos de PLNM, mas também promovem a interculturalidade, o respeito à diversidade e o desenvolvimento de competências essenciais para a comunicação em contextos multiculturais. Além disso, essa formação é fundamental para garantir o cumprimento das legislações e políticas educacionais relacionadas à diversidade linguística e cultural, contribuindo assim para a promoção da igualdade de oportunidades educacionais.

Objetivos

• Promover o entendimento das características e desafios dos alunos de PLNM; • Desenvolver competências pedagógicas adaptadas ao ensino de PLNM; • Promover a interculturalidade e o respeito à diversidade através do ensino de Português como Língua Não Materna (PLNM)

Conteúdos

• Identidade cultural e diversidade linguística • Estratégias interculturais de ensino e aprendizagem • Desenvolvimento de competências interculturais • Material didático e recursos interculturais • Avaliação intercultural

Metodologias

Apresentação; partilha de experiências, Debate

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

• Davi, Albuquerque; Ramos, Rui: O ensino de Português língua não materna: pesquisas e práticas bem sucedidas. Editora Bordô Grena • FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. • BEKERMAN, Zvi; GEISEN, Thomas (eds.) (2011), International Handbook of Migration, Minorities and Education. Understanding Cultural and Social Differences in Processes of Learning, Dordrecht, NL, Springer.


Observações

Critério de Seleção: - Docentes que lecionam Português Língua Não Materna das Escolas Associadas do CFAE Minerva

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-02-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 273ACD50-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD50-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 24-02-2024

Fim: 24-02-2024

Regime: Presencial

Local: ISCAC -Business Schooll - Bencanta

Formador

Hilda Maria dos Santos Pinto Gonçalves

Maria Emília da Ressurreição Borges

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / ISCAC - Coimbra Business School

Enquadramento

No âmbito da parceria do CFAE Minerva e a Coimbra Buisiness School - ISCAC, na Comemoração dos 10 anos de Formação em Gestão Escolar, será realizada uma Ação de Formação de Curta Duração sobre a temática "A importância da Formação em Gestão Escolar para as tomadas de decisões" As exigências que se impõem, atualmente, às escolas requerem educadores e professores com formação adequada, de forma a dar uma resposta de qualidade aos diversos setores que caracterizam a gestão e administração educacional.

Objetivos

- Adquirir algumas noções sobre o desempenho das tarefas de administração e gestão que são atribuídas aos educadores e professores das escolas dos vários níveis de ensino; - Reforçar a necessidade de formar diretores e líderes intermédios capazes de assegurar a direção estratégica das organizações com a maior autonomia e prestando um maior serviço às comunidades em que se inserem. - A Formação contínua de professores ao longo dos últimos anos. - Os desafios da IA na Educação. - A importância da formação em Gestão Escolar para a tomada de decisões.

Conteúdos

– “A formação contínua nos últimos anos” Rui Trindade (Docente Universidade Porto) – “Os desafios da IA na Educação” Marco Bento (Docente Politécnico de Coimbra) – Mesa redonda com elementos que realizaram a PGDGOE “A importância da formação em Gestão para a tomada de decisões - Cristina Ferrão – Diretora da Escola Secundária Infanta D. Maria - António Joaquim – Diretor do Agrupamento de Escolas Montemor o Velho - Cristina Simões – Diretora do Agrupamento de Escolas de Penacova - Nuno Gomes – Diretor do Agrupamento de Escolas Ovar Sul - João Henriques – Presidente do Município de Vila Nova de Poiares Moderação – Alberto Barreira – ex-Diretor do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Metodologias

Será realizada no formato de Seminário

Avaliação

Frequência.

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação.



Ref. 258ACD38-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD38-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 22-02-2024

Fim: 23-02-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Formador

Matilde Maria Carvalho da Costa do Vale Antunes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva

Enquadramento

Uma proposta de leitura em voz alta que nos tira do conforto dos modelos conhecidos e obriga-nos a abordagens de sobrevivência leitora. Voz, corpo e pensamento a abrir caminho no mato dos livros. Crítica dos modelos convencionais. Desafios teóricos e práticos. Exercitação e debate. Preparação de um texto para ser lido em voz alta (múltiplas abordagens).

Objetivos

Apoiar o crescimento e enriquecimento da experiência da leitura dos professores e bibliotecários e ainda dos alunos dos diferentes níveis de ensino.

Conteúdos

Descrição crítica dos modelos atuais de trabalho com o livro e a leitura. Sugestões de atividades gerais para reformular os espaços e tempos leitores dentro da sala de aula. Abordagens diversas sobre o livro: seleção, manipulação, análise e leitura em voz alta. Compreensão leitora e técnicas de criatividade vocal para a leitura em voz alta. Modelos de trabalho e ferramentas.

Metodologias

Exposição, debate e trabalho de grupos.

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.

Bibliografia

Guia experimental para a leitura em voz alta. VVAA. Editora Boca Habitar o som. Rodolfo Castro. Edição de autor


Observações

Critérios de Seleção: 1º - Docentes do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas, por ordem de inscrição. 2º - Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-02-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 23-02-2024 (Sexta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 275ACD51-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD51-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 21-02-2024

Fim: 21-02-2024

Regime: Presencial

Local: AE Penacova

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo

Conteúdos

- Projeto de Inovação - Oficina de Investigar para Aprender e Tecnologia com Arte - Plataforma Inovar – Exploração do DL54 e do Projeto Turma - Assinatura digital – Cartão de Cidadão e Chave Móvel Digital

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm - Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-02-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial

Ref. 270AFLMOM01 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122262/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 17-02-2024

Fim: 29-02-2024

Regime: e-learning

Local: ONLINE - Plataforma ZOOM

Formador

António Manuel da Luz Neves Cardo

Destinatários

Professores dos grupos de recrutamento 250 e 610 e ensino especializado M1 ao M36 e M38.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 250 e 610 e ensino especializado M1 ao M36 e M38.. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 250 e 610 e ensino especializado M1 ao M36 e M38..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A primeira razão que nos levou a propor esta acção de formação prende-se com o facto da oferta de acções nem sempre ir ao encontro das necessidades formativas deste ensino especializado. O facto do formador ser professor do ensino artístico especializado de música (disciplina de História da Cultura e das Artes) permite-lhe ter uma noção dessas mesmas necessidades e, ao mesmo tempo, conseguir propor um plano de formação transversal aos vários grupos de recrutamento considerando fundamental que os docentes dos vários grupos estejam munidos de informação acerca dos vários contextos estéticos, históricos e sociais que envolveram a produção de uma determinada obra musical não se limitando a fazer uma abordagem somente técnica. Esta formação pretende ser um contributo para um melhor conhecimento de obras musicais onde música, ritos, esoterismo e magia foram elementos que estiveram na base de sua criação. Esta acção pretende fazer uma viagem pela relação entre a música, o mistério, a magia e o esoterismo. É também importante dar a conhecer o resultado de investigações que têm sido efectuadas por musicólogos, nestes últimos anos, que se referem às obras compostas com conteúdo e simbolismo maçónico escritas para rituais e sessões maçónicas. Estas obras são muitas vezes completamente desconhecidas do grande público e, infelizmente, também da maioria dos professores de instrumento.

Objetivos

A Ação de Formação proposta permitirá aos docentes, independentemente do seu instrumento, poderem fazer uma abordagem na sua disciplina menos centrada somente na componente técnica mas podendo, paralelamente, contextualizar musicologicamente melhor os conteúdos abordados com os seus alunos. Pretende-se ainda dar a conhecer novo repertório com simbologia maçónica e outros conteúdos esotéricos, resultado de pesquizas recentes da musicologia, assim como, fornecer ferramentas de análise para que os formandos compreendam o processo evolutivo da música na sua relação com o sobrenatural. Para cada tema e compositor abordado, e em sintonia com as necessidades específicas dos formandos, serão dadas algumas ferramentas que os mesmos poderão utilizar ao longo das suas aulas assim como preparação de materiais específicos e adequados ao repertório e conteúdos abordados. Após esta Acão de Formação os docentes estarão munidos de um maior conhecimento de repertório e de compositores que escreveram especificamente com estes intuitos tendo compreendido todo o simbolismo contido nestas músicas.

Conteúdos

MÓDULO 1 – A origem mágica da música Duração: 4 horas A música do Egipto e Mesopotâmia A Grécia e a Harmonia das Esferas A música na Roma Antiga A música na Cultura Cristã Rituais medievais MÓDULO 2 – A música nas Sociedades Secretas Duração: 4 horas A música nos Templários A música na Maçonaria A alquimia durante a Idade Média e Renascimento Geometria, Música e Matemática A Alquimia do Som Os teóricos e as obras simbólicas MÓDULO 3 – “A Flauta Mágica” – uma ópera simbólica Duração: 4 horas O Singspiel O simbolismo presente na obra As personagens e o seu significado simbólico Análise detalhada da partitura para melhor percepção do simbolismo presente Audição de excertos MÓDULO 4 – As óperas de Mozart com conteúdo simbólico Duração: 4 horas Die Freimaurermusik “A Flauta Mágica” – O seu contexto O autor de libreto - Emanuel Johann Schikaneder Breve resumo de A Flauta Mágica Os pormenores maçónicos ocultos na obra MÓDULO 5 – Mozart e outros compositores maçons Duração: 4 horas As Constituições de Anderson e a música Os músicos na ordem maçónica O Cancioneiro de Jacques-Christophe Naudot Mozart e a sua entrada na Maçonaria Obras compostas por Mozart para actos solenes na Maçonaria Ludwig van Beethoven Jean Sibelius Outros compositores e músicos – do erudito, ao jazz e ao popular Autores de referência nesta temática: Paul Nettl, Roges Cotte, Gerard Gefen e Pablo Amafil MÓDULO 6 - Avaliação Duração: 5 horas A avaliação será feita através de um trabalho proposto de acordo com a área de formação do avaliando.

Metodologias

A tipologia das aulas será teórico/práticas. Recorrendo, o mais possível, às ferramentas áudio-visuais será feito um percurso pelas várias obras compostas com conteúdos simbólicos. Aquando o início da Acção de Formação será feito um levantamento dos grupos disciplinares presentes e, na medida do possível, feita uma abordagem que vá directamente ao encontro das necessidades específicas de cada um dos grupos de recrutamento participante na acção. Serão facultadas obras específicas, sempre que possível, aos vários grupos disciplinares. Serão fornecidos materiais diversos e modelos de apresentação de conteúdos aos participantes para que os mesmos os possam utilizar e adaptar aos diversos contextos e necessidades.

Avaliação

A Avaliação deverá ter em conta a frequência da Acção de Formação, a produção de materiais e/ou trabalhos em contexto escolar e apresentação de uma Reflexão Crítica Individual que refira as mais valias dos conteúdos abordados na sua prática educativa. Deverá igualmente apresentar um modelo de aula preparada com estas ferramentas. O modelo desta reflexão deverá conter os seguintes pontos: - Introdução. - Expectativas iniciais. - Avaliação global sobre o cumprimento dos conteúdos. - Reflexão como formando sobre o trabalho realizado. - Implicações no trabalho e desenvolver. - Autoavaliação da acção. - Sugestões de melhoria. - Considerações finais. A classificação será na escala de 1 a 10 com a menção qualitativa de: 1 a 4,9 valores – Insuficiente; 5 a 6,4 valores – Regular; 6,5 a 7,9 valores – Bom; 8 a 8,9 valores – Muito Bom; 9 a 10 valores - Excelente. Os formandos serão avaliados de forma contínua com base nos indicadores abaixo apresentados e respetiva ponderação: • Participação – Assiduidade e pontualidade, interesse e empenho (30%) • Produção de Trabalhos e/ou Materiais em contexto escolar (50%) • Reflexão crítica (20%)

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação

Bibliografia

CAMINO, Rizzardo Da. Ópera Maçónica - A Flauta Mágica: W. A. Mozart, Madras, São Paulo, 2006.COTTE, Roger. La musique maçonnique et ses musiciens. Editions du Borrego, Paris, 1988GROUT, Donald. História da Música Ocidental. Gradiva, Lisboa, 1994.MUÑOZ, Luís Antonio. A História Oculta de la Música, La esfera de los Libros, Madrid, 2020NETTL, Paul. Mozart and Masonry. New York: Dorset Press, 1957


Observações

Critério de Seleção: Ordem de Inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-02-2024 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 17-02-2024 (Sábado) 15:00 - 18:00 3:00 Online assíncrona
3 24-02-2024 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
4 24-02-2024 (Sábado) 15:00 - 18:00 3:00 Online assíncrona
5 02-03-2024 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
6 02-03-2024 (Sábado) 15:00 - 18:00 3:00 Online assíncrona
7 09-03-2024 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
8 09-03-2024 (Sábado) 15:00 - 19:00 4:00 Online assíncrona

Ref. 272ACD48-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD48-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-02-2024

Fim: 08-02-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Formador

Teresa Isabel Pestana Brandão Oliveira

Destinatários

Docentes da Rede de Escolas para a Educação Intercultural (REEI)

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Rede de Escolas para a Educação Intercultural - REEI

Enquadramento

Com o lançamento, em outubro de 2023, de um novo ciclo do programa Rede de Escolas para a Educação Intercultural - REEI (de 2023 a 2027), a Direção-Geral de Educação, o Alto Comissariado para as Migrações (cujas competências transitaram para a Agência de Integração, Migrações e Asilo) e a Fundação Aga Khan assumiram a REEI como um importante reforço e contributo para a implementação de medidas que ganharam relevante expressão com a publicação do Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho, complementada pelo Despacho n.º 6478/2017, de 26 de julho, que homologa o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, e pelas diversas portarias que o regulamentam, evidenciando a obrigatoriedade de elaboração e concretização de uma Estratégia de Educação para a Cidadania em cada Escola / Agrupamento de Escolas, através da criação da componente curricular de Cidadania e Desenvolvimento. A proposta desta ação de curta duração enquadra-se no modelo de governança da REEI, considerando que os parceiros promotores devem incluir propostas de formação na área da interculturalidade que visem apoiar os profissionais das várias escolas-membro na concretização dos pressupostos estipulados nos Termos de Referência da REEI, bem como outras que se venham a justificar face às necessidades identificadas.

Objetivos

a) Revisitar ou compreender e apropriar-se de valores, princípios e conceitos da Educação Intercultural; b) Implementar uma estratégia de envolvimento de todos os intervenientes na Escola, desenvolvendo a cultura organizacional; c) Avaliar o II ciclo da REEI, de forma participada; d) Definir de forma participada o Plano de Ação do III Ciclo da REEI (2023-2027) e) Refletir sobre as práticas de Interculturalidade na Escola, integrada na Estratégia de Educação para a Cidadania de Escola (EECE)

Conteúdos

I – Princípios e conceitos de educação intercultural referentes a: • interculturalidade e multiculturalidade; • pluralismo. • Quadros de referência para refletir sobre a Educação Intercultural. II – Avaliação do II ciclo da REEI e planeamento do III ciclo participados considerando: • os princípios e pilares da REEI: • Princípios da REEI: uma escola com atitudes, práticas e competências interculturais; uma escola inclusiva e reflexiva, que valoriza a diversidade da comunidade educativa como recurso de aprendizagem; uma escola participativa, que, em cooperação, enriquece e é enriquecida em comunidade. • Pilares da REEI: cultura organizacional, currículo, comunidade.

Metodologias

Encontro – presencial (articulação entre momentos de exposição e momentos de debate e reflexão, em grande e em pequenos grupos com recurso a metodologia World Café).

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação.

Bibliografia

Essencial: REEI, Termos de Referência - reei-termos-de-referencia-20232027.pdf (mec.pt) Outra: será facultada durante o Encontro.


Observações

Critérios de seleção: - Docentes das escolas-membro na concretização dos pressupostos estipulados nos Termos de Referência da REEI.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-02-2024 (Quinta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 08-02-2024 (Quinta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 263ACD41-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD41-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 31-01-2024

Fim: 07-02-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de escolas Coimbra Sul

Formador

António Luís Cerdeira Coelho e Silva

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/AE Coimbra Sul

Enquadramento

Esta ação de formação destina-se a professores e educadores e resulta de uma colaboração com a Academia do Plano Nacional das Artes (PNA). Pretende-se criar um momento de reflexão conjunta sobre as questões do Património, permitindo deste modo a atualizar as práticas pedagógicas.

Objetivos

- Desenvolver hábitos de questionamento e problematização face ao saber adquirido ou a novas situações. - Mobilizar conceitos de análise da realidade histórica. - Reconhecer a importância cultural do património e as particularidades de uma comunidade como via de dinamização de projetos de intervenção educativa. - Compreender o património e a história locais como recursos culturais e educativos. - Caracterizar o património local. - Refletir sobre os desafios que se colocam atualmente na relação entre identidade, memória e a construção de uma nova cidadania.

Conteúdos

- Património e patrimónios: nascimento e evolução do conceito. - O papel de Alexandre Herculano: municipalismo, regionalismo e defesa do património. - Instrumentos jurídicos de proteção do património: cartas e convenções, a legislação nacional: do alvará régio de 1721 à Carta de Cracóvia. - A Constituição da República Portuguesa: «Fruição e Criação Cultural.» - Tipologia dos bens e níveis de proteção. Bens móveis e imóveis, monumentos, conjuntos e sítios. Diferentes níveis de classificação. - Bens materiais e imateriais. Património arqueológico, paleontológico, arquivístico, audio-visual, fonográfico, bibliográfico, fonográfico e fotográfico,… - Património e Cidadania: o dever de proteção, associações de defesa do Património, educação patrimonial. Vandalismo no espaço público, uma ameaça ao património. - A Convenção da UNESCO para a proteção do património mundial. O contexto do seu surgimento, breve historial. - A Carta de Porto Santo: cidadania cultural e democracia cultural - Educação patrimonial: o que é? Desafios atuais.

Metodologias

A ação será expositiva, recorrendo à apresentação de diapositivos. Serão fornecidas orientações bibliográficas para aprofundamento autónomo dos temas abordados. Os formandos serão convidados a participar, promovendo-se um ambiente de diálogo e partilha.

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

- António Pinto Ribeiro: Peut-on décoloniser les musées?; conférence, Fondation Calouste Gulbenkian (délegation en France); 2019 - Françoise Choay: Alegoria do Património, Lisboa, Edições 70, 2ª edição, 2006 - Maria Helena Maia: Património e Restauro em Portugal (1825-1852), Lisboa, Colibri, 2007 - Manuel João Ramos (org.): A Matéria do Património. Memórias e Identidades, Lisboa, Colibri, 2003 - J. Amado Mendes: Museus e Educação; Coimbra; Imprensa da Universidade; 2ª edição; 2013


Observações

Critérios de Seleção: 1º - Professores do Agrupamento de Escolas Coimbra Sul, por ordem de inscrição; 2º - Professores das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 31-01-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial
2 07-02-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 271ACD47-23/2 Concluída

Registo de acreditação: ACD47-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 31-01-2024

Fim: 31-01-2024

Regime: Presencial

Local: Auditório Domus Aeminium, na Fundação Beatriz Santos

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA / ESEC

Enquadramento

Iniciativa organizada no âmbito de um projeto europeu que visa desenvolver um conjunto abrangente e detalhado de recursos, estratégias e metodologias pedagógicas para o ensino STEAM, utilizando a proporção áurea como uma referência comum para formar estudantes europeus para se tornarem inovadores, educadores, líderes e alunos do século XXI. Ao aumentar o perfil da abordagem STEAM através de um trabalho inovador e colaborativo, pretendemos tornar as carreiras docentes mais envolventes e diversificadas, abrindo portas a novas e excitantes pedagogias onde os professores possam ter a certeza de que estão a ajudar a satisfazer as necessidades dos seus alunos de hoje e do futuro.

Objetivos

- Interpretar a visão estratégica para a integração digital na educação - Analisar o ecossistema digital na educação e suas potencialidades - Refletir sobre a aprendizagem do século XXI

Conteúdos

Dia 31 de janeiro de 2024 (3h) “A aprendizagem do século XXI, o exemplo do Projeto Colégio 5.0” Paulo Santos e Marco Bento – Colégio Novo de Coimbra Conferências “Uma Visão Estratégica para a integração digital na Educação” Luís Gaspar Diretor de Serviços de Tecnologias e Ambientes Inovadores de Aprendizagem da Direção Regional de Educação “O Ecossistema Digital na Educação: potencialidades” Pedro Coelho HP Portugal “A aprendizagem do século XXI, o exemplo do Projeto Colégio 5.0” Paulo Santos Colégio Novo de Coimbra “O Projeto Steaming Ahead: promover o interesse pelas STEAM” Marco Bento Escola Superior de Educação de Coimbra Apresentação do Livro “Steaming Ahead: MOVING THE STEAM APPROACH FORWARD THROUGH TEACHER-LED COOPERATION” José Alberto Lencastre Universidade do Minho Marco Bento Escola Superior de Educação de Coimbra José Miguel Sacramento Escola Superior de Educação de Coimbra

Metodologias

Exposição e Debate

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação de Avalaição da Ação

Bibliografia

https://steamingahead.eu/


Observações

Citérios de Seleção: 1.º - Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes de Escolas Não Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 31-01-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 259ACD40-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD40-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 24-01-2024

Fim: 31-01-2024

Regime: Presencial

Local: Convento São Francisco

Formador

Helena Rodrigues

Destinatários

Educadores de Infância

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Equipa Mil Pássaros Coimbra

Enquadramento

t.Lab Mil Pássaros – Formação transitiva em Arte para a Infância é uma experiência formativa de natureza holística que trata transversalmente as expressões artísticas e a educação ambiental. Esta formação faz parte da “constelação” Mil Pássaros. As “constelações artístico-educativas" constituem um modelo de trabalho que a Companhia de Música Teatral tem vindo a desenvolver, e que se carateriza pelo facto de diferentes formas de criação e intervenção artística e educativa serem construídas a partir de diferentes relações com um objeto artístico original. É cada vez mais importante chamar a atenção para a necessidade de preservar o mundo em que vivemos e há muitas formas de o fazer. Ensinar a olhar e escutar de forma poética é certamente uma das que faz falta e deve ser promovida desde a primeira infância. A constelação artístico-educativa Mil Pássaros articula criação artística, formação e envolvimento da comunidade através de um conjunto de experiências artístico-educativas de diferente natureza em que se incentiva a escutar a “voz” dos pássaros, num alerta sobre a fragilidade do planeta em que vivemos.

Objetivos

a) Vivenciar (ao nível da música, do movimento e da expressão plástica) conteúdos artísticos presentes na obra PaPI (Peça a Peça Itinerante) - Opus 8. b) Conhecer recursos educativos disponíveis em acesso aberto no site Mil Pássaros que possam ser realizados no contexto de creche e jardim de infância. c) Adquirir ferramentas facilitadoras de uma boa interação entre as famílias e a creche/jardim-de-infância no contexto de Mil Pássaros e uma adequada participação na globalidade do projeto. d) Refletir sobre processos de consciencialização ecológica a partir de elementos de natureza artística.

Conteúdos

Do mundo dos pássaros à escuta da paisagem sonora. Vivência de situações de prática musical ao nível da voz e do corpo com objetos específicos do universo Mil Pássaros. Vivência de situações de aprendizagem ao nível da expressão plástica. Técnicas de pintura a utilizar na instalação-satélite da escola (Primeiros Pássaros). Aprendizagem de estratégias que podem ser implementadas na sala de creche e/ou jardim de infância e familiarização com o conjunto de procedimentos necessários para o envolvimento das famílias no projeto. Preparação da intervenção dos formandos nas creches/jardins-de-infância/escolas visando a participação na constelação Mil Pássaros, nomeadamente na receção de PaPI-Opus 8, Primeiros Pássaros e participação na instalação coletiva final.

Metodologias

Metodologia imersiva e vivencial: a partir do universo dos pássaros e do material artístico da peça de música-teatral PaPI-Opus 8 (peça esta que será apresentada nos locais de trabalho dos formandos) são proporcionadas vivências de voz e movimento, de escuta da “paisagem sonora”, de fruição e experimentação estética multisensorial, integrando a exploração plástica de materiais diversificados.

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.

Bibliografia

1) Companhia de Música Teatral (2022). Rotas de Mil Pássaros. Lisboa: Companhia de Música Teatral. 2) https://milpassaros.com 3) https://vimeo.com/640070701 4) https://vimeo.com/518798647


Observações

Critérios de Seleção: EXCLUSIVO _ Educadoras/es de Infância da rede pública do concelho de Coimbra

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-01-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
2 31-01-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 262ACD42-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD42-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 24-01-2024

Fim: 21-02-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Nicole Metelo Dias

Daniela Alexandra Ferreira Vieira

Cláudia Fernanda Beirão de Sousa Carapito

Destinatários

Prioridade aos Professores da Escola Secundária Avelar Brotero

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Escola Secundária Avelar Brotero

Enquadramento

Devido ao aumento do número de diagnósticos de PEA torna-se fundamental formar e informar educadores e técnicos que fazem o acompanhamento destas crianças e jovens, sobre as peculiaridades desta perturbação, bem como sobre as alternativas eficazes de intervenção. O contexto escolar é um dos espaços onde verifica a maior presença de casos desta forma, este tipo de formação é uma mais valia para o enriquecimento dos docentes.

Objetivos

- Sensibilizar para as Perturbações Específicas do Espectro do Autismo; - Compreensão de um quadro geral desta patologia e de algumas das suas especificidades, como por exemplo as hipersensibilidades; - Estratégias para as PEA em contexto específico de sala de aula.

Conteúdos

1ª sessão: • Autismo e etiologia; • Breve história do autismo; • Causas e avaliação; • Caraterísticas da perturbação; • Intervenções 2ª sessão: • Breve história da terapia comportamental ABA; • Conceitos fundamentais do ABA; • Estratégias comportamentais; • Aplicação em diferentes contextos; • Casos práticos

Metodologias

- Exposição; - demonstração; - recursos didáticos; - estudo de caso

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Filipe, C. N. (2015). Crescer e viver diferente. (1ªed.), Lisboa: Verso Kapa. Fuentes, J. Bakare, M. Munir, K. Aguayo, P. Gaddour, N. Öner, Ö. & Mercadante, M. (2012). Autism spectrum disorders. In J. M. Rey, (coord.), IACAPAP e-Textbook of Child and Adolescent Mental Health (pp. 1–27). Geneva: International Association for Child and Adolescent Psychiatry and Allied Professions. Klin, A. (2006). Autism and Asperger syndrome: an overview. Ver. Bras. Psiquiatr, 1(28), 3-12. Lima, C. B. (2012). Perturbações do Espectro do Autismo: Manual prático de intervenção. Lisboa: Lidel – edições técnica, Lda.

Anexo(s)


Observações

Critérios de Seleção: 1º - Professores da Escola Secundária Avelar Brotero, por ordem de inscrição; 2º - Professores das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-01-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 21-02-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 252AFC01-T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121019/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 20.0 horas

Início: 24-01-2024

Fim: 06-03-2024

Regime: Presencial

Local: Várias Escolas do CFAE Minerva

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

● Documentos de enquadramento das políticas educativas. ● Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. ● Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. ● Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. ● Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. ● CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. ● Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Os/As formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. A avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial. Critérios de avaliação: (exemplo) • Participação – Assiduidade e pontualidade, interesse e empenho nas tarefas propostas (30%) • Produção de Trabalhos e/ou Materiais em contexto escolar (50%) • Reflexão crítica (20%)

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Fernandes, D. (2020). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica. This paper discusses both theoretical and practical issues on pedagogical assessment. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/339955916_Para_uma_Fundamentacao_e_Melhoria_das_Praticas_de_Avaliacao_Pedagogica


Observações

Datas e locais sujeitas a alterações 24/janeiro - ES Dom Dinis 7/fevereiro - AE Martim de Freitas 21/fevereiro - AE Penacova 28/fevereiro - ES Avelar Brotero 6/março - AE Coimbra Sul

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-01-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial
2 21-02-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial
3 28-02-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial
4 13-03-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial
5 20-03-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial

Ref. 267ACD44-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD44-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 24-01-2024

Fim: 24-01-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Dom Dinis

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

No âmbito da capacitação digital dos docentes é determinante para o desenvolvimento de modelos inovadores associados aos processos de ensino e de aprendizagem. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 que aprova o Plano de Ação para a Transição Digital prevê um investimento nas competências digitais (CD) dos docentes e dos formadores. Considera-se, assim, fundamental que os docentes desenvolvam a CD necessária para poderem exercer uma cidadania ativa e usar as tecnologias digitais em contexto profissional, pedagógico e didático, promovendo, posteriormente, o desenvolvimento da CD dos alunos. Dando continuidade às Oficinas de Capacitação Digital de Docentes pretende-se agora a partilha das práticas pedagógicas e inovadoras que vêm sendo desenvolvidas pelos docentes nos mais diversos contextos educativos

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver as suas CD São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo

Conteúdos

- A sala LED – Laboratório Educativo Digital e a Comunidade Educativa - Simplex – A desburocratização e a normalização - eTwinning – Por uma escola sem Muros

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à partilha e exploração de ferramentas e estratégias pedagógicas com recurso ao digital para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação, promovendo reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

- Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm - Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-01-2024 (Quarta-feira) 15:30 - 19:30 4:00 Presencial

Ref. 265AFC13 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121686/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 18.0 horas

Início: 19-01-2024

Fim: 26-01-2024

Regime: e-learning

Local: CFAE Minerva / ZOOM

Formador

Vasco José da Silva Cavaleiro

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva

Enquadramento

O CFAE Minerva entende os seus Planos de Formação como sendo dinâmicos e estando, a qualquer momento, preparados para integrar ações de formação que possam dar resposta a necessidades de formação sentidas e apresentadas pelas suas escolas e agrupamentos associados. A temática da Contratação Pública é recorrentemente referida como sendo uma dessas necessidades dada a importância do seu domínio para o regular funcionamento do setor administrativo-financeiro das escolas e, ainda, tendo em consideração as frequentes alterações introduzidas à legislação que a enquadra. A formação reveste-se duma importância especial no âmbito da operacionalização de projetos financiados pelo FSE e, mais recentemente, dos procedimentos conducentes à instalação dos Centros Tecnológicos Especializados.

Objetivos

O objetivo destas sessões será enunciar e permitir a compreensão aos responsáveis e executores dos AE/ENA quanto aos normativos aplicáveis em matéria de contratação pública, com especial enfoque no âmbito de contratos para a execução de projetos financiados ou cofinanciados por fundos europeus.

Conteúdos

I. Princípios gerais e âmbito de aplicação do CCP 1. Princípios gerais da contratação pública 2. O âmbito objetivo e o âmbito subjetivo do CCP 3. Organização sistemática do CCP II. Dos procedimentos de formação contratual 1. Tipos e critérios de escolha dos procedimentos 2. Fase de Formação do contrato – regras gerais aos procedimentos de contratação 2.1. Decisão de contratar e decisão de autorização de despesa 2.2. Peças do procedimento 2.3 Regras de participação – os impedimentos 2.4. Proposta 2.5. Da constituição do Júri e sua intervenção no procedimento 2.6. Análise e Avaliação das propostas 2.6.1. Exclusão de propostas – motivos materiais e formais 2.6.2. Conceção, estruturação e elaboração do modelo de avaliação das propostas 2.7. Adjudicação 2.8. Documentos de habilitação e sua apresentação 2.9. Caução 2.10. Celebração do Contrato 2.11. Publicitação e Relatórios de contratação 3. Tipos de procedimento e sua tramitação 3.1. Ajuste direto - Regime Geral - Regime Simplificado 3.2. Consulta Prévia 3.3. Concursos públicos - Concurso público normal - Concurso público urgente - Concurso limitado por prévia qualificação Estudos de casos Práticos e elaboração de peças procedimentais III. Contratação eletrónica 1. As Plataformas Eletrónicas de Contratação 2. O Sistema Nacional de Compras Públicas 3. A comunicação e informação sobre todos os contratos celebrados ao abrigo do CCP: Base Gov 4. Acordos Quadro 4.1. Noção 4.2. As Centrais de Compras IV. Execução Contratual 1. Regime dos contratos administrativos 2. Gestor do Contrato 3. Causas e possibilidade de modificação objetiva do contrato 4. Causas e possibilidade de modificação subjetiva do contrato 5. Cumprimento e incumprimento 6. Sanções 7. Invalidade e da ineficácia do contrato

Metodologias

- Disponibilização de diferentes tipos de documentação produzida pelo formador no campo teórico e prático; - Troca de experiências e construção de saberes em grupo; - Utilização do método demonstrativo na resolução de trabalhos teóricos ou práticos sobre os conteúdos do plano da ação; - Utilização do método interrogativo na avaliação de questões; - Utilização do método expositivo na apresentação da estrutura legislativa aplicável; - Intervenção permanente dos participantes, na colocação de questões pertinentes relativas às matérias teóricas ou práticas abordadas; - Apresentação de estudos de caso e trabalho de grupo, privilegiando o debate e esclarecimento de dúvidas no final de cada sessão. - Visualização de apresentações powerpoint respeitantes às diferentes temáticas abordadas nas sessões.

Avaliação

A avaliação dos formandos docentes nas ações de formação do Professor – Centro de Formação de Professores de CFAE MINERVAs, é contínua e participada por todos os intervenientes. Os critérios de avaliação a utilizar são: assiduidade, qualidade da participação no contexto dos objetivos / efeitos a produzir; qualidade do trabalho individual. Para cada critério de avaliação é definida uma escala qualitativa de 5 níveis e uma escala quantitativa, em percentagem, afeta a esses níveis. A média ponderada dos resultados obtidos nos três critérios de avaliação constitui o valor médio de desempenho que é depois traduzido numa classificação quantitativa final, expressa na escala de 1 a 10 valores., conforme se indica: 1 a 4,9 valores - Insuficiente; 5 a 6,4 valores - Suficiente; 6,5 a 7,9 valores - Bom; 8 a 8,9 valores - Muito Bom; 9 a 10 valores - Excelente.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Legislação aplicávelCódigo do Processo AdministrativoFerreira B. & Torres, L. (2012),Perfil de liderança do diretor de escola em Portugal: modos de atuação e estratégias de regulação da cultura organizacional. RBPAE, 28 (1), 86-111Mintzberg, H. (2010). Estrutura e Dinâmica das Organizações, Lisboa, Ed. D. Quixote

Anexo(s)


Observações

Prioridade Única para as Direções das Escolas Associadas do CFAE Minerva

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-01-2024 (Sexta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Online síncrona
2 19-01-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
3 22-01-2024 (Segunda-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Online síncrona
4 22-01-2024 (Segunda-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
5 26-01-2024 (Sexta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Online síncrona
6 26-01-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona

Ref. 266AFCP_PNDT1 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/1122/2024

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 18.0 horas

Início: 19-01-2024

Fim: 26-01-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Vasco José da Silva Cavaleiro

Destinatários

Assistentes Técnicos, Coordenador Técnico, Chefe de Serviços de Administração Escolar e Técnico Superior

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA

Enquadramento

O CFAE Minerva entende os seus Planos de Formação como sendo dinâmicos e estando, a qualquer momento, preparados para integrar ações de formação que possam dar resposta a necessidades de formação sentidas e apresentadas pelas suas escolas e agrupamentos associados. A temática da Contratação Pública é recorrentemente referida como sendo uma dessas necessidades dada a importância do seu domínio para o regular funcionamento do setor administrativo-financeiro das escolas e, ainda, tendo em consideração as frequentes alterações introduzidas à legislação que a enquadra. Em função dos destinatários: A formação reveste-se duma importância especial no âmbito da operacionalização de projetos financiados pelo FSE e, mais recentemente, dos procedimentos conducentes à instalação dos Centros Tecnológicos Especializados.

Objetivos

O objetivo destas sessões será enunciar e permitir a compreensão aos responsáveis e executores dos AE/ENA quanto aos normativos aplicáveis em matéria de contratação pública, com especial enfoque no âmbito de contratos para a execução de projetos financiados ou cofinanciados por fundos europeus

Conteúdos

I. Princípios gerais e âmbito de aplicação do CCP -2h 1. Princípios gerais da contratação pública 2. O âmbito objetivo e o âmbito subjetivo do CCP 3. Organização sistemática do CCP II. Dos procedimentos de formação contratual -8h 1. Tipos e critérios de escolha dos procedimentos 2. Fase de Formação do contrato – regras gerais aos procedimentos de contratação 2.1. Decisão de contratar e decisão de autorização de despesa 2.2. Peças do procedimento 2.3 Regras de participação – os impedimentos 2.4. Proposta 2.5. Da constituição do Júri e sua intervenção no procedimento 2.6. Análise e Avaliação das propostas 2.6.1. Exclusão de propostas – motivos materiais e formais 2.6.2. Conceção, estruturação e elaboração do modelo de avaliação das propostas 2.7. Adjudicação 2.8. Documentos de habilitação e sua apresentação 2.9. Caução 2.10. Celebração do Contrato 2.11. Publicitação e Relatórios de contratação 3. Tipos de procedimento e sua tramitação 3.1. Ajuste direto - Regime Geral - Regime Simplificado 3.2. Consulta Prévia 3.3. Concursos públicos - Concurso público normal - Concurso público urgente - Concurso limitado por prévia qualificação Estudos de casos Práticos e elaboração de peças procedimentais III. Contratação eletrónica-4h 1. As Plataformas Eletrónicas de Contratação 2. O Sistema Nacional de Compras Públicas 3. A comunicação e informação sobre todos os contratos celebrados ao abrigo do CCP: Base Gov 4. Acordos Quadro 4.1. Noção 4.2. As Centrais de Compras IV. Execução Contratual-4h 1. Regime dos contratos administrativos 2. Gestor do Contrato 3. Causas e possibilidade de modificação objetiva do contrato 4. Causas e possibilidade de modificação subjetiva do contrato 5. Cumprimento e incumprimento 6. Sanções 7. Invalidade e da ineficácia do contrato

Metodologias

Exposição dos conteúdos e exemplificação dos documentos a utilizar.

Avaliação

Avalação de acordo com os conhecimentos por inquérito e reflexão crítica.

Modelo

Inquérito de satisfação da Ação.

Bibliografia

- Código de Contratação Pública

Anexo(s)


Observações

Prioridade ao pessoal não docente (destinatários da ação) das Escolas Associadas do CFAE Minerva.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-01-2024 (Sexta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona
2 19-01-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
3 22-01-2024 (Segunda-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona
4 22-01-2024 (Segunda-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
5 26-01-2024 (Sexta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona
6 26-01-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona

Ref. 261ACD43-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD43-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-01-2024

Fim: 12-01-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Coimbra Sul

Formador

Helena Maria Querido Duque

Sofia Isabel Correia Reis

Ana Cristina Coelho Rebelo Arnaut

Destinatários

Professoras(es) Bibliotecárias(os) e Professoras(es) de Educação Especial da Escolas Associadas do CFAE Minerva

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/CRTIC Coimbra/Rede de Bibliotecas Escolares

Enquadramento

No âmbito das prioridades da Rede de Bibliotecas Escolares e do seu quadro estratégico - eixo PESSOAS, reconhece-se o valor das bibliotecas como organizações que promovem a defesa da dignidade humana e da justiça, o compromisso com a equidade e o valor da diversidade, da democracia e da liberdade. Neste contexto, enquadra-se um projeto de colaboração entre a RBE e o CRTIC Coimbra, que visa o desenvolvimento de ações que contribuam para uma educação promotora de práticas e competências de literacia com todos, envolvendo crianças e jovens com necessidade de medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão. A presente ação aposta na divulgação de ferramentas/plataformas digitais para a criação de recursos multiformato inclusivos, dirigidos a alunos que revelem dificuldades na acessibilidade e na utilização da leitura, da escrita e da oralidade. Pretende-se mobilizar diferentes agentes educativos para a construção de conteúdos assente no trabalho colaborativo, criando dinâmicas de partilha entre as bibliotecas escolares, os docentes, incluindo os professores bibliotecários, e o CRTIC Coimbra.

Objetivos

Dar a conhecer as diferentes valências das Bibliotecas Escolares no âmbito da educação inclusiva Sensibilizar para a importância da construção de atividades digitais, que respeitem diferentes meios de ação, representação e envolvimento, através da utilização de diversas ferramentas. Divulgar diferentes ferramentas que permitem a edição de conteúdos digitais: Canva, Bookcreator, StoryJumper, Audacity, Narakeet, Animated Drawings, CapCut, Wordwall, Educaplay Sensibilizar para a importância de divulgar e partilhar recursos educativos multiformato, tornando-os acessíveis às comunidades educativas.

Conteúdos

1. Acessibilidade das Bibliotecas Escolares no âmbito do quadro estratégico da Rede de Bibliotecas Escolares e em conformidade com os normativos legais. 1.1. Biblioteca escolar e serviços de biblioteca: acessibilidade física (localização, acesso e organização) e apoio à sala de aula / espaços de aprendizagem; práticas de leitura inclusiva e formatos acessíveis. 2. Papel das tecnologias na divulgação e na acessibilidade a recursos e materiais. - Divulgação de materiais em formatos acessíveis (histórias multiformato). - Exemplos de Plataformas colaborativas e comunidades de práticas inclusivas. - Da colaboração à criação de comunidades de práticas inclusivas: Partilhas em rede.

Metodologias

Como a divulgação e a partilha dos recursos e materiais pedagógicos constitui um aspeto fundamental desta ação, os formandos terão a oportunidade de se envolver numa comunidade de práticas inclusivas, onde poderão reforçar o trabalho colaborativo na preparação e desenvolvimento de materiais e na troca de ideias e experiências. A metodologia a utilizar será dinâmica e centrada na participação ativa dos formandos.

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/dl_54_2018.pdf https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf https://rbe.mec.pt/np4/file/1089/brochura_tjpl2017.pdf


Observações

Critérios de Seleção: 1º - Professores bibliotecários e professores de educação especial das Escolas Associadas do CFAE Minerva; 2º - Docentes de outros grupos de recrutamento das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-01-2024 (Sexta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 260ACD39-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD39-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 10-01-2024

Fim: 10-01-2024

Regime: Presencial

Local: Convento São Francisco

Formador

Helena Rodrigues

Destinatários

Educadoras/es de Infância da rede pública do concelho de Coimbra

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Equipa Mil Pássaros Coimbra/CMC

Enquadramento

À chamada “emergência climática” talvez devamos acrescentar uma “emergência empática”. E talvez estas duas “emergências” correspondam a uma mesma necessidade de cuidar: cuidar do planeta onde vivemos; cuidar dos seres humanos que o habitam. É cada vez mais importante chamar a atenção para a necessidade de preservar o mundo em que vivemos e há muitas formas de o fazer. Ensinar a olhar e escutar de forma poética é certamente uma das que faz falta e deve ser promovida desde a primeira infância. Este é o cerne de Mil Pássaros em Coimbra, um projeto-âncora de alcance estratégico, dirigido à comunidade pré-escolar do concelho de Coimbra, numa articulação entre a Divisão de Educação, a Divisão de Cultura e a Divisão de Gestão e Programação do Convento São Francisco. O projeto desenvolve-se ao longo do primeiro semestre de 2023, envolvendo 52 turmas do ensino pré-escolar distribuídas por 34 estabelecimentos escolares, os respetivos educadores/as de infância e assistentes operacionais, famílias das crianças participantes e outros cuidadores. A par de uma intensa vertente formativa, serão desenvolvidas atividades nos Jardins de Infância, e haverá grande presença no Convento de São Francisco onde serão desenvolvidas atividades de natureza complementar.

Objetivos

Conhecer o projeto Mil Pássaros na generalidade. Preparar a participação nas atividades que, nesse âmbito, vão ter lugar no Município de Coimbra. Estabelecer contacto com a equipa artística, a equipa de mediação, colegas de profissão de diferentes jardins de Infância do Município e com outros interessados no bem-estar, na educação e cuidados de qualidade na infância.

Conteúdos

Apresentação de PaPI-Opus 8 Apresentação do projeto Mil Pássaros Coimbra Apresentação do Gabinete do Pássaro (Com quem voamos?) Questões e sugestões

Metodologias

Performance artística, palestra e workshops

Avaliação

Frequênca da Ação

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Companhia de Música Teatral (2022). Rotas de Mil Pássaros. Lisboa: Companhia de Música Teatral

Anexo(s)

Programa da Ação de Formação


Observações

Critérios de Seleção: 1º - Educadoras(es) de Infância das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2º - Educadoras(es) de Infância de outras Escolas, da rede pública do concelho de Coimbra, ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-01-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 255ACD35T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD35-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-12-2023

Fim: 13-12-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Avelar Brotero

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Docentes de todos os níveis de ensino – ESAB

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Escola Secundária de Avelar Brotero

Enquadramento

A plataforma portuguesa Intuitivo.PT é uma ferramenta de avaliação digital para professores, que visa melhorar o processo de avaliação nas escolas. A plataforma permite aos professores criar e partilhar exercícios, publicar avaliações online ou em papel, ver a correção automática e em tempo real, e enviar feedback personalizado aos alunos. A plataforma também oferece opções avançadas de criação de avaliações, como diferentes tipologias de exercícios. A importância da plataforma Intuitivo na escola portuguesa atual é evidente pelo número de instituições e professores que a utilizam. Segundo o site da plataforma, mais de 500 mil avaliações foram realizadas. Além disso, os professores que usam a plataforma partilham as suas experiências positivas, destacando a facilidade de uso, a economia de tempo, a colaboração entre colegas, e a melhoria da experiência e motivação dos alunos1. A plataforma Intuitivo contribui assim para um ensino mais eficiente, eficaz e inovador. Acresce referir que esta plataforma foi contratualizada pelo IAVE para ser a plataforma usada para a avaliação externa dos alunos nas provas globais, provas de fim de ciclo e exames nacionais.

Objetivos

Contacto com a plataforma intuitivo.pt Exploração do funcionamento da plataforma

Conteúdos

• Apresentação da plataforma Intuitivo • Registo na plataforma • Criação e edição de exercícios • Criação e publicação de avaliações, usando os exercícios criados ou os disponíveis na plataforma. • Acompanhamento e analise dos resultados das avaliações

Metodologias

Demonstração do funcionamento da plataforma Exploração prática dos recursos da plataforma

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

https://intuitivo.pt/ https://www.youtube.com/@intuitivopt


Observações

Critérios de seleção: 1º Docentes da Escola Secundária Avelar Brotero, por ordem de inscrição 2º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-12-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 249ACD32-2023-2024 Concluída

Registo de acreditação: ACD32-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 06-12-2023

Fim: 06-12-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Formador

Maria José Alves Domingos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Enquadramento

Tendo em conta os desafios que o mundo hoje nos coloca sobre a urgência de minimizar o impacto ambiental e associando essa necessidade a uma época de festejos e comemorações que se aproxima, o desafio passará pela realização/criação de um objeto artístico sustentável, alusivo à época Natalícia, recorrendo a materiais reutilizados. Transformar, reutilizando materiais e dando-lhes uma nova vida, deverá fazer parte da rotina das sociedades. Urge salvar o planeta! Cada um de nós deverá sentir vontade de participar e ajudar na construção de um mundo melhor e a arte dota o indivíduo de ferramentas que ajudam nesse processo. Educar pela arte não é mais do que utilizar as ferramentas, que as mais diversas formas artísticas nos proporcionam, permitindo dessa forma que nos tornemos cidadãos mais sensíveis, atentos e participativos, num mundo cada vez mais complexo, exigente e com necessidade de mudança. A arte tem também a função terapeuta. Este Workshop destina-se a docentes que queiram promover práticas mais sustentáveis na decoração de Natal. Reutilização de revistas, jornais e outros materiais. O trabalho manual de dobrar papel estimula as habilidades motoras com uma ênfase no desenvolvimento da organização, na elaboração de sequências de atividades, na memorização de passos e coordenação motora fina do aluno. Atividades em grupo favorecem a cooperação, bem como a paciência e a socialização. O resultado das dobragens, além de um incentivo à realização pessoal e à autoestima, é um motivo especial para presentear pais, amigos criando uma saudável conexão escola/casa. Reciclar revistas e jornais para criar enfeites de Natal é uma ótima maneira de promover a sustentabilidade e a criatividade.

Objetivos

- Reduzir o desperdício - Promoção da sustentabilidade - Criatividade e expressão artística - Partilha do conhecimento . Comunicação e linguagem; . A comunicação visual; . Estrutura/Forma/Função; . Formas Naturais; . Proporção e harmonia; . Metodologia do design de objetos; . Imaginação/Criação e Reutilização.

Conteúdos

- Conscientização Ambiental; - Materiais Reciclados e Sustentabilidade; - Técnicas de Reciclagem Criativa; - Habilidades de Corte e Colagem; - Trabalho em Equipe; - Ornamentação e Personalização; - Demonstrar a importância que, no quotidiano de cada indivíduo, têm as manifestações artísticas e culturais, associando à sustentabilidade; . Respeitar e conservar o património artístico e cultural preservando o meio ambiente; . Comemorar datas e tradições de forma sustentável; . Prevenir para o impacto negativo que o consumo em excesso tem, na destruição do planeta; - Apresentação e Exposição.

Metodologias

Exposição dos conteúdos e aplicação prática.

Avaliação

Frequência.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.


Observações

Critérios de Seleção: - 1º Docentes do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas; - 2º Docentes das Escolas Associadas do Centro de Formação da Associação de Escolas Minerva.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-12-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

Ref. 245ACD29-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD29-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 05-12-2023

Fim: 05-12-2023

Regime: e-learning

Local: Plataforma ZOOM

Formador

José António Esteves Rêgo

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel

Enquadramento

O eTwinning é uma comunidade de escolas europeias que foi criada em 2005, por iniciativa da Comissão Europeia no âmbito do programa e-Learning da União Europeia. Atualmente, faz parte do Programa Erasmus+. Essa comunidade tem por base um portal europeu, www.etwinning.net, que é destinado a professores, diretores e bibliotecários, abrangendo desde a educação pré-escolar até ao ensino secundário, seja no ensino público ou privado. A plataforma oferece um espaço onde estes profissionais podem comunicar, colaborar, compartilhar e desenvolver projetos com outros agentes educativos europeus, de modo a reforçar e ampliar a rede de aprendizagens europeia, através da utilização das tecnologias da informação e comunicação (TIC). A comunidade eTwinning conta com um Serviço Central de Apoio (CSS) sediado em Bruxelas, na European Schoolnet, e colabora com trinta e três Serviços Nacionais de Apoio (NSS) em vários países europeus. Em Portugal, o NSS está vinculado à Direção-Geral de Educação (DGE), especificamente à Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (ERTE), cujo site é www.etwinning.dge.mec.pt. O NSS português tem-se dedicado à formação de professores na metodologia de trabalho de projeto com base no eTwinning e na utilização integrada das tecnologias da informação e comunicação (TIC) em sala de aula.

Objetivos

• Compreender a filosofia subjacente aos projetos eTwinning; • Discutir formas de integrar no currículo das suas disciplinas o projeto eTwinning e, assim, repensar a metodologia utilizada em contexto de sala de aula; • Partilhar as boas práticas do AERSI.

Conteúdos

O projeto eTwinning e as competências do século XXI; O eTwinning na base da aprendizagem colaborativa e das competências do século XXI; Partilha dos projetos eTwinning do AERSI, em que os docentes envolvidos receberam o selo de qualidade nacional em 2023.

Metodologias

Exposição e partilha de projetos eTwinning do AERSI. Apresentação das Boas Práticas do projeto eTwinning no AERSI pelas docentes Maria Francisca Pessoa e Margarida Carreira

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação de Avaliação da Ação

Bibliografia

Uma viagem pelo. (n.d.). Retrieved October 1, 2023, from https://www.etwinning.pt/site/sites/default/files/Documentos/PDF/Viagem.pdf Construir uma cultura de inclusão através do eTwinning. (n.d.). Retrieved October 1, 2023, from https://www.etwinning.pt/site/sites/default/files/Documentos/PDF/etwinning_book_pt_inclusao.pdf


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes do Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel, por ordem de inscrição; 2.º - Ourtos docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Apresentação das Boas Práticas do projeto eTwinning no AERSI pelas docentes Maria Francisca Pessoa e Margarida Carreira

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 05-12-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 247ACD30-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD30-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 29-11-2023

Fim: 29-11-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Enquadramento

O programa de digitalização para as Escolas, no âmbito do Plano de Ação para a Transição Digital, de 21 de abril de 2020 (RCM n.º 30/2020), prevê o desenvolvimento de um projeto-piloto na área dos Manuais Digitais, com início no ano letivo 2020/2021, e um possível alargamento a todas as escolas nos anos letivos seguintes. O Agrupamento de Escolas Martim de Freitas é uma das Escolas piloto dos Manuais Digitais desde 2020/2021. Este ano letivo houve um alargamento das turmas com os Manuais Digitais.

Objetivos

Pretende-se constituir espaços de conhecimento, partilha e reflexão sobre diferentes questões da Educação e da Prática Educativa, muito particularmente questões relacionadas com a inovação pedagógica, tecnologia na educação, espaços de aprendizagem e desenvolvimento profissional docente, no âmbito dos Manuais Digitais.

Conteúdos

- A geração de Manuais Digitais e as Plataformas como ecossistema digital - A Escola Digital – Plataforma Escola Virtual - Práticas Pedagógicas com a naturalização do digital

Metodologias

Exposição e partilha de Plataformas Digitais - Manuais Digitais

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes do Agrupamento de Escolas da Martim de Freitas, por ordem de inscrição; 2.º - Ourtos docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-11-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial

Ref. 157AFC04T4 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116692/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 25-11-2023

Fim: 16-12-2023

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

António Manuel da Luz Neves Cardo

Destinatários

Docentes do Ensino da Música dos grupos 250, 610 e Ensino Especializado M1 ao M36 e M38

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes do Ensino da Música dos grupos 250, 610 e Ensino Especializado M1 ao M36 e M38. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes do Ensino da Música dos grupos 250, 610 e Ensino Especializado M1 ao M36 e M38.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Academia de Música de Pereira

Enquadramento

A primeira razão que nos levou a propor esta acção de formação prende-se com o facto da oferta de acções nem sempre ir ao encontro das necessidades formativas deste ensino especializado. O facto do formador ser professor do ensino artístico especializado de música (disciplina de História da Cultura e das Artes) permite-lhe ter uma noção dessas mesmas necessidades e, ao mesmo tempo, conseguir propor um plano de formação transversal aos vários grupos de recrutamento considerando fundamental que os docentes dos vários grupos estejam munidos de informação acerca dos vários contextos estéticos, históricos e sociais que envolveram a produção de uma determinada obra musical não se limitando a fazer uma abordagem somente técnica. É também importante dar a conhecer o resultado de investigações que têm sido efectuadas por musicólogos, nestes últimos anos, que se referem ao papel da mulher no acto da criação/composição de obras musicais muitas delas já se encontrando hoje estudadas e gravadas. É importante desmistificar e dar a conhecer mulheres compositoras e respectivas obras que são muitas vezes completamente desconhecidas do grande público e, infelizmente, também da maioria dos professores de instrumento. Refere-se ainda a necessidade deste conhecimento, por parte dos docentes, para, desta forma, poderem alargar a oferta de repertório aos seus alunos, assim como, apoiá-los na elaboração da PAA (Prova de Aptidão Artística) com temáticas mais abrangentes. Tendo o Conservatório de Música de Coimbra cerca de 150 professores efectivos somando-se ainda as várias escolas da região de Coimbra que ministram o ensino especializado de música, esta acção reveste-se da maior importância.

Objetivos

A Acção de Formação proposta permitirá aos docentes, independentemente do seu instrumento, poderem fazer uma abordagem na sua disciplina menos centrada somente na componente técnica mas podendo, paralelamente, contextualizar musicologicamente melhor os conteúdos abordados com os seus alunos. Pretende-se ainda dar a conhecer novo repertório de mulheres compositoras, resultado de pesquizas recentes da musicologia. Sendo hoje o áudio-visual um meio privilegiado e mais motivador para os intervenientes julga-se necessário fazer uma apresentação, ao longo das várias sessões, das várias ferramentas disponíveis as quais os docentes terão acesso caso tenham conhecimento das mesmas. Para cada período da história da música e em sintonia com as necessidades específicas dos formandos serão dadas algumas ferramentas que os mesmos poderão utilizar ao longo das suas aulas assim como preparação de materiais específicos e adequados ao repertório e conteúdos abordados. Após esta Acção de Formação os docentes estarão munidos de um maior conhecimento de mulheres compositoras e de uma maior diversidade de repertório existente.

Conteúdos

MÓDULO 1 – Da Idade Média ao Renascimento Duração: 4 horas Os vários contextos sócio-culturais do período Medieval e do Renascimento. As monjas compositoras. Hildegard von Bingen. Maddalena Casulana Mezari. Vittoria Raffaella Aleotti. MÓDULO 2 – O período Barroco Duração: 4 horas Os vários contextos sócio-culturais do período Barroco. Francesca Caccini. Barbara Strozzi. Isabella Leonarda. Barbara Kluntz. Elisabeth Jacquet de la Guerre. Guilhermina da Prússia. Anna Bom. MÓDULO 3 – O Classicismo Duração: 4 horas Os vários contextos sócio-culturais do período Clássico. Anna Amalia von Sachen-Wimar-Eisenach. Isabelle de Charrière. Marianne von Martinez Genovieffa Ravissa. Nannerl Mozart. Karoline Bayer. Marianna Auenbrugger. MÓDULO 4 – O Romantismo Duração: 4 horas Os vários contextos sócio-culturais no período Romântico. Maria Theresia Paradis. Magdalena von Kurzböck. Anna-Maria “Nannette” Streicher. Caroline Boissier-Butini. Louise Farrenc. Fanny Mendelssohn. Clara Schumann. Mathilde von Rothschild. MÓDULO 5 – Do Modernismo á actualidade Duração: 4 horas Os vários contextos sócio-culturais desde o início do Séc. XX á actualidade. Laura Netzel. Chiquinha Gonzaga. Cécile Chaminade. Ethel Smyth. Luise Greger. Amy Beach. Francine Benoit. Natércia Couto. Wendy Carlos. Constança Capdeville. MÓDULO 6 - Avaliação Duração: 5 horas A avaliação será feita através de um trabalho proposto de acordo com a área de formação do avaliando.

Metodologias

A tipologia das aulas será teórico/práticas. Recorrendo, o mais possível, às ferramentas áudio-visuais será feito um percurso pelos vários temas que compõem a história da música ocidental mostrando a possibilidade de repertório existente, composto por mulheres, para exemplificar as várias estéticas vigentes. Aquando o início da Acção de Formação será feito um levantamento dos grupos disciplinares presentes e, na medida do possível, feita uma abordagem que vá directamente ao encontro das necessidades específicas de cada um dos grupos de recrutamento participante na acção. Serão fornecidos materiais diversos e modelos de apresentação de conteúdos aos participantes para que os mesmos os possam utilizar e adaptar aos diversos contextos e necessidades.

Avaliação

A Avaliação deverá ter em conta a frequência da Acção de Formação, a produção de materiais e/ou trabalhos em contexto escolar e apresentação de uma Reflexão Crítica Individual que refira as mais valias dos conteúdos abordados na sua prática educativa. De acordo com o RJFC – DL 22/2014, de 11 de fevereiro – e nos termos dos nºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho 4595/2015, de 6 de maio, a avaliação dos formandos é expressa numa classificação quantitativa na escala de 1 a 10 valores, de acordo com as menções definidas no ponto 6, do mesmo diploma.

Modelo

Presença e Avaliação.

Bibliografia

GROUT, Donald J. e Claude V. Palisca, História da Música Ocidental, GradivaKENNEDY, Michael, Dicionário Oxford de Música, publicações Dom QuixoteGRIFFITHS, Paul, A Música Moderna, Jorge Zahar Editor.NERY, Rui Vieira e Paulo Ferreira de Castro, História da Música, Imprensa Nacional – Casa da Moeda.PALISCA, V. Claude, edited, Norton Anthology of Western Music.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-11-2023 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Online síncrona
2 29-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 02-12-2023 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Online síncrona
4 02-12-2023 (Sábado) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona
5 09-12-2023 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Online síncrona
6 09-12-2023 (Sábado) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona
7 16-12-2023 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Online síncrona
8 16-12-2023 (Sábado) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona

Ref. 256ACD36-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD36-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 23-11-2023

Fim: 23-11-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Formador

Luís Miguel da Silva Gonçalves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA

Enquadramento

A Direção-Geral da Educação promoveu em 2023/2024 a criação de uma comunidade de partilha de práticas entre escolas Piloto de Manuais Digitais. Ao longo do ano letivo, serão dinamizadas sessões nas quais as escolas procurarão apresentar práticas positivas do projeto mas, também, os desafios colocados e as formas encontradas para os superar.

Objetivos

• Promover a partilha de experiências entre AE/Ena envolvidos no PPMD, por Diretores, coordenadores técnico-pedagógicos, docentes, entre outros, reforçando práticas que favoreçam a inovação pedagógica, com a integração de tecnologias digitais, manuais escolares digitais e outros recursos educativos digitais (REDs); • Promover o apoio e a entreajuda na resolução de problemas para a implementação do PPMD nos diversos contextos de ensino e de aprendizagem; • Contribuir para o desenvolvimento de uma comunidade de aprendizagem que favoreça a inovação pedagógica, com a integração de tecnologias digitais, manuais escolares digitais e outros recursos educativos digitais.

Conteúdos

. Projeto Piloto de Manuais Digitais . Escolas da comunidade de partilha de práticas . Aspetos organizacionais . Gestão de Sala de aula . Metodologias de aprendizagem

Metodologias

Apresentação; visita às salas de aula; discussão

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação

Bibliografia

Página PPMD https://digital.dge.mec.pt/projeto-piloto-manuais-digitais MOODLE Comunidade de aprendizagem: Projeto-Piloto Manuais Digitais


Observações

Exclusivo para os Docentes das Escolas Piloto - Manuais digitais

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-11-2023 (Quinta-feira) 10:30 - 13:30 3:00 Presencial

Ref. 246ACD04-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD04-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 22-11-2023

Fim: 29-11-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Infanta D. Maria

Formador

Ana Paula Oliveira Loureiro

Destinatários

Docentes do Ensino Básico e Secundário de todos os grupos disciplinares

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Escola Sec. Infanta D. Maria

Enquadramento

No contexto atual, o ensino de Português nas escolas enfrenta um renovado desafio, ao juntar, numa mesma sala ou ambiente educativo, alunos que têm o Português como língua materna e alunos de outras línguas maternas e para quem o Português é língua segunda. A diversidade das aprendizagens que assim se configura implica necessariamente uma revisão das práticas de ensino, suas perspetivas e estratégias de atuação. Urge, por isso, (i) por um lado, reforçar conhecimentos acerca do funcionamento da língua e dos instrumentos de análise, nos seus diferentes planos, formais ou semântico-pragmáticos, e, (ii) por outro, adquirir conceitos e modelos de investigação no âmbito específico do ensino/aprendizagem de PLNM. Adquirem particular importância, neste âmbito, o estudo da sintaxe e da pragmática, quer globalmente enquanto planos centrais na organização, construção e adequação dos discursos, em função de contextos e propósitos comunicativos, quer especificamente enquanto áreas em que são particularmente visíveis problemas na aquisição, em contexto de PLNM, de estruturas e comportamentos fundamentais na construção da frase e dos textos/discursos.

Objetivos

1. Enunciar e reconhecer (tipos de) problemas no ensino/aprendizagem de PLNM nas áreas da sintaxe e da pragmática; 1.1. Identificar estruturas não convergentes na construção da estrutura argumental verbal; 1.1.1. Identificar e descrever estruturas não convergentes na seleção do número e caso dos argumentos; 1.1.2. Identificar e descrever estruturas não convergentes na forma de realização e expressão dos argumentos; 1.1.3. Identificar e descrever estruturas não convergentes na colocação de argumentos pronominalizados. 2. Consciencializar para uma área crítica no âmbito dos usos do português (LM e LNM); 2.1. Correlacionar diferentes Formas de Tratamento (FT) e diferentes graus de cortesia; 2.2. Sistematizar os recursos linguísticos disponíveis, em português, para a codificação desta informação de natureza social; 2.3. Identificar (tipos de) problemas no uso das FT na área de PLNM; 2.4. Conceber uma atividade de didatização relativa a este conteúdo.

Conteúdos

Módulo 1 (Docentes: Joana Vieira Santos / Ana Paula Loureiro). 2h+2h. Em busca dos constituintes do verbo: questões de realização, expressão e ordem em PLNM. Módulo 2 (Docente: Conceição Carapinha). 2h. A dêixis social em português – Formas de tratamento (FT) e usos 1. Os constituintes (argumentos) do predicador verbal: 1.1. Estrutura argumental: número e caso dos argumentos. 1.2. Formas de expressão dos argumentos; 1.2.1. Pronominalização; 1.2.2. Elipse de argumentos: Sujeito Nulo e Objeto Nulo. 1.3. Questões de colocação: 1.3.1. Colocação dos clíticos. 2. A dêixis. 2.1. Dêixis social em português. Formas de tratamento: pronominais; nominais e verbais. 2.2. Formas de tratamento e princípio da cortesia. 2.3. Formas de tratamento – um paradigma em mudança.

Metodologias

- Exposição - Propostas de exercícios de aplicação - Discussão de resultados

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação

Bibliografia

Raposo, E. P.& Nascimento, M.F.B. & Mota, M.A.& Segura, L. & Mendes, A. (2013-2020). Gramática do Português (3 vols.). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. Peres, J.A.& Móia, T. (1995). Áreas Críticas do Português Contemporâneo. Lisboa: Caminho. Lima, J. P. de (2007). Pragmática Linguística. Lisboa: Caminho. Lopes, A. C. M. (2018). Pragmática. Uma introdução. Coimbra: IUC.


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes de todos os grupos disciplinares da Escola Secundária Infanta D. Maria, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes de todos os grupos disciplinares das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-11-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
2 29-11-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 254ACD34 - 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD34-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-11-2023

Fim: 15-11-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Infanta D. Maria

Destinatários

Professores da Escola Secundária Infanta D. Maria (ESIDM)

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Escola Secundária Infanta D. Maria

Enquadramento

A avaliação (e a avaliação inclusiva, em particular) constitui-se como um processo basilar de uma aprendizagem consistente. Mas, para bem avalia, há, primeiro que pensar e desenhar um plano estratégico eficaz. Neste sentido, para uma melhor inclusão e para que sejam atingidas as competências delineadas no Perfil dos alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, há, pois, que refletir sobre estes aspetos e criar estratégias de atuação.

Objetivos

Reconhecer o Planeamento Estratégico para proceder a uma monitorização consistente. Reconhecer a importância da monitorização nos processos da Educação Inclusiva. Identificar processos de monitorização.

Conteúdos

Monitorização – processos; aplicabilidade.

Metodologias

Sessão plenária (objetivos da sessão e contextualização; metodologia de trabalho); Salas paralelas (trabalho em grupos)

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de satisfação da ação de formação

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes da Escola Secundária Infanta D. Maria, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-11-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial

Ref. 242ACD26-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD26-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 10-11-2023

Fim: 10-11-2023

Regime: Presencial

Local: FEUC, Auditório | Faculty of Economics, Auditorium

Formador

Clara Isabel Calheiros da Silva de Melo Serrano

Sérgio Gonçalo Duarte Neto

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra | Faculdade de Letras da Universidade do Porto

Enquadramento

Suporte de um conjunto de saberes considerado de necessária apreensão pelos mais jovens, por parte do poder político e da sociedade civil, os manuais escolares são um dos objetos mais identificáveis e definidores do processo de ensino-aprendizagem (Sherman et al., 2016; Hadar, 2017). Veja-se que, mesmo perante as mutações tecnológicas que constituem as primícias do nosso tempo, e até durante os momentos mais pedagogicamente complexos da pandemia, este meio se manteve como referência do ensino. Com efeito, acompanhando o curso histórico dos regimes políticos, as suas transformações económicas e sociais, assim como as visões culturais e mentais, sob um pano de fundo quase sempre marcado pelas ideologias dominantes, os manuais têm formado e procurado reform(ul)ar. Importa, pois, ter presente que, desde há muito, que o manual se constituiu como objeto de estudo. Nos últimos anos verificou-se mesmo uma multiplicação das análises levadas a cabo, tendo-se assistido a uma proliferação de estudos que põem a tónica em abordagens comparativas nacionais e transnacionais, que observam as representações sociais (mulher, homem, criança, sociedade, o Outro, etc.) e a construção de identidades múltiplas (sociais, políticas, culturais). Os manuais, nomeadamente os das disciplinas de História e Geografia, são um meio de divulgação em série dos “discursos” e das “imagens” oficialmente aprovadas e, ao mesmo tempo, espelhos das controvérsias societais em torno de questões sensíveis (Klerides 2010; Macgilchrist 2015). Misturam e combinam miríades de fios discursivos, que os ligam a um ambiente social mais vasto (Binnenkade, 2015). Situados na fronteira entre política, história, pedagogia e didática, refletem exigências curriculares, assim como padrões científicos e pedagógicos. Respondem às exigências da sociedade e dos debates políticos (Christophe, 2019). Atualmente, organismos governamentais nacionais e internacionais, ONGs, e instituições académicas e pedagógicas, estão envolvidos em projetos que observam práticas de inculcação e de perpetuação da memória através destas lentes analíticas, não deixando de ter presente a questão do eurocentrismo e da necessária descolonização de alguns pontos de vista. Neste sentido, esta conferência pretende revisitar o tema dos manuais escolares, em estreita ligação com as suas visões do mundo, os seus autores e, evidentemente, os destinatários.

Objetivos

São objetivos deste colóquio analisar e discutir: ▪ Manuais escolares – discurso, poder e produção; ▪ A publicação de manuais – desafios, regulação e mercado; ▪ Os manuais escolares – práticas inovadoras e literacia digital; ▪ Os manuais escolares e a(s) problemática(s) da(s) identidade(s) e da Alteridade(s); ▪ Os manuais escolares – eurocentrismo, nacionalismo e racismo; ▪ Os manuais escolares perante e sob as ditaduras; ▪ Os manuais escolares em democracia e a análise da democracia nos manuais escolares; ▪ Os manuais escolares e o património local; ▪ Os manuais escolares – guerra, violência e educação para a paz; ▪ Os manuais escolares e os lugares de (des)memória; ▪ Os manuais escolares – questão e temas religiosos.

Conteúdos

FEUC, Auditório 09h30: Painel G.1: OS MANUAIS ESCOLARES E AS QUESTÕES CULTURAIS E DE GÉNERO ▪ O feminino na História da Cultura e das Artes: a representação nos manuais dos 10.° e 11.° anos, por Pâmela Peres Cabreira ▪ Representatividade de género e variedade cultural em manuais escolares da disciplina de Português – um estudo, por Ricardo Cruz ▪ Cartilhas de bons hábitos: notas sobre os gêneros textuais dos manuais escolares, por Heloísa Rocha ▪ Representações imagéticas de género nos manuais portugueses do 1.º ano de Estudo do Meio, por José Carlos de Paiva e Margarida Dias Debate FEUC, Sala Keynes 09h30: Painel G.2: OS MANUAIS ESCOLARES: AMBIENTE E GEOGRAFIA ▪ O Manual Escolar e a Educação Ambiental, por A. Lopes e Rosa Branca Tracana Pereira ▪ Natureza e Sociedade nos Manuais Escolares de Geografia, por Joaquim Pintassilgo ▪ Da História e Geografia aos Estudos Sociais: um estudo de livros didáticos brasileiros, por Wagner Scopel Falcão e Vivian Batista da Silva Debate FEUC, Auditório 11h30: Painel H.1: DESENHO, ILUSTRAÇÃO E BRICOLAGE ▪ [In]visibilidades do discurso. O manual escolar como catalisador na prática do Desenho, por Catarina Casais ▪ Discursos de poder nas ilustrações dos manuais de estudo do meio do 1.° ano do ensino básico, por Cristina Ferreira ▪ Pedagogia, sebentas e bricolage: os materiais de estudo utilizados no Ensino da História da Música (1835- 2013), por João Silva e Rosa Paula Rocha Pinto Debate FEUC, Sala Keynes 11h30: Painel H.2: OS MANUAIS PERSPETIVANDO AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS ▪ Perspetiva internacional sobre os manuais escolares na década de 1930, por Luís Grosso Correia ▪ Livros Escolares para a Escola Elementar Italiana dos dois lados do Atlântico: um estudo de Piccolo Mondo de Fanny Romagnoli e Silvia Albertoni (início do século XX), por Claudia Panizzolo e Terciane Ângela Luchese ▪ Vestígios das relações transnacionais entre Brasil e Estados Unidos em Manuais de Corte e Costura (1940- 1960), por Daniele Torres Loureiro e Heloísa Helena Pimenta Rocha Debate FEUC, Auditório 14h30: Painel I.1: REPENSANDO O PAPEL DOS MANUAIS ESCOLARES ▪ Escolas Técnicas - Boletim de Pedagogia e Didáctica, por Francisco Perfeito Caetano ▪ Pensar e repensar o manual escolar: um estudo acerca das perceções e das utilizações dos manuais escolares no ensino e na aprendizagem de História, por Luiza Maniassi Ferreira ▪ A utilização dos manuais escolares no ensino e aprendizagem de História e Geografia de Portugal (2.º Ciclo do Ensino Básico). A perceção dos professores, por Luís Mota, António Gomes Ferreira e Carla Vilhena Debate FEUC, Sala Keynes 14h30: Painel I.2: METODOLOGIA E ENSINO ▪ La enseñanza del método objetivo. En los libros de texto de Lecciones de Cosas de Luis G. León: influencias extranjeras (1891-1920), por Rosalia Meníndez Martínez ▪ Las familias de sentimientos en la enseñanza de la historia: base para la indagación del papel jugado por los libros de texto, por Nicolás Martínez-Valcárcel, Martha Ortega-Roldán, Graciela María Carbone e Paulina Latapí-Escalante ▪ A história ensinada aos professores: os primórdios da educação no Brasil (1958) e a construção da identidade nacional, por Vivian Batista da Silva e Keila da Silva Ortiz Debate FEUC, Auditório 16h30: KEYNOTE SPEAKER Nurit Peled-Elhanan, The semiotics of othering in Israeli schoolbooks

Metodologias

Será utilizado o método expositivo, recorrendo às seguintes metodologias: dinâmica de grupo; debate; exposição oral; trabalho individual; reflexão e descoberta. Pretende-se criar um contexto de aprendizagem em que cada formanda/o seja convidada/o a analisar e refletir sobre a sua área científica, os manuais da sua disciplina e a prática com as suas turmas.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação de Avaliação da Ação

Bibliografia

- Cabecinhas, R. (2020). Luso(A)fonias. Memórias cruzadas sobre o colonialismo português. Estudos Ibero-Americanos, 45(2), 16-25. - Choppin, A. (1992). Les manuels scolaires: histoire et actualité. Hachette. - Choppin, A. (2008). Le manuel scolaire, une fausse évidence historique. Histoire de l’Education, 117, 7-56 [https://journals.openedition.org/histoire-education/565]. - Macedo, E. & Ferreira, P. D. (Coord.) (2014). Construindo pilares do projeto europeu com jovens nas escolas: Informação, reflexão e ação. Porto: Comissão Europeia & CIIE. - Morgan, K. E. & Henning, E. (2013). Designing a Tool for History Textbook Analysis. FQS Forum: Qualitative Social Research | Sozialforschung, 14(1) Doi: https://doi.org/10.17169/fqs-14.1.1807. - Nicholls, J. (Ed.) (2006). School History Textbooks Across Cultures: International Debates and Perspectives. Symposium Books. - Piedade, F, Ribeiro, N., Malafaia, C, Loff, M, Menezes, I & Neves, T. (2021). A cidadania europeia na escola: complementando o currículo | European citizenship in school: supplementing the curriculum. Educação e Pesquisa, 47, 1-20. Doi:10.1590/S1678-4634202147230371. - Ribeiro, N., Neves, T., & Menezes, I. (2017). An Organization of the Theoretical Perspectives in the Field of Civic and Political Participation: Contributions to Citizenship Education. Journal of Political Science Education, 13(4), 426-446. Doi:10.1080/15512169.2017.1354765. - Pingel, F. (2000). The European home: representations of 20th century Europe in history textbooks. Strasbourg: Council of Europe.. - Pingel, F. (2001). How to approach Europe? The European dimension in history textbooks. In Leeuw- Roord, J. (ed.), History for today and tomorrow. What does Europe mean for school history. (pp. 205-228).Hamburg, Körber Stiftung.

Anexo(s)

Programa Colóqui Completo


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes de todos os grupos disciplinares das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2.º - Outros Docentes de todos os grupos disciplinares, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-11-2023 (Sexta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 10-11-2023 (Sexta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 221ACD07 - 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD07 - 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 28-10-2023

Fim: 28-10-2023

Regime: Presencial

Local: Departamento da Faculdade de Matemática da U.C.

Formador

Jaime Maria Monteiro de Carvalho e Silva

José Manuel Dos Santos Dos Santos

Destinatários

Professores/as ds grupos de recrutamento 110, 230 e 500

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Departamento de Matémática da U. C.

Enquadramento

A realização do Dia GeoGebra ibérico 2023 - GeoGebra em Aula, no Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra (DMDCT-UC), com a organização da comissão do Mestrado em Ensino de Matemática no 3.º ciclo do Ensino Básico e no Secundário do DMDCT-UC e da Federação Espanhola de Sociedades de Professores de matemática, constitui-se um motivo para refletir, partilhar e experimentar o “GeoGebra em Aula”. Em Portugal, num contexto de mudança curricular na disciplina de Matemática, incluindo-se o Pensamento Computacional como tema e uma presença efetiva da tecnologia para promover um ensino para a aprendizagem da matemática, seria razão bastante para o encontro, mas esta tendência se assume ao nível europeu, com diretivas da União Europeia, pelo que a oportunidade de partilhar e refletir com colegas espanhóis é uma grande mais-valia para o conhecimento dos professores. Considerando ainda que os instrumentos curriculares definidos pelas “novas” Aprendizagens Essenciais da(s) Matemática(s) do Ensino Básico e Ensino secundário em Portugal tendem a ter uma visão integrada dos diferentes níveis de ensino, este encontro foi organizado para que docentes que lecionem conteúdos da Matemática e das Ciências tenham oportunidade formativa no seu ciclo de docência ou no que lhe está próximo. Deste modo pretende-se para além de contribuir para o aprofundamento dos conteúdos matemáticos, promover o conhecimento didático e pedagógico dos docentes no uso da tecnologia, em particular as plataformas associadas ao software de matemática dinâmica GeoGebra, e no tema transversal Pensamento Computacional, presente em todo o currículo de Matemática da escolaridade obrigatória em Portugal. A partilha com os colegas espanhóis trará à reflexão a diversidade curricular em Espanha, que tem como ponto forte uma panóplia enorme de recursos para a sala de aula que constituem o projeto “MATESGG Matemáticas y GeoGebra” com apoio do Ministério de Educação de Espanha. A educação STEAM também será objeto de análise a partir das possibilidades do uso do software GeoGebra para este fim no contexto concreto das salas de aula. No contexto português e espanhol existem vários exemplos, dos quais se espera a reflexão dos participantes neste tema. Para esse fim contar-se há com a apresentação da investigação conduzida na Universidade Johannes Kepler de Linz. Finalmente dado o forte impacto que as atuais técnicas de Inteligência Artificial têm na sociedade atual, interessa refletir sobre impactos e aplicações na sala de aula de Matemática. De facto, nesta área de conhecimento assume um papel relevante as técnicas de demonstração e geração automática de teoremas, técnicas que podem ser implementadas em sala de aula, de modo intuitivo por alunos e professores com o software GeoGebra.

Objetivos

Conhecer, aprofundar ou discutir os novos instrumentos curriculares homologados em Portugal, em vigor desde o ano letivo de 2022-2023 no Ensino Básico, e em aplicação a partir de 2024-2025 no Ensino Secundário Conhecer ou aprofundar conhecimentos no uso do GeoGebra. Experimentar o uso do GeoGebra na obtenção de modelos em impressoras 3D. Conhecer e partilhar de experiências do uso do GeoGebra em sala de aula no contexto ibérico e dos Países de Língua Oficial Portuguesa. Fomentar espírito de colaboração e redes transnacionais no contexto ibérico e dos Países de Língua Oficial Portuguesa.

Conteúdos

• SP1 | Geometria analítica no contexto das Aprendizagens Essenciais do Ensino Secundário (Ensino Secundário) • SP2 | Aulas com o GeoGebra Classroom no 2º e 3º ciclo do Ensino Básico (Ensino Básico) • SP3 | Explorando o Pensamento Computacional no GeoGebra: Modelação 3D a partir de Imagens Reais (Transversal a todos os ciclos de ensino) • SP4 | Tarefas com o GeoGebra para trabalhar números racionais e suas operações ( 1º, 2º e 3º ciclos do Ensino Básico) • SP5 | Resolução de problemas de otimização com recuso ao GeoGebra (Ensino Secundário e Ensino Superior) • SP6 | Proyecto MATESGG Matemáticas y GeoGebra (Ensino Básico e Ensino Secundário) • MC1 | Geometria 2D com o GeoGebra (Ensino Básico e Ensino Secundário) • MC2 | Geometria 3D com o GeoGebra (Ensino Básico e Ensino Secundário) • MC3 | Cálculo Simbólico con GeoGebra (Ensino Secundário e Ensino Superior) • C | Explorando Sistemas de Geometria Dinâmica com Demonstradores de Teoremas Integrados (Transversal a todos os ciclos de ensino) • MR | GeoGebra em Aula: Angola; Cabo Verde; Brasil; Espanha; Moçambique; Portugal (Transversal a todos os ciclos de ensino)

Metodologias

Aplicações Práticas: Cada formando poderá frequentar duas, das seis sessões praticas (SPi, i{1,...,6}), ou dois dos três minicursos (MCi, i{1,...,3}). A escolha será realizada pelos formandos em função das suas necessidades formativas no(s) níveis(s) de ensino que leciona ou de seu interesse no seu percurso profissional/formativo. Demonstrativas: A mesa-redonda (MR) que encerra os trabalhos, pretende demostrar como o GeoGebra contribui para alterações nos ecossistemas das salas de aula, mesmo em contextos tecnológicos desfavoráveis como é o caso dos PALOP, e discutir as implicações nas aprendizagens dos alunos e nas práticas dos professores. Esperando que o período previsto para interpelação dos participantes aos elementos da mesa permita esclarecer, problematizar e refletir sobre o uso de tecnologia no ensino e aprendizagem da matemática.

Avaliação

Frequência.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.

Bibliografia

Dos Santos, J. M. D. S., e Silva, J. C., & Lavicza, Z. (2023) TASKS AND LEARNING PATHS IN ASYMPTOTE AND GEOGEBRA. Research On STEM Education in the Digital Age, 107. Dos Santos, J. M. D. S., Abar, C. A. A. P., de Almeida, M. V., & Lavicza, Z. (2023). Developing Computational Thinking in Basic School: Resources from Mathematics Teachers in Portugal. In Perspectives and Trends in Education and Technology: Selected Papers from ICITED 2022 (pp. 131-141). Singapore: Springer Nature Singapore. Trocado, A., Dos Santos, J. M., & Lavicza, Z. (2022). Developing Computational Thinking in Portuguese Mathematics Curricula with Collatz Conjecture. In The 27th Asian Technology Conference in Mathematics (ATCM 2022). Dos Santos, José & Abar, Celina A A. (2022). OPORTUNIDADES E DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA NO DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO COMPUTACIONAL. In Reflexões sobre a educação matemática , Atena, 10.22533/at.ed.3062201091. Dos Santos, J. M., Silveira, A., & Trocado, A. (2019). GeoGebra e situações que envolvem modelação numa abordagem STEAM. Acedido a 04-02-2020, em: https://arxiv.org/pdf/1907.02099 .


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Professores/as ds grupos de recrutamento 110, 230 e 500 das Escolas Associadas do CFAE Minerva; 2.º - Professores/as ds grupos de recrutamento 110, 230 e 500 de outras Escolas

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-10-2023 (Sábado) 09:01 - 18:00 8:59 Presencial

Ref. 243AFRA09 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117905/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 28-10-2023

Fim: 25-11-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas / CFAE Minerva

Formador

Maria Radich Carrinho

Destinatários

Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA

Enquadramento

Os profissionais que utilizam a sua Voz como ferramenta de trabalho diariamente e por muitas horas, como os professores, locutores de rádio, jornalistas ou políticos, têm um desgaste rápido da mesma, utilizando-a por vezes de forma errada. Para uma boa protecção e projecção da sua Voz serão recomendadas sempre aulas de Técnica Vocal por forma a adquirir as noções básicas de utilização da Voz, permitindo assim controlá-la e usufruir do seu trabalho comunicando de forma mais eficaz e mais saudável. Estas aulas destinam-se a todos aqueles que queiram aprender e trabalhar um pouco mais sobre a sua Voz falada ou mesmo cantada, desenvolvendo uma percepção espacial através dos sentidos e das emoções.

Objetivos

Compreender o processo da fisiologia vocal Desenvolver capacidades de Preparação Vocal Promover técnicas de Colocação de voz Controlar a Respiração Articular a voz com a respiração Desenvolver a sensibilidade auditiva Relacionar a voz com a postura corporal

Conteúdos

A fisiologia vocal; Noções da colocação correcta da Voz; Técnicas de respiração; Sensibilidade auditiva; Aquecimento vocal, articulação e sua projecção; Linguagem Não verbal

Metodologias

Recorreremos a exercícios de leitura de textos ou canções, permitindo uma consciência e sensibilidade auditiva que nos liberta para o prazer de “me ouvir” falar ou cantar. As técnicas de respiração e exercícios vocais serão a base para atingir uma maior consciencialização e compreensão para o trabalho da voz quando falamos ou cantamos: as nossas histórias, as nossas canções, as nossas Paisagens Sonoras. Exercícios de aquecimento Vocal - Técnica Vocal - Leitura de textos ou canções aplicando a técnica vocal, começando por uma procura e desinibição pessoal, passando à sua relação com o resto do grupo, exploraremos as potencialidades da voz

Avaliação

A avaliação neste curso de formação é contínua e consiste na realização de trabalhos propostos pela formadora: - Debate e participação ativa nas várias sessões e fases do curso (20%) - Elaboração e apresentação de projeto individual final em suporte fotográfico ou videográfico digital (70%) - Ficha formativa escrita (10%)

Modelo

Inquéritode SAtisfação da Ação

Bibliografia

CASTARÈDE. M. (1998). A voz e os seus sortilégios. Lisboa: Editorial CaminhoMONTEIRO, G., O professor, o corpo e a voz; conhecer, praticar e desenvolver, Lisboa: ASARONDELEUX. L. (1997). Trouver sa voix. Paris: Seuil.

Anexo(s)


Observações

Critérios de Seleção: 1.º Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2.º Docentes de outras Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-10-2023 (Sábado) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
2 28-10-2023 (Sábado) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
3 25-11-2023 (Sábado) 10:00 - 12:30 2:30 Presencial
4 25-11-2023 (Sábado) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial


336

Ref. 220ACD06 - 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD06 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 27-10-2023

Fim: 27-10-2023

Regime: Presencial

Local: Departamento de Matemática da Universidade de Coimbra

Formador

Jaime Maria Monteiro de Carvalho e Silva

José Manuel Dos Santos Dos Santos

Destinatários

Professores/as ds grupos de recrutamento 110, 230 e 500

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Departamento da Faculdade de Matemática da UC

Enquadramento

A realização do Dia GeoGebra ibérico 2023 - GeoGebra em Aula, no Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra (DMDCT-UC), com a organização da comissão do Mestrado em Ensino de Matemática no 3.º ciclo do Ensino Básico e no Secundário do DMDCT-UC e da Federação Espanhola de Sociedades de Professores de matemática, constitui-se um motivo para refletir, partilhar e experimentar o “GeoGebra em Aula”. Em Portugal, num contexto de mudança curricular na disciplina de Matemática, incluindo-se o Pensamento Computacional como tema e uma presença efetiva da tecnologia para promover um ensino para a aprendizagem da matemática, seria razão bastante para o encontro, mas esta tendência se assume ao nível europeu, com diretivas da União Europeia, pelo que a oportunidade de partilhar e refletir com colegas espanhóis é uma grande mais-valia para o conhecimento dos professores. Considerando ainda que os instrumentos curriculares definidos pelas “novas” Aprendizagens Essenciais da(s) Matemática(s) do Ensino Básico e Ensino secundário em Portugal tendem a ter uma visão integrada dos diferentes níveis de ensino, este encontro foi organizado para que docentes que lecionem conteúdos da Matemática e das Ciências tenham oportunidade formativa no seu ciclo de docência ou no que lhe está próximo. Deste modo pretende-se para além de contribuir para o aprofundamento dos conteúdos matemáticos, promover o conhecimento didático e pedagógico dos docentes no uso da tecnologia, em particular as plataformas associadas ao software de matemática dinâmica GeoGebra, e no tema transversal Pensamento Computacional, presente em todo o currículo de Matemática da escolaridade obrigatória em Portugal. A partilha com os colegas espanhóis trará à reflexão a diversidade curricular em Espanha, que tem como ponto forte uma panóplia enorme de recursos para a sala de aula que constituem o projeto “MATESGG Matemáticas y GeoGebra” com apoio do Ministério de Educação de Espanha. A educação STEAM também será objeto de análise a partir das possibilidades do uso do software GeoGebra para este fim no contexto concreto das salas de aula. No contexto português e espanhol existem vários exemplos, dos quais se espera a reflexão dos participantes neste tema. Para esse fim contar-se há com a apresentação da investigação conduzida na Universidade Johannes Kepler de Linz. Finalmente dado o forte impacto que as atuais técnicas de Inteligência Artificial têm na sociedade atual, interessa refletir sobre impactos e aplicações na sala de aula de Matemática. De facto, nesta área de conhecimento assume um papel relevante as técnicas de demonstração e geração automática de teoremas, técnicas que podem ser implementadas em sala de aula, de modo intuitivo por alunos e professores com o software GeoGebra.

Objetivos

Conhecer praticas que promovem praticas de educação STEAM com o GeoGebra. Refletir sobre o papel da tecnologia e das práticas de Pensamento Computacional na aprendizagem e ensino da Matemática. Conhecer, aprofundar ou discutir os novos instrumentos curriculares homologados em Portugal, em vigor desde o ano letivo de 2022-2023 no Ensino Básico, e em aplicação a partir de 2024-2025 no Ensino Secundário

Conteúdos

• VC | GeoGebra & STEAM (Transversal a todos os níveis de ensino) • P | GeoGebra & Tecnologia nas Aprendizagens Essenciais da Matemática em Portugal e nos currículos de Matemática em Espanha (Transversal a todos os ciclos de ensino) . Apresentação Mini cursos

Metodologias

Serão usadas metodologias que fomentem a proatividade dos formandos e que conjugue as exposições com atividades de prática: Expositivas: serão dois momentos plenários: uma vídeo conferência onde se da a conhecer as potencialidades do GeoGebra na educação STEAM (VC) e uma conferência (C) onde se dá a conhecer o impacto de certas técnicas de AI com impacto na aula com o uso do GeoGebra. Estes dois momentos são plenários.

Avaliação

Frequência

Modelo

Insquériro de Satisfação da Ação

Bibliografia

Dos Santos, J. M. D. S., e Silva, J. C., & Lavicza, Z. (2023) TASKS AND LEARNING PATHS IN ASYMPTOTE AND GEOGEBRA. Research On STEM Education in the Digital Age, 107. Dos Santos, J. M. D. S., Abar, C. A. A. P., de Almeida, M. V., & Lavicza, Z. (2023). Developing Computational Thinking in Basic School: Resources from Mathematics Teachers in Portugal. In Perspectives and Trends in Education and Technology: Selected Papers from ICITED 2022 (pp. 131-141). Singapore: Springer Nature Singapore. Trocado, A., Dos Santos, J. M., & Lavicza, Z. (2022). Developing Computational Thinking in Portuguese Mathematics Curricula with Collatz Conjecture. In The 27th Asian Technology Conference in Mathematics (ATCM 2022). Dos Santos, José & Abar, Celina A A. (2022). OPORTUNIDADES E DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA NO DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO COMPUTACIONAL. In Reflexões sobre a educação matemática , Atena, 10.22533/at.ed.3062201091. Dos Santos, J. M., Silveira, A., & Trocado, A. (2019). GeoGebra e situações que envolvem modelação numa abordagem STEAM. Acedido a 04-02-2020, em: https://arxiv.org/pdf/1907.02099


Observações

Prioridade de seleção: 1.º Professores/as ds grupos de recrutamento 110, 230 e 500 das Escolas Associadas do CFAE Minera; 2.º Professores/as ds grupos de recrutamento 110, 230 e 500 de outras Escolas.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-10-2023 (Sexta-feira) 15:00 - 19:30 4:30 Presencial

Ref. 248ACD31-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD31-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 26-10-2023

Fim: 26-10-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Superior de Educação de Coimbra

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Escola Superior de Educação de Coimbra

Enquadramento

Iniciativa organizada no âmbito da Prática Pedagógica do 1.º CEB e do PEAPEA (Prática Educativa e Artefactos no Ensino Aprendizagem) NIEFI (Núcleo de Investigação, Educação, Formação e Intervenção). Os Diálogos Pedagógicos EDUTABi pretendem constituir-se como espaços de conhecimento, partilha e reflexão sobre diferentes questões da Educação e da Prática Educativa, muito particularmente questões relacionadas com a inovação pedagógica, tecnologia na educação, espaços de aprendizagem e desenvolvimento profissional docente.

Objetivos

Nesta sessão, pretende-se debater e discutir as questões relacionadas com os modelos híbridos e a importância do digital numa abordagem de escola de século XXI e partilhar práticas de quem utiliza modelos de aprendizagem baseada em projetos com a utilização de manuais digitais.

Conteúdos

Programa José Miguel Sacramento – Escola Superior de Educação de Coimbra Hilda Pinto – Diretora do CFAE Minerva Marco Bento – Escola Superior de Educação de Coimbra O modelo híbrido de aprendizagem Marco Bento - Professor na Escola Superior de Educação de Coimbra A Escola Virtual como ecossistema digital Marisa Afonso – Coordenadora da Formação da Escola Virtual e Academia Debate e discussão

Metodologias

Exposição e Debate

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação


Observações

PROPONENTE: ESEC – IPC José Miguel Sacramento (NIEFI-PEAEA / ESE-IPC) Marco Bento (NIEEFI-PEAEA / ESE-IPC) Virgílio Rato (NIEEFI-PEAEA / ESE-IPC)

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-10-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 236ACD20-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD20-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 24-10-2023

Fim: 24-10-2023

Regime: Presencial

Local: Delegação de Coimbra da Universidade Aberta, Plataforma ZOOM

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva/Cáritas Diocesana de Coimbra

Enquadramento

CENTRO SOL NASCENTE - Enquadramento Centro de Dia Sol Nascente é o retomar do Centro Drop-in, um projeto absolutamente inovador no país, que funcionou entre 1989 e 1994. Numa época em que o consumo de drogas era ainda considerado um crime, este Centro apoiava indivíduos adictos em fase de consumo ativo e resultou de uma parceria entre o CEPD, Segurança Social, ARSC e Cáritas Coimbra. Em 1997, após o edifício ter sido submetido a obras de remodelação, surge o Centro de Dia Sol Nascente, licenciado e financiado pelo SPTT com convenção para 30 utentes. O Centro de Acompanhamento e Apoio Psicossocial – Presta serviços a pessoas infetadas pelo VIH/sida, bem como a todas aquelas que, em razão da relação de parentesco ou de afinidade, sejam afetadas pela doença. OBJETIVOS DA RESPOSTA Esta estrutura tem como missão promover a integração social dos indivíduos com comportamentos aditivos e dependências, através da redução do consumo de drogas e da estabilização das condições pessoais, de saúde e profissionais. Visa também ser um espaço de apoio alternativo à família e/ou rua, no sentido da promoção da autonomia, cimentado em princípios de qualidade e inovação. Tendo em conta que que, atualmente, temos verificado uma quase total ausência de intervenção na prevenção e educação para as temáticas que procuramos responder e pelo aumento de incidência dos casos de infeção por VIH, os problemas sociais que os consumos de substâncias tóxicas continuam a representar, sentimos a necessidade de recriar um serviço que possa facilitar a aquisição de competências por parte das pessoas e das comunidades, em ordem a uma maior consciência preventiva. A facilitação destas jornadas insere-se nesta vontade de potenciar conhecimento destas temáticas , ligando a praxis com a academia, e ampliando o nível de intervenção. Neste sentido propomo-nos desenvolver um reflexão conjunta sobre temática O estado da arte em Comportamentos Aditivos e Dependências.

Objetivos

. Facilitar um momento de aprendizagem e reflexão crítica: . Potenciar o conhecimento sobre os CAD: . Aumentar as estratégias de intervenção em CAD: . Intensificar os projetos de intervenção na prevenção em CAD.

Conteúdos

1- Adições Comportamentais conceptualização 2- Situação epidemiológica e preocupações atuais 3- O contexto nacional 4- Outras dependências 5- Perspetivas futuras 6- Discussão

Metodologias

Expositiva Reflexão Crítica Construção de conhecimento

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação de Avaliação da Ação


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes de todos os grupos disciplinares das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 2.º - Outros Docentes de todos os grupos disciplinares, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-10-2023 (Terça-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 250ACD33-2023-2024 Concluída

Registo de acreditação: ACD33-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 19-10-2023

Fim: 31-10-2023

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Patrícia Alexandra Rodrigues Marques

Eduardo Carlos Torres Sequeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Poiares

Enquadramento

Com o objetivo de colmatar as necessidades dos docentes do agrupamento no que concerne à utilização que fazem das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) no seu quotidiano e local de trabalho, é dinamizada formação de curta duração no agrupamento. Numa altura em que as escolas estão a passar por um processo de transição digital é de todo fundamental preparar e dotar os docentes de ferramentas que lhes permitam fazer trabalho colaborativo, preparar as suas práticas pedagógicas, usar novas metodologias ativas de aprendizagem e capacitar os seus alunos para a uma aprendizagem mais autónoma. É também objetivo do PADDE do agrupamento apoiar e dar formação aos docentes.

Objetivos

- Criar conteúdo multimédia (imagens, gráficos, infográficos, cartazes, convites, apresentações, flyers e outros), para a web ou para impressão com a ferramenta Canva; - Desenvolver competências de acesso à plataforma e de utilização das ferramentas na produção de conteúdo pedagógico e didático de apoio à aprendizagem dos alunos; - Obter licença no canva para a educação; - Criar uma aula/turma e partilhar com os alunos; - Utilizar as ferramentas mágicas com recurso à IA, para a criação de conteúdo didático e pedagógico; - Implementar/executar as medidas estabelecidas no PADDE.

Conteúdos

- Apresentação da Plataforma Colaborativa de Aprendizagem - “Canva”; - Produção de conteúdo pedagógico e didático de apoio à aprendizagem dos alunos; - Licença PRO para o canva; - Recurso à IA, para a criação de conteúdo didático e pedagógico.

Metodologias

Aprendizagem Ativa: os participantes participam de forma ativa no processo de aprendizagem, incluir discussões individuais e em grupo, estudos de caso, resolução de problemas, simulações e atividades práticas.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquéritp de Satisfação da Ação de Formação


Observações

Docentes do AE Vila Nova de Poiares

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
2 24-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
3 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona
4 31-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 19:30 1:30 Online síncrona

Ref. 181AFRA06 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119179/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-10-2023

Fim: 27-11-2023

Regime: e-learning

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas / Plataforma Virtua

Formador

Sónia Teresa Simões da Costa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial, do grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA / DIREÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO

Enquadramento

Inclusão, equidade, cooperação, solidariedade, responsabilidade e interligação, são conceitos-chave que enformam as políticas e as práticas educativas. Assegurar o direito de todos à educação é garantir acesso, presença, participação e sucesso em processos educativos de qualidade. Os atores educativos, nomeadamente lideranças de topo e intermédias, são figuras essenciais na educação e na transformação social. Acolher e apoiar todos os alunos, independentemente das suas capacidades e exigências, são dois compromissos éticos e profissionais indiscutíveis. Uma escola inclusiva exige uma liderança eficaz, capaz de apoiar e promover o envolvimento de toda a comunidade escolar. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Identificar práticas de gestão e organização pedagógica, de topo e intermédias, à luz dos normativos/documentos de referência sobre políticas de inclusão Explorar fatores que se constituem como obstáculo à inclusão na escola e sociedade Consolidar uma perspetiva de abordagem integrada de práticas que concorrem para a inclusão Refletir sobre a relevância das aprendizagens informais, os meios de as incorporar na promoção de ambientes educativos favoráveis à participação de alunos na condução do processo educativo Promover estratégias de otimização da participação dos alunos na vida da escola Elencar mecanismos de promoção do envolvimento das famílias na criação de ambientes inclusivos Refletir sobre o papel das lideranças na criação de ambientes promotores de aprendizagens não-formais e informais consistentes com os objetivos da educação inclusiva Equacionar os termos da cooperação interinstitucional em ordem à inclusão Refletir sobre instrumentos de monitorização das práticas de inclusão

Conteúdos

Enquadramento teórico e normativo 1.1. Quadro conceptual Os direitos humanos e as políticas de inclusão. Justiça distributiva e éticas do cuidado. Tradução dos princípios de justiça em direitos e capacidades. O projeto Strength Through Diversity e a diversidade dos públicos na educação escolar: dimensões da diversidade; abordagens multinível da diversidade em educação. 1.2. Quadro normativo de referência Os Decretos-Leis nº 54/2018 de 6 de julho (na sua redação atual) e n.º 55/2018, de 6 de julho (e respetivas Portarias). O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Autonomia e responsabilidade dos decisores locais: interpretação dos normativos; as margens de autonomia potenciada pela portaria n.º 181/2019, de 11 de junho, na sua redação atual. Documentos curriculares e instrumentos de autonomia dos AE/ENA. 1.3. Dimensões organizacionais das políticas de inclusão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 1.1. e 1.2.] 2. Concretização das políticas de inclusão 2.1 As escolas e as práticas A inclusão em contexto: modelos educativos e conceções de cidadania e equidade. 2.2. Os agentes sociais das práticas de inclusão Pessoas, instituições, ambientes de aprendizagem. Cooperação interinstitucional em ordem à inclusão. 2.3. Os recursos para a inclusão A identificação e gestão dos recursos (humanos, materiais, institucionais) e a sua potencialização na promoção da escola inclusiva. 2.4. Contextos de interação socioeducativa na perspetiva da inclusão: a sala de aula e ‘o resto’ – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 2.1., 2.2. e 2.3.] 3. Conhecer, partilhar, decidir 3.1. Conhecer e cooperar com as pessoas e as instituições 3.2. Conhecer, estimular e proteger as crianças e jovens: princípios, métodos, instrumentos 3.3. Conhecer para transformar: dos instrumentos de suporte à monitorização às modalidades de participação de professores, pais e alunos nos processos de decisão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 3.1. e 3.2.] 4. Avaliação Apresentação e discussão dos trabalhos/produtos finais dos formandos

Metodologias

Exploração dos temas propostos, com adequado suporte teórico. Reflexão, análise e discussão em grupo, com recurso a fontes documentais pertinentes. Debate em plenário. Elaboração individual de trabalho/produto final da ação, em função dos interesses dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Cerna, L. et al. (2021) Promoting inclusive education for diverse societies: A conceptual framework. Disponível em: Promoting inclusive education for diverse societies : A conceptual framework | OECD Education Working Papers | OECD iLibrary (oecd-ilibrary.org)Eurydice (2020). A equidade na educação escolar na Europa (trad. Lisboa: DGEEC/Unidade portuguesa de Eurydice). Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/517ee2ef-4404-11eb-b59f-01aa75ed71a1/language-ptEuropean Agency for Special Needs and Inclusive Education (2021). Inclusive School Leadership: A Tool for Self-Reflection on Policy and Practice. (M. Turner-Cmuchal, E. Óskarsdóttir and M. Bilgeri, eds.). Odense, Denmark. Disponível em: https://www.european-agency.org/sites/default/files/SISL_Self-Reflection_Tool.pdfPereira, F. (Coord.). (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de Apoio à Prática. Lisboa. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. Disponível em: https://dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdfUNESCO (2022). Reaching out to all learners: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO, IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education


Observações

Prioridades: - Elementos das Direções dos Agrupamentos de Escolas e Escolas Não Agrupadas do CFAE Minerva - Docentes dos Agrupamentos de Escolas e Escolas Não Agrupadas do CFAE Minerva

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-10-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 30-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
3 06-11-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
4 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 22:15 4:00 Online síncrona
5 13-11-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
6 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
7 20-11-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial


260

Ref. 235ACD27-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD27-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 04-10-2023

Fim: 04-10-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Coimbra Sul

Formador

Dina Maria de Oliveira Soares

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / A. E. Coimbra Sul

Enquadramento

A implementação da Autonomia e Flexibilidade Curricular dos ensinos básico e secundário (Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho) dá às escolas a possibilidade de romper parcialmente com as regras de uma gramática escolar secular, experimentando formas alternativas de organização curricular, como sendo a criação de Domínios de Autonomia Curricular (DAC), entre outras possibilidades. -Lei n.º 55/2018). A operacionalização dos DAC exige um trabalho de planificação que permita uma verdadeira integração curricular e promova aprendizagens significativas para todos os alunos, desenvolvendo nestes a autonomia, o espírito crítico, a criatividade... Assim, pretende-se a adoção de práticas pedagógicas capazes de promover uma maior implicação dos alunos nas aprendizagens a realizar, como sendo a metodologia de projeto, (a Metodologia de Trabalho de Projeto está associada a uma visão interdisciplinar e transdisciplinar do saber e adquire sentido na experiência do aluno, (Oliveira, 2016); o trabalho prático e experimental; atividades cooperativas de aprendizagem. A dinâmica transdisciplinar e a possibilidade de uso de diferentes linguagens artísticas podem constituir recursos essenciais para a operacionalização dos DAC. Nesta perspetiva, pretende-se criar um espaço de reflexão para capacitar os docentes para o desenvolvimento desta opção curricular prevista na legislação, mobilizando o poder indisciplinador das artes e dos patrimónios, inquietando, desarrumando e pondo em causa a ordem e certezas habituais, criando espaços de liberdade para a construção pessoal e coletiva: lugares e tempos de questionamento e abertura.

Objetivos

I- Refletir sobre a importância da implementação de Domínios de Autonomia Curricular (DAC) no contexto da legislação em vigor; II - Operacionalizar /planificar DAC, em equipas multidisciplinares, recorrendo às áreas artísticas e aos patrimónios como suporte de aprendizagens; III - Partilhar boas práticas de trabalhos em DAC.

Conteúdos

- A importância da implementação de Domínios de Autonomia Curricular (DAC) no contexto da legislação em vigor; - Princípios para a planificação e concretização de DAC; - O poder educativo das artes e dos patrimónios como facilitador dos trabalhos em DAC; - Metodologias ativas e aprendizagem cooperativa no trabalho a desenvolver

Metodologias

Exposição; realização de um trabalho recorrendo ao trabalho colaborativo, por equipas multidisciplinares.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação de Avaliação da Ação

Bibliografia

COHEN, Ana Cláudia; FRADIQUE, José (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Lisboa: Raiz Editora. COSME, Ariana (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular – Propostas e estratégias de ação. Porto: Porto Editora.


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes de todos os grupos disciplinares do Agrupamento de Escolas Coimbra Sul, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes de todos os grupos disciplinares das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 3.º - Outros Docentes de todos os grupos disciplinares, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-10-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 244ACD28-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD28-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 04-10-2023

Fim: 04-10-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Enquadramento

O programa de digitalização para as Escolas, no âmbito do Plano de Ação para a Transição Digital, de 21 de abril de 2020 (RCM n.º 30/2020), prevê o desenvolvimento de um projeto-piloto na área dos Manuais Digitais, com início no ano letivo 2020/2021, e um possível alargamento a todas as escolas nos anos letivos seguintes. O Agrupamento de Escolas Martim de Freitas é uma das Escolas piloto dos Manuais Digitais desde 2020/2021. Este ano letivo houve um alargamento das turmas com os Manuais Digitais. Neste contexto considerou-se necessário o desenvolvimento de Ações de Formação para os docentes do Agrupamento de Escolas. Esta Ação de Formação vai ao encontro das necessidades dos professores no âmbito da capacitação dos docentes no âmbito da utilização das plataformas dos manuais digitais, para efetivar práticas de ensino e de aprendizagem centradas nos alunos.

Objetivos

Pretende-se constituir espaços de conhecimento, partilha e reflexão sobre diferentes questões da Educação e da Prática Educativa, muito particularmente questões relacionadas com a inovação pedagógica, tecnologia na educação, espaços de aprendizagem e desenvolvimento profissional docente, no âmbito dos Manuais Digitais.

Conteúdos

- A geração de Manuais Digitais e as Plataformas como ecossistema digital - A Escola Digital – Plataforma LEYA - Práticas Pedagógicas com a naturalização do digital

Metodologias

Exposição e partilha de Plataformas Digitais - Manuais Digitais

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérto de Satisfação.


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes do Agrupamento de Escolas da Martim de Freitas, por ordem de inscrição; 2.º - Ourtos docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-10-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial

Ref. 143AF06T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116457/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 03-10-2023

Fim: 14-11-2023

Regime: e-learning

Local: Virtual e AE Martim de Freitas (presencial)

Formador

Maria Luísa de Jesus Victor

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de Recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de Recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de Recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

['O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar.\r\nEsta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula.\r\nA presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.']

Objetivos

['Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas\r\nConsolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais\r\nPlanear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem)\r\nAprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras\r\nConsolidar a implementação do ciclo: Avaliar\x96Planear\x96Agir\x96 Rever para a inclusão\r\nPromover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens\r\nReforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais']

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas \r\n\x95\tExploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre:\r\no\tos valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação;\r\no\ta gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo;\r\no\to recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos;\r\no\ta valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens;\r\no\ta voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. \r\n\r\nMódulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas \r\n\x95\tPráticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. \r\n\x95\tEstratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem).\r\n\r\nMódulo 3 \x96 Gerir a diversidade em sala de aula \r\n\r\n\x95\tGestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos \x96 partilha de práticas.\r\n\x95\tMecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. \r\n\r\nMódulo 4 \x96 Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem \r\n\r\n\x95\tCaráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens.\r\n\x95\tPlanificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino.\r\n\x95\tO feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

['Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.']

Avaliação

['Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o \x93Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.']

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.


Observações

Critério de Seleção: 1.º - Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial das Escolas Associadas do CFAE MINERVA , por ordem de inscrição; 2.º - Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial de outra Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-10-2023 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
2 10-10-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
3 17-10-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 24-10-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
5 31-10-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
6 07-11-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
7 09-11-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
8 14-11-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial


270

Ref. 135AFD16-T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113188/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 03-10-2023

Fim: 31-10-2023

Regime: e-learning

Local: AE Martim de Freitas / Plataforma ZOOM

Formador

Nuno Miguel Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

['O sucesso escolar dos alunos assenta, em grande parte, em educadores preparados para atuar, de modo consistente e formativo em todas as vertentes, no processo de desenvolvimento dos alunos, numa perspetiva integral do indivíduo como elemento responsável, autónomo e participativo da sociedade atual. Neste processo, a avaliação constitui um elemento essencial do processo de aprendizagem e de ensino que deve ser pensada em simultâneo com as atividades de aprendizagem aquando da sua planificação, devendo ser concebida como um meio e não como um fim. Uma avaliação de elevada qualidade pode facilitar a aprendizagem porque indica o que é importante aprender, consolida aprendizagens, estrutura adequadamente a forma como os alunos autorregulam a sua aprendizagem e dedicação ao trabalho académico, promove o desenvolvimento de processos de análise, síntese e metacognição, e motiva para o prazer na aprendizagem em si. \r\nAtualmente as escolas vivem um momento de mudança, impulsionado pelo período pandémico vivido, e consolidado no Plano de Transição Digital em curso. Da avaliação feita pela Check-in e pela Selfie, constata-se que a área da avaliação com recurso ao digital é uma das áreas mais deficitárias, sendo necessário promover o desenvolvimento dessa competência digital dos docentes. \r\nEsta ação de formação pretende auxiliar os professores a tirar partido das Tecnologias Digitais para construir instrumentos diversificados .']

Objetivos

['- Identificar os diferentes propósitos da avaliação e instrumentos adequados a cada um;\r\n- Identificar as vantagens e desvantagens da avaliação com o digital;\r\n- Ilustrar formas de ultrapassar as fragilidades da avaliação digital;\r\n- Identificar, selecionar, avaliar e utilizar tecnologias digitais adequadas a atividades avaliativas a promover;\r\n- Promover o desenvolvimento de competências na seleção de tecnologias digitais adequadas;\r\n- Ser capaz de implementar atividades de avaliação numa ferramenta digital.']

Conteúdos

Organização e planeamento da ação (1 hora)\r\n\x95\tApresentação da ação, objetivos, conteúdos e dinâmicas da formação\r\n\x95\tOrganização do trabalho a desenvolver\r\n\x95\tDocumentação e recursos de apoio\r\nConceitos básicos de avaliação (2 horas) \r\n\x95\tClarificação do conceito de avaliação\r\n\x95\tDilemas, funções, objetivos, referenciais, métodos e instrumentos \r\n\r\nQualidade da Avaliação (1 hora)\r\n\x95\tCritérios de qualidade e regulação da avaliação: fiabilidade e validade\r\nAmbientes online e novas abordagens na avaliação das aprendizagens (3 horas)\r\n\x95\tAprendizagem e avaliação na era digital\r\n\x95\tCompetências e Taxonomias em ambientes digitais\r\n\x95\tVantagens e desvantagens da avaliação em ambientes digitais\r\n\x95\tAvaliação online das aprendizagens vs Avaliação das aprendizagens online\r\n\x95\tFeedback e autorregulação\r\nInstrumentos de avaliação e aplicações digitais para avaliação das aprendizagens (6 horas)\r\n\x95\tExploração e criação de instrumentos de avaliação com recurso à plataforma do Agrupamento e a ferramentas da Web 2.0\r\n\x95\tAnálise da aplicabilidade pedagógica destas ferramentas\r\nAvaliação (2 horas)\r\n\x95\tApresentação e apreciação de trabalhos.\r\n\x95\tAvaliação da ação.\r\nTotal: 15 horas

Metodologias

['As sessões serão compostas por uma parte teórica, dirigida a todos os docentes, e uma parte prática em que os formandos serão agrupados por áreas de conhecimento para desenvolvimento de um trabalho mais adequado à sua ação.\r\nIniciam-se com a exposição teórica e demonstrativa dos conteúdos, por parte do formador, e com exemplos devidamente contextualizados. Segue-se uma exploração conjunta com os formandos dos ambientes online, dos instrumentos de avaliação e de aplicações digitais para avaliação das aprendizagens. \r\nEm grupo, ou individualmente, os formandos deverão iniciar o desenvolvimento de um pequeno projeto de planificação (visando a sua implementação posterior em sala de aula com os alunos) de diversas modalidades de instrumentos de avaliação diagnóstica, formativa, sumativa de apoio às aprendizagens de um determinado conteúdo programático das disciplinas lecionadas pelos formandos, destinadas a ser utilizadas online e recorrendo às ferramentas digitais exploradas.']

Avaliação

['Os/As formandos/as serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho no 4595/2015, do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar.\r\nA avaliação dos/as formandos/as depende da frequência mínima de 2/3 das horas de formação presencial.\r\nA avaliação dos Formandos decorre em conformidade com o Regime Jurídico da Formação Contínua, n.º2 do art.º do ECD, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de janeiro e a carta circular CCPFC-3-2007-Setembro.\r\nA avaliação do desempenho dos formandos tem em conta os seguintes parâmetros:\r\n- Participação nas sessões (qualidade das intervenções e do trabalho desenvolvido no decorrer da acção);\r\n- Trabalho individual de aplicação de conhecimentos.\r\n\r\nCom os seguintes Critérios de avaliação: \r\n- Empenho e participação nas sessões (25%)\r\n- Trabalhos produzidos e participação nas sessões (25%)\r\n- Reflexão crítica individual sobre a formação vivenciada e as aprendizagens obtidas/consolidadas em cada módulo da formação (50%)']

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdfJisc (2020) The Future of Assessment: Five Principles, Five Targets for 2025. Bristol: Jisc Innovation Group.Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Observações

Critério de Seleção: 1.º - Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial das Escolas Associadas do CFAE MINERVA , por ordem de inscrição; 2.º - Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial de outra Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 10-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 17-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 24-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 31-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona


322

Ref. 143AFRA6-T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116457/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 02-10-2023

Fim: 20-11-2023

Regime: e-learning

Local: Virtual e AE Martim de Freitas (presencial)

Formador

Maria de Fátima Ferreira Pires Martins

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de Recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de Recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de Recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

['O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar.\r\nEsta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula.\r\nA presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.']

Objetivos

['Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas\r\nConsolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais\r\nPlanear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem)\r\nAprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras\r\nConsolidar a implementação do ciclo: Avaliar\x96Planear\x96Agir\x96 Rever para a inclusão\r\nPromover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens\r\nReforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais']

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas \r\n\x95\tExploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre:\r\no\tos valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação;\r\no\ta gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo;\r\no\to recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos;\r\no\ta valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens;\r\no\ta voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. \r\n\r\nMódulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas \r\n\x95\tPráticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. \r\n\x95\tEstratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem).\r\n\r\nMódulo 3 \x96 Gerir a diversidade em sala de aula \r\n\r\n\x95\tGestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos \x96 partilha de práticas.\r\n\x95\tMecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. \r\n\r\nMódulo 4 \x96 Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem \r\n\r\n\x95\tCaráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens.\r\n\x95\tPlanificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino.\r\n\x95\tO feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

['Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.']

Avaliação

['Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o \x93Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.']

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021.European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.


Observações

Critério de Seleção: 1.º - Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial das Escolas Associadas do CFAE MINERVA , por ordem de inscrição; 2.º - Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial de outra Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-10-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
2 09-10-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
3 16-10-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 23-10-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
5 30-10-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
6 09-11-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
7 13-11-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
8 20-11-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial


248

Ref. 233MBSR-ED-T1 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/911/2022-2023

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 02-10-2023

Fim: 27-11-2023

Regime: b-learning

Local: Seminário Maior de Coimbra

Formador

Dra Cristina Quadros

Patrícia Isabel Pinto Mano

Destinatários

- Técnicos Superiores Psicólogos e Outros Técnicos Superiores

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / MindSerena

Enquadramento

MindSerena® é um modelo educativo de aprendizagem socioemocional e desenvolvimento pessoal, baseado nas abordagens científicas do Mindfulness e nos ODS. Concebido na FPCEUC, o Modelo MindSerena® iniciou implementação no Agrupamento de Escolas de Penacova, em 2018/19, a convite do Município, financiado pelo Programa Realiza-te da CIM-RC. O impacto, a nível da sua aceitabilidade e das dimensões de mudanças esperadas nos planos cognitivo, emocional, interpessoal e de rendimento escolar, motivou o convite da CIM-RC para implementar o Modelo nos Municípios que a integram, em 2022/23. Este Modelo promove uma cultura de bem-estar pessoal, social e ambiental através de atividades educativas experienciais orientadas para o desenvolvimento de competências de autorregulação da atenção e das emoções, de resiliência e adaptabilidade, de pensamento crítico e criativo, e de resolução de problemas. Melhora ainda a comunicação interpessoal e comportamento prossocialde alunos/as, professores/as e demais profissionais da educação, e acentua a presença e ação conscientes e uma atitude de compromisso, respeito e contemplativa para com a Natureza. Responde a todas as recomendações do Estudo da DGEEC “Observatório Escolar: Monitorização e Ação: Saúde Psicológica e Bem-Estar” de maio de 2022. Convocando uma abordagem sistémica, a implementação inicia com este Programa destinado a docentes a fim de compreenderem o alcance dos princípios e das práticas de Mindfulness, através de metodologias educativas experienciais, bem como desenvolverem as qualidades e atitudes adequadas à implementação destas práticas junto dos alunos. O treino específico para implementação junto dos alunos é feito numa etapa posterior com a Formação Aventura MindSerena.

Objetivos

Considerando a evidência científica do Mindfulness em contexto escolar e os resultados qualitativos e quantitativos já disponíveis do Modelo MindSerena®, espera-se impacto na: - Melhoria do bem-estar físico e psicossocial, - Redução de problemas de saúde mental (stress, ansiedade, depressão e burnout), - Aumento do autocuidado, - Aumento da conexão e do afeto positivo com os alunos, - Aumento da capacidade de focar a atenção, - Melhoria da adaptabilidade e resiliência

Conteúdos

O Programa de Introdução ao Mindfulness segue o protocolo do Programa de Redução de Stress baseado em Mindfulness – MBSR (Mindfulness Based Stress Reduction). O MBSR é um programa experiencial, dinamizado em sessões de grupo, que cultiva um estado de atenção intencional, focado no momento presente, sem julgamento. Desenvolvido em 1979 por Jon Kabat-Zinn, professor no Center for Mindfulness da Escola Médica da Universidade de Massachusetts, o MBSR tem visto a sua eficácia cientificamente demonstrada e é atualmente utilizado em numerosos países nos mais diversos contextos sociais e profissionais. Conteúdos: - Instruções guiadas nas práticas de meditação mindfulness; - Alongamentos suaves e movimento consciente; - Didática da neurobiologia do cérebro, da atenção, das emoções e da comunicação intra e interpessoal; - Diálogos e partilha em grupo orientados para promover a consciência e reflexão nas diversas situações do dia-a-dia; - Convite a práticas diárias entre sessões; - Ficheiros áudio para as práticas entre sessões; - Manual de apoio às práticas

Metodologias

Regime presencial / online, sincrono (de acordo com o cronograma) Utilização da Plataforma Moodle do CFAE Minerva - https://moodle.cfae-minerva.edu.pt/ nas sessões síncronas. - sessões semanais online, síncronas = 20h - sessão prática presencial – 5h Assente essencialmente em metodologia experiencial, será também coadjuvado com o método expositivo conjugado ainda com o método interrogativo e demonstrativo, em todas as sessões.

Avaliação

Avaliação Quantitativa 0-20

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

Oliveira, A. L., Pereira, R. N., Mano, P. P., Pinheiro, R., & Freitas, P. (2020). Mindserena: Impacto do desenvolvimento de competências mindfulness em professores. In F. H. Veiga (Coord.), Envolvimento dos Alunos na Escola. Perspetivas da Psicologia e Educação – Inclusão e diversidade (pp. 424-440). Instituto de Educação, Univ. de Lisboa. ISBN: 978-989-8753- 60-1 Mano, P. P., Pereira, R. N., Quadros, C., Oliveira, A. L., Freitas, P., & Pinheiro, R. (2020). Mindserena: Desenvolvimento de competências atencionais e socioemocionais baseadas no mindfulness em alunos do 2o e 3o ciclos. In F. H. Veiga (Coord.), Envolvimento dos Alunos na Escola. Perspetivas da Psicologia e Educação – Inclusão e diversidade (pp. 441-455). Instituto de Educação, Univ. de Lisboa. ISBN: 978-989-8753-60-1 Oliveira, A. L. (2020). Mindfulness em contexto educativo: Projeto de aprendizagem socioemocional Mindserena. In A. A. A. Carvalho (Org.), Aplicações para dispositivos móveis e estratégias inovadoras na educação (pp. 141-151). Ministério da Educação, Direção Geral da Educação. ISBN: 978-972-742-448-1 Weare K., Bethune A., (2021). Implementing Mindfulness in Schools: an evidence-based guide, The Mindfulness Iniciative. ISBN: 978-1-913353-04-9 Kabat-Zinn, J. (2022). Mindfulness: A vida como ela é. Nascente. ISBN:978-989-564-980-8


Observações

Inscrições através do programa MindSerena

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 19:00 1:00 Online síncrona
2 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
5 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
7 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 18-11-2023 (Sábado) 09:00 - 18:00 9:00 Presencial
9 20-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
10 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona

Ref. 132AFD08-T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113441/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 02-10-2023

Fim: 29-11-2023

Regime: e-learning

Local: CFAE MINERVA / Plataforma ZOOM

Formador

Laurentina do Carmo Pinto Soares

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

['O eTwinning \x96 a comunidade de escolas da Europa \x96 surgiu em 2005, por iniciativa da Comissão Europeia, no âmbito do programa e-Learning da União Europeia, integrando-se atualmente no Programa Erasmus+. Esta comunidade tem por base um portal europeu online, www.etwinning.net, destinado a professores, diretores e bibliotecários, desde o ensino pré- escolar até ao secundário, do ensino público ou privado. Esta plataforma dá acesso a um espaço que lhes permite comunicar, colaborar, partilhar e desenvolver projetos com outros agentes educativos europeus, alargando, desta forma, a rede de aprendizagem europeia, através do recurso às tecnologias da informação e comunicação. A comunidade eTwinning conta com um Serviço Central de Apoio (CSS) com sede em Bruxelas, na European Schoolnet, e com a colaboração de trinta e três Serviços Nacionais de Apoio (NSS) sediados em vários países europeus. Em Portugal, o NSS integra-se na Direção-Geral de Educação (DGE), mais concretamente na Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (ERTE), www.etwinning.dge.mec.pt . O NSS português tem procurado apostar na formação dos professores no que respeita à metodologia de trabalho de projeto, tendo por base o eTwinning, e na utilização integrada das tecnologias de informação e comunicação (TIC) em contexto de sala de aula.']

Objetivos

['Conhecer as competências do século XXI que devem ser alcançadas pelos alunos; − Compreender a filosofia subjacente aos projetos eTwinning; − Discutir formas de integrar no currículo o eTwinning e, assim, repensar a metodologia usada em contexto de sala de aula; − Discutir a relação do eTwinning com as competências do século XXI; − Adquirir conhecimentos que permitam formalizar e gerir projetos através da Plataforma eTwinning; − Explorar as principais funcionalidades do espaço virtual no desenvolvimento de um projeto eTwinning (TwinSpace); − Conhecer exemplos de ferramentas da web 2.0 com virtualidades no desenvolvimento de projetos europeus; − Consciencializar para a importância do trabalho colaborativo na construção de aprendizagens significativas, tanto numa dimensão multilingue como multicultural; − Promover a participação dos alunos e professores em atividades conjuntas com outras escolas, contribuindo para a construção de uma verdadeira cidadania europeia; − Promover a igualdade de oportunidades a todos os jovens envolvidos no projeto.']

Conteúdos

Módulo 1: O projeto eTwinning e as competências do século XXI (3 horas) As competências do século XXI. A aprendizagem colaborativa. O eTwinning na base da aprendizagem colaborativa e das competências do século XXI. \r\nMódulo 2: Do registo do professor na plataforma eTwinning à elaboração de um projeto (6 horas) Registo no Portal eTwinning Funcionalidades do espaço pessoal eTwinning (eTwinning Live). Passos a seguir para estabelecer parcerias eTwinning. Pesquisa de professores/escolas para o desenvolvimento de projetos colaborativos. Planificação colaborativa de um projeto eTwinning. Formalização de um projeto eTwinning. \r\nMódulo 3: Espaço de desenvolvimento do projeto: o TwinSpace (12 horas) Potencialidades do espaço onde se desenvolve o projeto eTwinning (TwinSpace). Ferramentas disponíveis no TwinSpace. Organização, gestão e dinamização do TwinSpace. Desenvolvimento do projeto eTwinning. \r\nMódulo 4: Da partilha à colaboração no eTwinning - as ferramentas da web 2.0 (4 horas) Exemplos de ferramentas da web 2.0 que podem ter utilidade no desenvolvimento de projetos eTwinning. Inclusão no TwinSpace dos produtos construídos com ferramentas da web 2.0

Metodologias

['Este curso, com um total de 25 horas presenciais, desenvolver-se-á em oito sessões presenciais tendo por suporte uma disciplina alocada no Moodle de acordo com o seguinte formato: \r\nMódulo 1 \x96 1 sessão presencial (3 horas); \r\nMódulo 2 \x96 2 sessões presenciais (2 x 3 horas); \r\nMódulo 3 \x96 4 sessões presenciais (4 X 3 horas); \r\nMódulo 4 \x96 1 sessão presencial (4 horas).']

Avaliação

['Os formandos serão avaliados nos termos do Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, e da Carta Circular CCPFC 3/2007, com base numa avaliação contínua em que serão valorizados a participação e o empenho na formação, a realização de algumas atividades ao longo das sessões e a interiorização reflexiva dos temas abordados.\r\nA avaliação quantitativa de cada formando expressa numa escala de 1 a 10 valores, com base nos seguintes parâmetros e ponderação:\r\n\x95PARTICIPAÇÃO - 20 %\r\n\x95TRABALHOS REALIZADOS DURANTE A FORMAÇÃO - 30 %\r\n\x95RELATÓRIO DE REFLEXÃO CRÍTICA - 50 %\r\nPara obter condições de aprovação, o formando deve cumprir dois terços de presenças.\r\nO regime de avaliação será explicitado aos formandos através de uma ficha de descritores de nível de desempenho para cada parâmetro e a respetiva valoração.']

Bibliografia

Commission of the European Communities: Proposal for a Recommendation of the European Parliament and of the Council on key competencies for lifelong learning, Brussels, 10.11.2005.Crawley, C. e Gilleran, A. (Coord.) (2011). O livro de receitas eTwinning. Bruxelas: Serviço Central de Apoio eTwinning, European Schoolnet. Acedido em 20/09/2013 em http://files.eun.org/etwinning/cookbooks/PT_cookbook.pdfGalvin, C. (2009). O eTwinning na sala de aula: uma mostra de boas práticas. Bruxelas: Serviço Central de Apoio eTwinning, European Schoolnet. Acedido em 20/09/2013. http://resources.eun.org/etwinning/80/PUBLICATION_eTwinning_in_the_classroom_EN.pdf


Observações

Critério de Seleção: 1.º - Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial das Escolas Associadas do CFAE MINERVA , por ordem de inscrição; 2.º - Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, Secundário e Professores de Educação Especial de outra Escolas, por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Presencial
2 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
3 11-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 18-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
5 25-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
6 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
7 08-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 15-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 22-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
10 29-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona


323

Ref. 215ACD05 Concluída

Registo de acreditação: ACD05 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 30-09-2023

Fim: 30-09-2023

Regime: Presencial

Local: Centro Cultural Penedo da Saudade (IPC)

Formador

Ana Paula Ramos Ferreira

Natália de Jesus Albino Pires

Destinatários

Docentes do Ensino Básico e Secundário dos grupos 110, 200, 210, 220, 300 e 400

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / ESEC

Enquadramento

O enquadramento legal dado pelo DL 55/2018, pelo PASEO e pelas AE, desafia as escolas a promoverem aprendizagens integradas dos saberes (de forma inter e multidisciplinar), metodologias de trabalho cooperativo (que promovem o inter-relacionamento) e um ensino centrado nos alunos (em que o professor assume o papel de tutor/orientador). A importância da interdisciplinaridade, enquanto prática promotora de interligação de saberes com recurso a propostas didáticas e pedagógicas que suportam aprendizagens autónomas, tem vindo a ser salientada por diferentes autores estrangeiros e nacionais desde os anos 90 do século XX. Torna-se, por isso, fundamental promover exemplos de interdisciplinaridade, mais ou menos extensíveis a várias áreas do saber, que fomentem o trabalho em equipa entre docentes das diferentes disciplinas.

Objetivos

- Fomentar a colaboração entre instituições; fomentar o intercâmbio de experiências letivas entre docentes; promover práticas de interdisciplinaridade; sensibilizar para metodologias que coadjuvem ao desenvolvimento de competências definidas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; divulgar a criação literária de base histórica passível de recurso didático nas diferentes áreas do Saber.

Conteúdos

Comunicações específicas sobre o conceito de interdisciplinaridade; sobre propostas pedagógicas com implementação de práticas didáticas interdisciplinares; sobre o processo de escrita literária a partir de factos históricos (descriminadas em anexo).

Metodologias

Palestras a proferir por especialistas e partilha de experiências pedagógicas.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação

Bibliografia

Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular. Porto Editora. Cosme, A.; Lima, L.; Ferreira, D. & Ferreira, N. (2021). Metodologias, Métodos e Situações de Aprendizagem. Porto Editora.

Anexo(s)

Programa - 2º Encontro com História: as vozes da interdisciplinaridade


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Docentes do Ensino Básico e Secundário dos grupos 110, 200, 210, 220, 300 e 400 das Escolas Associadas do CFAE Minerva. 2.º - Outros Docentes do Ensino Básico e Secundário dos grupos 110, 200, 210, 220, 300 e 400. 3º - Outros participantes com interesse (estudantes, entre outros) - Declaração de participação para Pessoal Não Docente - https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdTHIHTN1rMZe6ph9l42ql_eu5E0AEiRg0AzE7BPnT5QZxkKQ/viewform

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 30-09-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 30-09-2023 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 231AFPRA11 - MATB Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118006/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 27-09-2023

Fim: 15-11-2023

Regime: b-learning

Local: CFAE Minerva / ZOOM

Formador

Anabela da Silva Jorge da Costa

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Associação de Escolas Minerva

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Os novos módulos e o seu racional: o Introdução à Inferência Estatística o Geometria sintética o Matemática e arte o Distâncias inacessíveis o Álgebra de Boole o Modelos de grafos o Matemática financeira e fiscal o Matemática comercial o Matemática laboral o Biomatemática o Criptografia - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Metodologias

Oficina de Formação em Regime B-learning. Metodologia Ativa.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Avaliação da Ação

Bibliografia

Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE.Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta.Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação


Observações

Critérios de seleção: 1.º Docentes do grupo de recrutamento 500, indicados pela Direção das Escolas Associadas, por ordem de inscrição; 2.º Docentes do grupo de recrutamento 500, das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 3.º Outros Docentes do grupo de recrutamento 500 de outras escolas.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-09-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial
2 04-10-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 11-10-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 18-10-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 25-10-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 31-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 08-11-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 15-11-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial


320

Ref. 234ACD19-22/23 Concluída

Registo de acreditação: ACD19-2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 27-09-2023

Fim: 04-10-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Avelar Brotero

Formador

Joana Silva

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Escola Secundária de Avelar Brotero

Enquadramento

Numa perspetiva claramente inclusiva, o decreto-lei nº 54/2018 de 6 de junho, “estabelece os princípios e as normas que garantem a inclusão, enquanto processo que visa responder à diversidade das necessidades e potencialidades de todos e de cada um dos alunos, através do aumento da participação, nos processos de aprendizagem a na vida da comunidade educativa”. ( nº 1 do artigo 1º). A escola assume-se, cada vez mais, como um espaço multicultural e, deste modo, os professores encontram desafios repensando a escola e as práticas educativas adequadas à especificidade de cada aluno tornando a escola mais inclusiva. Com esta formação pretende-se enquadrar legislativamente a intervenção com alunos surdos, mas fundamentalmente contribuir para uma prática pedagógica mais reflexiva promovendo o debate baseado nas experiências dos formandos e clarificando conceitos base subjacentes criando um ambiente efetivamente inclusivo garante do direito à educação assente na igualdade de oportunidades e no respeito pela diversidade cultural e linguística existente na nossa comunidade escolar - respondendo às necessidades dos professores que intervêm diariamente com estes alunos ou que o possam vir a fazer. Outro dos objetivos, é mostrar o funcionamento da equipa de intervenção bilingue e analisar o papel que cada um dos elementos desempenha. Pelo exposto, considera-se fundamental promover esta ação de formação.

Objetivos

1. Compreender, à luz da legislação, o conceito de educação inclusiva especificamente no que concerne a intervenção com alunos surdos; 2. Conhecer a equipa de intervenção bilingue, os seus elementos e os papéis que desempenham; 3. Compreender os aspetos culturais e históricos que enquadram a intervenção com alunos surdos; 4. Dotar os formandos de competências linguísticas básicas.

Conteúdos

- O conceito de educação inclusiva especificamente no que concerne a intervenção com alunos surdos; - A equipa de intervenção bilingue, os seus elementos e os papéis que desempenham; - Os aspetos culturais e históricos que enquadram a intervenção com alunos surdos.

Metodologias

- Exposição dos conceitos.

Avaliação

Frequência.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.


Observações

Critérios de seleção: 1.º - Docentes da Escola Secundária Avelar Brotero, por ordem de inscrição; 2.º - Docentes das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 3.º - Outros docentes por ordem de inscrição.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-09-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
2 04-10-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 217ACD02/2023/2024 Concluída

Registo de acreditação: ACD02 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 26-09-2023

Fim: 27-09-2023

Regime: Presencial

Local: CFAE Minerva

Formador

Ana Vicente

Destinatários

Educadores/as de Infância e Professores/as dos grupos de recrutameto 100, 110 e 910

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Câmara Municipal de Coimbra

Enquadramento

A equipa Coimbra[PRO]Sucesso insere-se no projeto “Prevenção do Abandono Escolar Precoce e Promoção do Sucesso Escolar” – Planos Integrados e Inovadores de Combate ao Insucesso Escolar, implementado pelo Município de Coimbra e aprovado no quadro de Programação Centro 2020. Conta com a sinergia entre as áreas de Psicologia, Educação Social e Terapia da Fala que assumem, dentro de um leque diversificado de atividades de promoção do sucesso escolar, um papel pertinente na execução de ações de formação que potenciam a melhoria da qualidade de vida da comunidade educativa. O sucesso escolar é associado a vários fatores, tais como: desenvolvimento cognitivo, aspetos motivacionais, ambientais e relacionais, proficiência linguística, entre outros. Como tal, o desempenho dos alunos nas diferentes atividades do dia-a-dia, reflete uma panóplia de fatores que devem ser considerados, pelo que diversas estratégias devem ser adotadas e adaptadas pelos docentes, visionando o sucesso, não só da turma enquanto grupo, como também de cada aluno enquanto ser individual. A presente formação pretende facultar métodos, estratégias e orientações teóricas que capacitem o/a docente enquanto agente promotor do sucesso escolar, reforçando uma relação próxima entre o professor e o aluno.

Objetivos

- Impulsionar o processo de aprendizagem - Aprender estratégias da consciência linguística na aprendizagem da leitura e escrita; - Elaborar material pedagógico digital a utilizar em contexto de sala de aula

Conteúdos

Pretende-se que esta ação tenha uma componente teórico-prática, recorrendo ao método expositivo e à utilização de dinâmicas de grupo, respetivamente. I – Estratégias para a promoção do sucesso escolar: - Estratégias a implementar em contexto de sala de aula; - Consequências do insucesso escolar; - Educar sem rótulos; - A importância da relação Professor/a e Aluno/a. II – Estratégias impulsionadoras do processo de aprendizagem Professor/a – Aluno/a: - Sensação; - Perceção; - Memorização; - Atenção; - Motivação. III – Processo de aquisição de leitura e da escrita: - Importância da consciência linguística na aprendizagem da leitura e escrita; - Estratégias de intervenção na aprendizagem da leitura e escrita; - Papel do processamento fonológico na aprendizagem da leitura e escrita: nomeação rápida, memória fonológica e consciência fonológica; - Elaboração de material pedagógico digital a utilizar em contexto de sala de aula

Metodologias

Metodologia Ativa. Exposição e aplicação prática.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação.

Bibliografia

CRUZ, V. (2020) - Do aprender a ler ao ler para aprender. Guia para professores, educadores e pais. Lisboa: Pactor – Edições de Ciências Sociais, Forenses e da Educação. ISBN: 978-989-693-101-8. GASPAR, E. (2018) – Como ter as melhores notas da escola. Lisboa: Editorial Presença. ISBN: 978-972-236-269-6. MEALHA ESTRADA, M. (2016) - Ouvir o que a criança não diz. Exercícios para compreender e ajudar as crianças. Lisboa: Oficina do Livro – LEYA. MOREIRA, P. (2017) - Eu controlo as emoções. Gestão de Emoções. Coleção Crescer a Brincar. Porto: Porto Editora. MOREIRA, P. (2019) - STOP! Disciplina e Autocontrolo. Compreender e controlar comportamentos. Coleção Crescer a Brincar. Porto: Porto Editora. PAIVA, R. (2014) - O segredo para alcançar o sucesso na escola. Lisboa: A Esfera dos Livros. ISBN: 978-989-626-522-9. PINTO MARTINS, N. (2021) - Educar pela Positiva: Um Guia para Pais e Educadores. Lisboa: Bertrand Editora. RAMOS, V. (2020) - Como lidar com os problemas de comportamento das crianças. Guia para professores, educadores e pais. Lisboa: Pactor – Edições de Ciências Sociais, Forenses e da Educação. ISBN: 978-989-693-104-9. RIO CARDOSO, J. (2019) - Guia para seres o melhor aluno. Lisboa: Guerra e Paz Editores, S.A. ISBN: 978-989-702-505-1. ROMBERT, J. (2020) - Escrever direito por linhas tortas. Barcarena: Editorial Presença. ISBN: 978-989-8975-36-2. SANTOS SILVA, H., PINTO LOPES, J. & MOREIRA, S. (2018) – Cooperar na sala de aula para o sucesso. Lisboa: Pactor – Edições de Ciências Sociais, Forenses e da Educação. ISBN:978-989-693-078-3. WEBSTER-STRATTON, C. (2010) - Os Anos Incríveis: Guia de Resolução de Problemas para Pais de Crianças dos 2 aos 8 anos de Idade. Braga: Psiquilibrios Edições


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Educadores/as de Infância e Professores/as dos grupos de recrutameto 100, 110 e 910 das Escolas Associadas do CFAE Minerva; 2.º - Educadores/as de Infância e Professores/as dos grupos de recrutameto 100, 110 e 910 das Escolas do concelho de Coimbra.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-09-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 27-09-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

Ref. 232AFPRA10 - MATa Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118005/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 22-09-2023

Fim: 24-11-2023

Regime: b-learning

Local: CAFE Minerva / Plataforma ZOOM

Formador

João José Pereira Marques

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Ideias-Chave das Aprendizagens Essenciais: o Resolução de problemas, modelação e conexões o Raciocínio dedutivo e lógica matemática o Recurso sistemático à tecnologia o Tarefas e recursos educativos o Práticas enriquecedoras e criatividade o Organização do trabalho dos alunos o Comunicação matemática o Avaliação para a aprendizagem - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação.

Bibliografia

Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE.Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta.Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação


Observações

Critérios de seleção: 1.º Docentes do grupo de recrutamento 500, indicados pela Direção das Escolas Associadas, por ordem de inscrição; 2.º Docentes do grupo de recrutamento 500, das Escolas Associadas do CFAE Minerva, por ordem de inscrição; 3.º Outros Docentes do grupo de recrutamento 500 de outras escolas.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-09-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona
3 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 20-10-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 03-11-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
7 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 17-11-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 24-11-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial


324

Ref. 214ACD18 Concluída

Registo de acreditação: ACD18 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 14-09-2023

Fim: 14-09-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas / ZOOM

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Celestino Magalhães

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA

Enquadramento

A Ação de Curta Duração (ACD) "Potenciar a Inteligência Artificial em sala de aula: o caso do ChatGPT" é fundamentada na crescente importância da Inteligência Artificial (IA) na educação e na necessidade de preparar os educadores para esta realidade. A IA tem o potencial de transformar a forma como ensinamos e aprendemos, tornando a educação mais personalizada, eficiente e acessível. O ChatGPT, como uma ferramenta de IA, pode ser um recurso valioso na sala de aula. No entanto, é crucial que os educadores compreendam como utilizá-lo eficazmente e estejam cientes das implicações éticas e sociais da sua utilização. A empatia, por exemplo, é um aspeto crucial que não deve ser esquecido ao utilizar ferramentas de IA. A ACD proposta visa, portanto, proporcionar aos participantes uma compreensão abrangente do papel da IA na educação, com foco específico no uso do ChatGPT. Através de uma combinação de apresentações, demonstrações práticas e discussões, os participantes terão a oportunidade de explorar as possibilidades e desafios associados ao uso da IA em sala de aula. Além disso, a ACD está projetada para ser interativa e centrada nos participantes para facilitar uma discussão aberta e a partilha de ideias, sendo consistente com as abordagens modernas de aprendizagem profissional, que enfatizam a importância do diálogo, da reflexão e da aprendizagem colaborativa.

Objetivos

- Familiarizar os participantes com a IA e seu papel na educação; - Apresentar o ChatGPT e discutir as suas possíveis aplicações em sala de aula; - Discutir a importância da empatia na utilização de ferramentas de IA; - Proporcionar uma oportunidade para os participantes experimentarem o ChatGPT num ambiente

Conteúdos

Introdução à Inteligência Artificial na Educação: - Breve introdução à Inteligência Artificial (IA) e o seu papel na educação. - Discussão sobre como a IA pode transformar a forma de ensinar e aprender. O caso do ChatGPT: - Apresentação do ChatGPT, as suas funcionalidades e como pode ser utilizado em sala de aula. - Discussão sobre a importância da empatia na utilização de ferramentas de IA e como garantir que a tecnologia não ofusque a humanidade. Demonstração prática: - Demonstração prática do uso do ChatGPT em sala de aula. Inteligência Artificial na Educação: - Discussão sobre os desafios e oportunidades da IA na educação, com foco no uso do ChatGPT .

Metodologias

Metodologias de aprendizagem ativa.

Avaliação

Frequência.

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação.

Bibliografia

Michael R. Genesereth, Nils J. Nislsson. 1987. “Logical Foundations of Artificial Intelligence”. Morgan Kaufman Publishers (Capítulos 2, 3 e 4) Coelho, H. – Inteligência Artificial em 25 lições, Fundação Calouste Gulbenkian, 1995. COSTA, E. e SIMÕES, A. – Inteligência Artificial, Fundamentos e Aplicações, FCA, 2004

Anexo(s)


Observações

Esta Ação de Formação terá a Modalidade ONLINE para quem não possa estar presencial e/ou não tenha lugar presencial. - 90 participantes presencial + 100 online Será enviado email com a informação.

Critérios de seleção: 1.º - Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial das Escolas Associadas do CFAE Minerva. 2.ª - Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial de outras Escolas.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-09-2023 (Quinta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial

Ref. 219ACD17-2023-2024 Concluída

Registo de acreditação: ACD17- 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 13-09-2023

Fim: 13-09-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Infanta D. Maria

Formador

Cristina Maria Gomes Ferrão

Maria Antónia de Sousa Ribeiro Martins

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Escola Secundária Infanta D. Maria

Enquadramento

De acordo com o decreto-lei 55/2018, a avaliação formativa é apresentada como a principal modalidade de avaliação, privilegiando a regulação do ensino e das aprendizagens, através da recolha de informação que permita conhecer a forma como se ensina e como se aprende, fundamentando a adoção e o ajustamento de medidas e estratégias pedagógicas. Com efeito, numa escola onde coexistem alunos com culturas e valores díspares, múltiplos interesses, diferentes padrões motivacionais e níveis de autoconfiança, e grande heterogeneidade de formas de pensar e de aprender, torna-se imperativo flexibilizar o processo de intervenção pedagógica, utilizando os dados recolhidos pela avaliação formativa para a construção de percursos educativos de qualidade. Neste contexto, pretende-se, nestas Jornadas, proporcionar um espaço de análise, reflexão e debate sobre conceções e práticas pedagógicas em torno da aprendizagem e avaliação formativa, destacando o lugar da motivação e da metacognição nestes processos, e o eventual recurso a tecnologias digitais.

Objetivos

- Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, em geral, e da avaliação pedagógica, em particular, congruentes com o real conteúdo das orientações constantes nos documentos legais. - Refletir e debater conceções e práticas pedagógicas.

Conteúdos

- Os Objetivos e emoções de realização - A Motivação e Aprendizagem Cooperativa - Metacognição e Avaliação Formativa - Tenologias digitais na avaliação das aprendizages escolares. Divulgação do ebook: A Prática em Avalação Digital de Competências (Universidade Aberta)

Metodologias

Serão usadas metodologias que fomentem a pro-atividade dos formandos e que conjugue as exposições com atividades de prática: Expositivo / Demonstrativo / Aplicações Práticas WORKSHOPS

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Bibliografia

• Amante, L., & Oliveira, I. (2019). Avaliação e feedback: Desafios atuais. Universidade Aberta. • Barreira, C. (2019). Conceções e práticas de avaliação formativa e sua relação com os processos de ensino aprendizagem. In M. I. Ortigão, D. Fernandes, T. Pereira & L. Santos (Orgs.), Avaliar para aprender no Brasil e em Portugal (pp. 191- 217). Editora CVR. • • Feyfant, A. (2012). A diferenciação pedagógica em sala de aula. https://www.aeolivais.edu.pt/docs/orientadores/DiferenciacaoPedagogica.pdf • Freitas, L.V., & Freitas, C.V. (2002). Aprendizagem cooperativa: Teoria e prática. Porto: Edições ASA. • Knight, J. (2013). High impact Instruction: A framework for great teaching. Thousand Oaks: Sage Publications. • Oliveira, I., Pereira, A., Amante, L., Oliveira, R. (Orgs.) (2022). A Prática em Avaliação Digital de Competências, LE@D, Universidade Aberta, DOI: https://doi.org/10.34627/leadw.2022.4, com a colaboração de Isolina Oliveira (Universidade Aberta). • Paixão, M. P. & Cordeiro, P. (2021). Arquitetura do modelo de intervenção e promoção escolar. In S. Galinha (Coord.), Bem estar, Educação e Direitos da Criança. FCT – CIEQV – Projeto nº UID/CED/04748/2020. 978-989-53210-1-8 • Pereira, M. (2017). Guia para uma pedagogia diferenciada em contexto de sala de aula. Coleção de Guias Educacionais. Coisas de Ler (sugestão de leitura) • Santos, L. (s/d). Diferenciação pedagógica: Um desafio a enfrentar. Revista Noesis, 13 páginas. Pro-Me-ToM - An Erasmus+ Project: promoting the development of teachers’ and students’ metacognitive and theory of mind skills (s/d) https://prometom-erasmus.info/ Ramos, L.A., Paixão, M.P. & Silva, J.T. (2010). Os objectivos em contextos de realização e o seu impacto na construção da identidade vocacional . In: Taveira, M.C. & Silva, D. (Coords.), Desenvolvimento Vocacional: Avaliação e Intervenção (Vocational Development: Assessment and Intervention). Braga: APDC (pp. 185-196). Ramos, L. A., Festas, I. Silva, J.T. & Paixão, M.P. (2020). Avaliação da motivação para a escrita: adaptação portuguesa de um questionário multifatorial. Psicologia em Pesquisa, 14(2).


Observações

Critérios de Seleção: - 1.º Docentes de todos os grupos disciplinares da Escola Secundária Infanta D. Maria; - 2.º Docentes de todos os grupos disciplinares das Escolas Associadas do CFAE Minerva; - 3.º Docentes de outras Escolas.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-09-2023 (Quarta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 13-09-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 218ACD16-2022-2023 Concluída

Registo de acreditação: ACD16 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 12-09-2023

Fim: 12-09-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Infanta D. Maria

Formador

Cristina Maria Gomes Ferrão

Maria Antónia de Sousa Ribeiro Martins

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / Escola Secundária Infanta D. Maria

Enquadramento

A avaliação pedagógica e respetivas práticas, de acordos com os Decretos-Lei n.ºs 54 e 55, ambos de 2018, têm sido uma preocupação por parte da tutela e das escolas e agrupamentos. A ESIDM, tendo sido escola piloto do projeto MAIA, desde 2019 que se tem preocupado em implementar uma avaliação que sirva as aprendizagens e respetivo sucesso dos seus alunos. Mas esta avaliação formativa e formadora implica mudanças de hábitos, de estratégias, de mentalidades. Neste sentido, este processo necessita de uma maior interiorização, por parte dos vários intervenientes educativos, para a qualidade das aprendizagens dos nossos alunos, para a normalização do processo e para um serviço de elevada qualidade.

Objetivos

- Clarificar conceitos-chave relacionados com a avaliação pedagógica. - Perceber a importância da avaliação preconizada no DL n.º55/2018, para uma aprendizagem sustentada e eficaz dos alunos. - Perceber a importância de/criar instrumentos de trabalho comuns (departamentos/equipas educativas).

Conteúdos

• A avaliação pedagógica, de acordo com o DL n.º 55/2018, e a sua relação com o Projeto MAIA. • Avaliação formativa: definição e aplicação. • Autoavaliação e autorregulação das aprendizagens. • Feedback de qualidade: importância para uma aprendizagem eficaz. • Instrumentos de recolha de informação: exemplos; aplicação.

Metodologias

Serão usadas metodologias que fomentem a pro-atividade dos formandos e que conjugue as exposições com atividades de prática: Expositivo / Demonstrativo / Aplicações Práticas

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação de Formação

Anexo(s)

Programa Jornadas

PROGRAMA


Observações

9. BIBLIOGRAFIA Andrade, H., & Heritage, M. (2017). Using assessment to enhance learning, achievement, and academic self-regulation. New York: Routledge. Cosme, A. (2020). Avaliação das aprendizagens : propostas e estratégias de ação. Porto: Porto Editora, 2020. Cosme, A. (2021). Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação. Porto : Porto Editora Fernandes, D. (2021). Avaliação Pedagógica, Classificação e Notas: Perspetivas Contemporâneas. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação Fernandes, D. (2021). Diversificação dos processos de recolha de informação (dois exemplos). Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Diversificação dos processos de recolha de informação (dois exemplos). Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Critérios de Avaliação. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A. (2021). Participação dos alunos nos processos de avaliação. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A. (2021). Para uma abordagem pedagógica dos testes. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A. (2022). Autoavaliação. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A., Braga, F. & Candeias, F. (2022) Avaliação pedagógica – referencial de autoavaliação. Texto de apoio à formação - Projeto de Monitorização Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Stiggins, R. (2014). Revolutionize assessment: empower students, inspire learning. Thousand Oaks, California: Corwin.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-09-2023 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 12-09-2023 (Terça-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 216ACD01 Concluída

Registo de acreditação: ACD01 - 2023_2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-09-2023

Fim: 08-09-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Martim de Freitas e ONLINE

Formador

Luís Miguel da Silva Gonçalves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Minerva / AEMF

Enquadramento

Na sequência da reformulação da Estratégia de Educação para a Cidadania do Agrupamento de Escolas de Martim de Freitas, considera-se fundamental dotar as/os docentes que leccionam a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento de informações acerca da forma de organizar os domínios definidos para cada ano, mas também de conhecimentos acerca dos pressupostos para a operacionalização interdisciplinar e o recurso a parceiros estratégicos, dotados do conhecimento necessário em domínios específicos.

Objetivos

• Compreender o contexto da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania: • Fundamentar opções pedagógicas a partir da Estratégia de Educação para a Cidadania do Agrupamento; • Promover a articulação de projectos e de aprendizagens disciplinares com as actividades a desenvolver na disciplina de Cidadania e Desenvolvimento.

Conteúdos

• Contextualização nacional e internacional da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania; • Pressupostos para a elaboração da Estratégia de Escola; • A relação da Estratégia de Escola com os diferentes projectos em desenvolvimento e com os parceiros da comunidade local; • A disciplina de Cidadania e Desenvolvimento e o seu enquadramento na lógica estratégica; • A metodologia de trabalho de Projeto numa lógica interdisciplinar, tendo como ponto de partida a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento; • A avaliação de aprendizagens em Cidadania e Desenvolvimento.

Metodologias

• Apresentação da Contextualização da ENEC • Apresentação de actividades desenvolvidas por parceiros da comunidade • Trabalhos de grupo para planificação do trabalho a desenvolver.

Avaliação

Frequência

Modelo

Inquérito de Satisfação

Bibliografia

- Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Setembro de 2017. - Martins, Guilherme d’Oliveira (coord.) (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE). - Referenciais de Educação (de diversas áreas temáticas/domínios de Educação para a Cidadania) – Direção-Geral da Educação – Ministério da Educação. http://www.dge.mec.pt/educacao-para-a-cidadania/documentos-de-referencia - A Democracia e os Direitos Humanos começam em nós, Conselho da Europa, 2012 https://rm.coe.int/CoERMPublicCommonSearchServices/DisplayDCTMContent?documentId=0900001680496a81 - Competências para a Cultura da Democracia, Conselho da Europa, 2016 https://rm.coe.int/CoERMPublicCommonSearchServices/DisplayDCTMContent?documentId=09000016806ccf15


Observações

Critérios: - 1.º Docentes de todos os grupos de recrutamento do Agrupamento de Escolas da Martim de Freitas; - 2.º Docentes de todos os grupos de recrutamento das Escolas Associadas do CFAE Minerva; - 3º - Outros Docentes. Nota: Capacidade para 90 presenciais e + 100 online Esta Ação de Formação terá a Modalidade ONLINE para quem não possa estar presencial e/ou não tenha lugar presencial. Será enviado email com a informação.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-09-2023 (Segunda-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
2 08-09-2023 (Sexta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial

Ref. 213ACD03-T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD03 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 07-09-2023

Fim: 07-09-2023

Regime: Presencial

Local: Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra

Formador

Sofia Margarida Correia Gonçalves

Destinatários

Educadores/as e Professores/as dos Grupos 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE MINERVA / CES

Enquadramento

Os sistemas educativos têm, nos últimos anos, abraçado a causa do combate aos estereótipos de género e da promoção de uma socialização mais equitativa de raparigas e rapazes como estratégia central para alcançar sociedades mais justas, saudáveis e equilibradas. Existe, contudo, uma lacuna evidente no que diz respeito à Educação Pré-escolar e 1.º e 2.º ciclos do Ensino Básico. Em 2016, em Portugal, com a aprovação, pelo Governo, da Estratégia Nacional de Educação e Cidadania, a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, onde se integra a educação para a igualdade de género, passou a fazer parte do currículo nacional e é desenvolvida nas escolas de acordo com o grau de ensino: terá natureza transdisciplinar no 1.º ciclo do Ensino Básico, passando a ser uma disciplina autónoma no 2.º ciclo do Ensino Básico. Estudos recentes afirmam que, aos 5 anos de idade, as crianças têm claramente definidos estereótipos de género (OCDE, 2021), constituindo a categoria ‘género’ um fator mais determinante do que a própria condição socioeconómica nas suas escolhas futuras. A pesquisa “International Early Learning and Child Well-being Study”, realizada com 4 mil crianças, mostrou que, quando questionados sobre o que gostariam de ser quando crescessem, os meninos revelavam escolhas mais estereotipadas, ou correspondentes a normas tradicionais de género, do que as meninas. As meninas mostraram-se mais interessadas em funções ou empregos tradicionalmente considerados masculinos, tais como polícia ou bombeira, do que os meninos em funções ou empregos considerados menos masculinos. No entanto, de um modo geral, a escolha de carreira mais comum entre meninas de 5 anos foi a de professora, enquanto que os meninos optaram, na maioria, pela carreira policial. As meninas tenderam a escolher carreiras que exigem qualificações académicas mais elevadas do que os meninos; no entanto, as escolhas de meninas recaem em papéis relacionados com cuidado, proteção e criatividade (enfermeira, veterinária, por exemplo). Em suma, as crianças respondem e reagem ao mundo que veem, e onde vivem. Os papéis, normas e expectativas de género são transmitidos às crianças através da interação, linguagem, práticas, vestuário, brinquedos, histórias, livros, entre outros, criando um sistema de pressão entre pares para corresponder a padrões de género, e desencorajando as atividades entre géneros (EIGE, 2016) ou que “não se encaixem” nestes padrões.

Objetivos

 Prevenir a potencial reprodução e transmissão de estereótipos de género por parte dos profissionais no jardim de infância e nas escolas básicas a nível nacional;  Promover mudanças de atitude relativamente a estereótipos desde idades precoces dentro e fora das escolas;  Dotar docentes de conhecimentos, competências e atitudes para uma pedagogia transformadora de normas de género (individual e coletiva).  Sensibilizar profissionais para ferramentas e metodologias que podem ser usadas no seu quotidiano.

Conteúdos

1. Desconstrução de estereótipos e masculinidades 1.1. Socialização de género na infância 2. Profissionais de Educação e Famílias: que desafios? 3. Metodologias transformadoras: um foco na prática.

Metodologias

A ACD tem como pilar principal a promoção da igualdade de género, dotando docentes de conhecimentos, competências e atitudes para uma pedagogia que responda a questões de género (promovendo ao mesmo tempo uma mudança comportamental da transmissão ainda prevalecente dos estereótipos de género por parte de profissionais). Serão usadas metodologias que fomentem a pro-atividade dos/as formandos/as e que conjugue as exposições com atividades de prática. O currículo de formação basear-se-á na experiência do projeto KINDER, bem como noutras metodologias utilizadas em projetos de investigação-ação do CES.

Avaliação

Frequência da Ação

Modelo

Inquérito de Satisfação da Ação

Bibliografia

- Council of Europe (2015) Combating Gender Stereotypes in and through Education. Report of the 2nd Conference of the Council of Europe National Focal Points on Gender Equality [accessed 17 March 2020 at https://rm.coe.int/1680590fe5] - European Commission (2020). The gender pay gap situation in the EU. European Commission [accessed 12 March 2020 at https://ec.europa.eu/info/policies/justice-and-fundamental-rights/gender-equality/equal-pay/gender-pay-gap-situation-eu_en] Kollmayer, M., Schober, B., & Spiel, C. (2018). Gender stereotypes in education: Development, consequences, and interventions. European Journal of Developmental Psychology, 15(4), 361–377.


Observações

Critérios de Seleção: 1.º - Educadores e Professores dos Grupos de Recrutamento 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260 das Escolas Associadas do CFAE Minerva 2.º - Outros Educadores e Professores dos Grupos de Recrutamento 100, 110, 120, 200, 210, 220, 230, 240, 250, 260

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-09-2023 (Quinta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 128AFD15T3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120905/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 04-09-2023

Fim: 12-12-2023

Regime: b-learning

Local: Agrupamento de Escolas MArim de Freitas / Plataforma ZOOM

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Celestino Magalhães

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

['O programa de digitalização para as Escolas, no âmbito do Plano de Ação para a Transição Digital, de 21 de abril de 2020 (RCM n.º 30/2020), prevê o desenvolvimento de um projeto-piloto na área dos Manuais Digitais, com início no ano letivo 2020/2021, e um possível alargamento a todas as escolas nos anos letivos seguintes.\r\nNeste contexto, a Direção-Geral da Educação considerou necessário o desenvolvimento de um programa de formação, onde se abordará modos de implementação de manuais digitais e de outros recursos digitais, fundamentalmente focados nas metodologias de ensino e numa pedagogia centrada nos alunos. \r\nPretende-se que a integração dos manuais digitais e de outras ferramentas se efetue de modo a criar rotinas e procedimentos diários, para efetivar práticas de ensino e de aprendizagem centradas nos alunos. Esta capacitação não se deve focar exclusivamente no âmbito das competências digitais e na utilização de plataformas de recursos, mas essencialmente na área das metodologias, pedagogias e práticas inovadoras em sala de aula.']

Objetivos

['Reconhecer a pertinência da construção de um ecossistema digital de ensino e aprendizagem;\r\nConhecer constrangimentos e potencialidades da utilização de manuais escolares digitais identificados em projetos anteriores; \r\nMotivar os professores para a integração de métodos, estratégias e recursos de aprendizagem ativa em sala de aula;\r\nExplorar princípios da avaliação pedagógica;\r\nConhecer procedimentos a ter em conta quando se pretende organizar portefólios digitais na sala de aula;\r\nRefletir e discutir sobre potencialidades dos portefólios digitais em contexto escolar;\r\nConceber e experimentar atividades de aprendizagem ativa com recurso a manuais digitais.\r\nRefletir sobre a aplicação destas práticas pedagógicas, centradas no aluno, em contexto escolar e analisar as suas potencialidades em função das aprendizagens realizadas pelos alunos.\r\nContribuir para criar dinâmicas de trabalho colaborativo que favoreçam a reflexão e partilha de práticas pedagógicas centradas no aluno, com a integração dos manuais digitais.']

Conteúdos

Os conteúdos da ação de formação encontram-se organizados da seguinte forma:\r\nMódulo 0 - Introdução (3h horas: 3P)\r\nEcossistemas digitais de ensino e de aprendizagem.\r\nManuais digitais na educação: constrangimentos e potencialidades em projetos anteriores.\r\nMódulo 1: Aprendizagem ativa (5 horas: 1,5S + 2A + 1,5S)\r\nConceito de aprendizagem ativa.\r\nExemplos de ambientes de aprendizagem centrados no aluno. Discussão e debate sobre as principais diferenças entre aprendizagem ativa e aprendizagem passiva.\r\nPrincipais benefícios da pedagogia de aprendizagem ativa.\r\nMétodos e estratégias de aprendizagem ativa.\r\nDesafios das abordagens de aprendizagem ativa e formas de os ultrapassar.\r\nExemplos práticos de aprendizagem ativa.\r\nMódulo 2 - Avaliação para a melhoria das aprendizagens (2,5 horas: 1,5 S + 1 A)\r\nPrincípios da avaliação pedagógica.\r\nMonitorização e acompanhamento das aprendizagens dos alunos.\r\nExemplos de práticas de avaliação pedagógica.\r\nMódulo 3 - Portefólios digitais (5 horas: 1S + 2A + 2S)\r\nConceito de portefólio digital.\r\nPotencialidades dos portefólios digitais em contexto escolar.\r\nConceção e implementação de portefólios digitais.\r\nAvaliação de um portefólio digital.\r\nMódulo 4: Conceção e implementação de atividades de aprendizagem ativa (5 horas: 2S + 1A + 2S)\r\nPlanificação de atividades de aprendizagem ativa com recurso a manuais digitais.\r\nExperimentação em contexto de uma atividade de aprendizagem ativa.\r\nPartilha e colaboração entre pares - resolução de problemas e redefinição de estratégias.\r\nMódulo 5: Apresentação e reflexão sobre a implementação (4,5 horas:1,5 S + 3P)\r\nAutorreflexão sobre o processo de implementação desenvolvido - guião de autorreflexão.\r\nApresentação e reflexão crítica sobre a experiência realizada e resultados obtidos.\r\nReflexão final sobre a ação de formação.

Metodologias

[]

Avaliação

['Os formandos serão classificados na escala de 1 a 10, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos pela DGE e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua,\r\ncom base em: \r\n1) qualidade da participação e contributo para a dinâmica das sessões;\r\n2) cumprimento dos prazos de realização das atividades de aprendizagem propostas;\r\n3) qualidade da realização das tarefas propostas e reflexões efetuadas.\r\nA ponderação a aplicar na concretização da avaliação da formação é a seguinte:\r\n Participação/Contributos (40%)\r\nTrabalho de aplicação de conteúdos (60%)']

Bibliografia

Alves, A. (2017). Trabalhar com por